Empresas de Oliveira do Hospital distinguidas com o estatuto PME Excelência. Empresários dizem que é resultado do esforço de anos.

Seis empresas do concelho de Oliveira do Hospital fazem parte do conjunto das 1845 pequenas e médias empresas que ontem foram distinguidas com o estatuto PME Excelência atribuído pelo IAPMEI – Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação. As empresas oliveirenses que conseguiram este galardão foram: Amol – Armazéns de Mercearia Oliveirense, Lda (proprietária dos IG Supermercados); ; CIP – Construção SA; Salsicharia Beira Serra Lda; Marserra Alimentar Lda; Queijos Lagos – Derivados, Lda e Serração Paletes de Madeira Henriques, Lda. A este grupo junta-se ainda a SEILIMP – Produtos de higiene e Limpeza que tem instalações em Oliveira do Hospital, embora a sede seja em Seia. Os empresários de Oliveira do Hospital dizem que este é o reconhecimento de todo o esforço que têm desenvolvido.

A cerimónia de entrega dos troféus que decorreu em Santa Maria da Feira contou, entre outros, com o vice-primeiro ministro, Paulo Portas, e o ministro da Economia, Pires de Lima, num ano em que o número de empresas distinguidas aumentou 67 por cento relativamente ao ano anterior. Paulo Portas defendeu  mesmo que este aumento de empresas distinguidas é um dos sinais de confiança na economia portuguesa para 2015. “Um país que tem cada vez mais PME Excelência é um país em que vale a pena acreditar e apostar. Temos cada vez mais PME Líder e PME Excelência, e esse é um sinal”, afirmou 0 vice-primeiro-ministro. “Em 2009 tínhamos 625 PME Excelência, em 2014 já tivemos 1845 e o caminho faz-se andando. Se o Estado aprender com as empresas o princípio muito simples de que perder tempo é perder dinheiro, contribuirá para um país economicamente mais saudável”, explicou.

O ministro da Economia, por seu lado, também elogiou o trabalho desenvolvido pelas PME Excelência, apontando-o como um contributo para a “verdadeira diferença”. “Quem vive nas empresas sabe que a diferença não é feita por nenhum político ou ministro, por muito que ele seja querido das empresas”, realçou Pires de Lima. “A verdadeira diferença é feita pelo trabalho, pelo engenho, pela ousadia e pela capacidade de risco, pela capacidade de inovação e pela capacidade de [as empresas] se focarem em agendas que procurem a criação de riqueza e emprego em primeiro lugar”, sublinhou.

Para os empresários esta distinção considerada importante. “Significa muito. É o reconhecimento de cerca de 23 anos de esforço e é um galardão que vem dar credibilidade à empresa”, conta Anabela Faria que, pelo segundo ano consecutivo, viu a empresa Marserra Alimentar, Lda, de Oliveira do Hospital, da qual é sócia gerente, receber o estatuto PME Excelência. “Para conseguirmos isto, a nossa empresa em 23 anos de existência nunca teve um rácio negativo a nível bancário e demonstra que é uma empresa cumpridora, o que oferece algumas vantagens”, nota em declarações ao CBS.

Anabela Faria, que já tinha visto a sua empresa reconhecida com o selo PME Líder, considera ainda que na actual conjuntura conseguir esta distinção não é fácil, em grande parte devido aos inúmeros impostos que sobrecarregam as Pequenas e Médias Empresas. “Infelizmente nem todas as empresas tem o mesmo rigor e muitas vezes uma má empresa pode vir a destruir outras que estão estáveis. Se todos fossem cumpridores seria muito mais fácil para toda a economia. Mas esta distinção é reconfortante”, frisa, numa altura em que a Marserra Alimentar, Lda se prepara para comemorar 23 anos de existência no próximo dia 25 de Março.

“É um reconhecimento do trabalho feito. É de louvar que numa região que tem tantas desigualdades perante o litoral, hajam empresas da região a ser galardoadas”, conta, por seu lado, Luís Lagos, da Queijos Lagos – Derivados, Lda. “Oliveira do Hospital é uma região onde predomina o empreendedorismo, no ano passado foram galardoadas três empresas, este ano duplicou o número, creio que a tendência é para aumentar”, frisa o empresário que já viu a sua empresa ganhar o prémio de PME de excelência pela terceira vez.

A iniciativa distinguiu empresas de Norte a Sul do país com um selo de reputação criado pelo IAPMEI para discriminar positivamente as empresas que anualmente apresentam os melhores desempenhos económico-financeiros, criando condições de visibilidade acrescida a um segmento empresarial com contributos activos para a economia e o emprego nacionais. Em conjunto as empresas são responsáveis por mais de 69 mil empregos, e estão sobretudo concentradas nos distritos do Porto (19%), Lisboa (17%), Aveiro (13%), Braga (12%) e Leiria (9%).

