Empresa de confecções HBC retoma laboração com 100 postos de trabalho

A decisão foi tomada na sexta-feira, na última reunião de credores, e depois de o administrador de insolvência, Rui Castro Lima, ter dado luz verde à única proposta – apresentada pela “Mendes & Morais – para a viabilização daquela empresa de confecções de Oliveira do Hospital. Em causa, estará a manutenção de cerca de 100 postos de trabalho.

Visivelmente satisfeito com o desfecho do processo, o presidente da Câmara de Oliveira do Hospital afirmou no sábado – durante a cerimónia da abertura oficial da EXPOH – que este pode ser “um primeiro passo para relançar Oliveira do Hospital”. Salientando que os empresários locais “estão habituados a ultrapassar as dificuldades”, José Carlos Alexandrino aproveitou o momento para enaltecer o papel do Governador Civil de Coimbra naquele processo, dando conta de que Henrique Fernandes o acompanhou “sempre” nas reuniões que foi necessário efectuar com diversos organismos do Estado para que se desse “este passo decisivo”.

Sobre a presidente do Sindicato dos Têxteis, Lanifícios e Vestuário do Centro (STLVC) – Fátima Carvalho foi um dos principais rostos em todo este dossiê –, Alexandrino elogiou o trabalho da sindicalista. “Foi uma mulher determinante nesta luta”, disse.

Ao correiodabeiraserra.com, a presidente do STLVC também destacou o papel “activo, persistente e com muita energia” do autarca de Oliveira do Hospital no relançamento da HBC. “Este é que deve ser o papel de uma autarquia perante aquele que é o maior flagelo do concelho de Oliveira do Hospital e do país, o desemprego (…). O senhor presidente da Câmara esteve muito bem neste processo e queremos contar com ele para outros desafios”, sublinhou Fátima Carvalho, referindo-se à possibilidade de se encontrar uma solução para outras indústrias de confecções que recentemente tiveram que interromper a actividade.

Confidenciando que, a dada altura, “quase deu vontade de baixar os braços”, a responsável pelo STLVC mostrou-se descontente com “os entraves” que encontrou “num processo muito difícil”, mas elegeu este caso como a prova de que “vale a pena nunca desistir e lutar até ao fim”, até porque – conforme advertiu – “temos de lutar pelos interesses dos nossos trabalhadores”.

De resto, a conhecida sindicalista manifestou a vontade de que agora “o projecto vá para a frente o mais rapidamente possível”, e disse já ter estado reunida – durante a manhã de hoje – com o Governador Civil de Coimbra.

Frisando que Henrique Fernandes “teve um papel decisivo” para que o processo da HBC “chegasse a bom porto”, Fátima Carvalho adiantou também a este diário digital que o dia de amanhã já está reservado para uma reunião com a empresa Mendes & Morais.

O objectivo – segundo a sindicalista – é começar a agilizar o dossiê da selecção dos trabalhadores que vão retomar o seu posto de trabalho na HBC. “Gostaríamos muito que a selecção incidisse sobre as pessoas que estão interessadas em regressar à empresa e não têm alternativas de emprego”, salientou Fátima Carvalho.

LEIA TAMBÉM

IMTT encerrou Centro de inspecções automóveis de Seia do Grupo CIMA, empresa fala de decisão desproporcionada

O IMTT encerrou na segunda-feira o centro de inspecção da Cima (do Grupo TAVFER de …

Cerca de 30 por cento da mão-de-obra de multinacional espanhola instalada em Nelas é do concelho de Oliveira do Hospital e vai continuar a contratar

A multinacional Covercars, uma empresa que fabrica componentes automóveis, que ontem inaugurou as novas instalações, …