Empresário oliveirense apresentou proposta para a compra da Qimonda

De acordo com declarações do empresário à agência Lusa, a “reunião correu bem” e “foi mostrada abertura em relação ao projecto”. Explicou que a documentação vai agora ser encaminhada para a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP).

Ligado à Apasolar, uma empresa alemã da Baixa Saxónia, que produz painéis fotovoltaicos, Paulo Tomás “aguarda agora uma resposta do ministério e restantes organismos, que deverá ser urgente, dada a complexidade deste processo e o facto de os parceiros, envolvidos nesta aquisição, estarem também a aguardar”.

O arquitecto continua a defender que ainda não desistiu deste negócio, porque acredita que “há grande potencialidade no mercado internacional para a produção de painéis fotovoltaicos de terceira geração”. Segundo adiantou, há algum tempo que uma equipa “altamente qualificada” está a trabalhar nesta proposta.

Enquanto representante do consórcio que pretende adquirir a fábrica, Paulo Tomás deixou a garantia de “manter os postos de trabalho”.

“Temos tudo para dar certo”, frisou o empresário que também pretende apresentar o projecto aos trabalhadores da Qimonda Portugal, que fazem uma paragem forçada de duas semanas.

LEIA TAMBÉM

PSA anuncia produção de carros de lazer na fábrica de Mangualde

Depois de ameaçar encerrar a produção em Portugal, o grupo francês PSA aumenta a pressão …

Câmara da Guarda: Álvaro Amaro exige ser ouvido pelo Governo na estratégia nacional para o lítio

O presidente da Câmara Municipal da Guarda, Álvaro Amaro (PSD), emitiu ontem um comunicado onde …