O universo das PME Excelência 2014 cresceu mais de 67% relativamente aos estatutos atribuídos no ano anterior e isto não significa que tenha sido reduzido o grau de qualidade exigido. “Os números não reflectem menor exigência na atribuição do galardão, porque os requisitos base da distinção foram mantidos face à edição anterior, mas o que se verificou foi que muitas empresas apresentaram subidas médias muito substanciais nos seus indicadores económico-financeiros, melhorando os seus resultados em praticamente todos os indicadores”, justificam os responsáveis pela organização, adiantando que “mais de 64% das empresas tem a sua actividade ligada à indústria e comércio, sendo a seguir o turismo e os serviços, com cerca de 12% cada um, os outros sectores mais representados no conjunto da amostra das PME Excelência 2014”.

O Estatuto PME Excelência é atribuído anualmente pelo IAPMEI, numa parceria com o Turismo de Portugal e os principais bancos a operar em Portugal, Banco BPI, Banco Popular, Barclays, Caixa Geral de Depósitos, Crédito Agrícola, Millenniumbcp, Montepio, Novo Banco e Santander Totta, e insere-se num programa de qualificação de empresas lançado pelo IAPMEI, com o objectivo de dar notoriedade e optimizar condições de financiamento e de reforço competitivo ao segmento das PME Líder, empresas com perfis de risco superiores, que constituem pelas suas características importantes alavancas de desenvolvimento para a economia e o emprego do país. A selecção das PME Excelência é feita anualmente a partir do universo das PME Líder, criando um instrumento de visibilidade acrescida para o grupo de empresas que em cada ano se destacam pelos melhores resultados.

LEIA TAMBÉM

Oliveira do Hospital entre os concelhos com mais baldios ardidos no Distrito de Coimbra

A Associação Cooperação Entre Baldios do Distrito de Coimbra (Cobalco) assegurou hoje, em comunicado, que …

Tomada de posse dos órgãos autárquicos marcada pela tragédia dos incêndios e presidente reeleito aposta em “fazer renascer Oliveira do Hospital”

Não foi uma tomada de posse normal dos novos responsáveis pelo munícipio. Os discursos inflamados …

  • Acta de 23/01/2014

    2.16.2 – PEDIDO DE RESTITUIÇÃO DE TAXAS – AMOL – ARMAZÉNS DE MERCEARIA OLIVEIRENSE, LDA.
    D.P.G.T./DOC.10

    Tendo presente o requerimento com o registo de entrada nº 844, de 19 de novembro de 2013, apresentado pela sociedade “AMOL – Armazéns de Mercearia Oliveirense, Lda.”, sedeada em Oliveira do Hospital, devidamente fundamentado pelos serviços, conforme documento que se anexa e que fica a fazer parte integrante desta ata, a Câmara Municipal, após análise e no seguimento das deliberações de 15 de maio e 24 de julho de 2012, deliberou, por unanimidade, autorizar a restituição àquela sociedade do valor de 750,00 € (setecentos e cinquenta euros) por cada posto de trabalho líquido criado, num total de onze, ascendendo a 8.250,00 € (oito mil, duzentos e cinquenta euros).

    A CMOH também ajuda.

    • Politicalex

      Ao tempo que este regulamento foi aprovado na AM…

  • Inocêncio 15

    Toda esta maltosa que se insulta uns aos outros por aqui arvorados em senhores da verdade ou aqueles que elogiam quando lhes convém ou gravitam a escrever o que lhes apetece neste on line, mais os que vão estratégicamente comendo na gamela e isentos de impostos, ficavam bem era encostados a uma parede com um espelho de frente ,para verem a realidade. Não ficavam nada mal e olharem a eles proprios e fazerem um acto de contrição . Envergonhem-se, armaditos e hipocritas que aparecem por aqui .Ridiculos . So acreditam nestes mediocres e oportunistas quem é igual.

    • Politicalex

      Assim, todos no mesmo saco..? Esse é o discurso da antipolítica.”São todos iguais, o que querem é tacho” essas coisas.Depois vem a abstenção e, meia dúzia governa e governa-se…Nós conhecemos esse discurso e os objectivos do mesmo…Essa táctica é velha como o c…gar

  • Politicalex

    “Inocêncio 15” , repara como é: Vês como é que se paga o ordenado das bandeirinhas que lá colocaram..? Acho que já lá anda mais um.. O trabalho é muito…

    3.5 – ADI – AGÊNCIA PARA O DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DE TÁBUA E
    OLIVEIRA DO HOSPITAL – QUOTA MENSAL PARA O ANO DE 2014 ———————
    D.A.G. F
    ——–A Câmara Municipal sob proposta do Presidente da Câmara deliberou, por todos os
    membros presentes, manter a sua quota mensal a transferir para a ADI – Agência para o
    Desenvolvimento Integrado de Tábua e Oliveira do Hospital no ano de 2014, no montante de
    2.100,00 € (dois mil e cem euros).——————————————————————————
    ——–Em virtude do Vereador José Francisco Rolo ser em simultâneo o Presidente da
    Direção da ADI, ausentou-se da sala de reuniões no momento da discussão, apreciação evotação deste assunto.———

    Vê mais esta. Este é para pagar mais uns poucos que lá andam por esta “porta”..!

    B-7) SERRA DO AÇOR – ASSOCIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL
    (ADESA) ————————————————————————————————————-
    D.A.G.F.
    ——–Pelo Presidente da Câmara foi presente a proposta de Protocolo de Cooperação a celebrar entre o Município de Oliveira do Hospital e a Serra do Açor – Associação de Desenvolvimento Regional (ADESA), que tem como objetivo estabelecer as medidas de cooperação e apoio entre a ADESA e o Município de Oliveira do Hospital, tendo em vista a implementação, no respetivo território, do Plano de Eficiência Energética, incluindo todos os trabalhos de diagnóstico, levantamentos de campo, sintetização de informação recolhida e apresentação de propostas e soluções de intervenção concreta, através do qual a Câmara Municipal se compromete a disponibilizar um apoio financeiro no montante de 60.000,00 € (sessenta mil euros), a afetar exclusivamente pela ADESA ao referido objeto, no período compreendido entre 1 de janeiro e 31
    de dezembro de 2014, cuja concretização deverá ocorrer em quatro prestações trimestrais de pagamento antecipado relativamente ao período a que se referem, documento que se dá como anexo à acta da respetiva reunião.——————————————————————————-
    ——–A Câmara Municipal nos termos do disposto na alínea o) do n.º 1 do art.º 33.º da Lei n.º 75/2013, de 12 de setembro, deliberou, por unanimidade, aprovar a presente proposta.——

  • Politicalex

    “Inocêncio” Este, então é de morte. O Senhor Presidente da Câmara diz que a BLC3 é de direito privado.E é. Mas, e de capital público.Recebe subsídios para apoiar empresas!!! Ora a Câmara tem um regulamento, aprovado na Assembleia, com as condições de acesso das empresas aos subsídios,decidas pelos representantes do Povo. Quais são os critérios na BLC e quem os decide? Acho que, não tarda, está tudo preso..!

    3.7.1.3 – BLC3 – PLATAFORMA PARA O DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO INTERIOR
    CENTRO D.A.G.F.
    O Presidente da Câmara propôs à Câmara Municipal que, conforme solicitado pela entidade oficiante, atribua à BLC3 – Plataforma para o Desenvolvimento da Região Interior Centro, um subsídio extraordinário no montante de 10.000,00 € (dez mil euros), destinado ao apoio ao tecido empresarial do concelho, mediante assinatura de protocolo nos termos do disposto no Regulamento Municipal para a Concessão de Subsídios, aprovado por deliberação da Câmara Municipal de 1 demarço 2011.
    A Câmara Municipal nos termos do disposto na alínea u) do n.º 1 do art.º 33.º da Lei
    n.º 75/2013, de 12 de setembro, deliberou, por maioria, com os votos favoráveis dos vereadores José Francisco Rolo, Graça Silva, Nuno Ribeiro, Teresa Dias e João Ramalhete e do Presidente da Câmara e o voto contra da vereadora Cristina Oliveira, aprovar a presente proposta. —

    • Adoravel mundo novo

      oh pah tu és um gajo com problemas… estas sempre a falar do mesmo!

      Pois para ti tenho mais tema de conversa. Não queres ver o que o sr. Antonio Lopes anda a fazer. Já que es uma pessoa tão dedicada à pesquisa… ups, desculpa! parece que já sabes;)

  • trovisco

    É vergonhoso demais para ser verdade. Esta cambada devia estar era a pão e água. Mas foi para isto que os partidos os candidataram? Arre esta pouca vergonha vai com 10 anos. Claro que continuarão a votar da mesma forma porque sempre podem sobrar umas migalhas e quem esta a venda facilmente se compra.Olhem só para a parasitagem espalhada pelos lugarejos que o concelho oferece. UiUi.noticias e decisões bem esclarecedoras! isto esta é a ser governado por parasitas e corruptos com todas as letras e sem quaisquer escrúpulos

  • jornal rural

    tem piada que aquele gajo do politicalex so escreve o que bem entende. vem o guerra junqueiro (provadissimo ligado à gestão do jornal) e também escreve… eu venho e apaga se. Porque será?