EN17 vai receber obras de requalificação, Alexandrino diz que é resultado da recente manifestação, mas em Março já sabia que a obra ia arrancar. PSD acusa autarca de encenação.

A EN 17 vai começar a sofrer obras de requalificação avaliadas em três milhões de euros com o objectivo de melhorar as condições de circulação e de segurança, numa via em mau estado e com trânsito intenso. A obra contempla o troço que vai do Nó de Tábua, no IC6, atravessando todo o traçado do concelho de Oliveira do Hospital. A EN 230, em Venda de Galizes, no percurso entre Vila Pouca da Beira-Ponte das Três Entradas-Alvoco das Várzeas, também está incluída, num concurso público, colocado na segunda-feira, em Diário da República. Os candidatos têm agora 24 dias para apresentar propostas e o vencedor do concurso tem um prazo máximo de 270 dias, a contar da adjudicação da empreitada, e um mínimo de 255 dias para executar a obra.

José Carlos Alexandrino já veio dizer que esta é uma vitória da recente marcha lenta que promoveu no dia 24 de Julho, mas, em Março, o autarca já sabia que as obras estavam prestes a começar, confessando numa reunião do executivo ter conhecimento que as obras iam arrancar este ano. Referiu que lhe foi garantido, numa reunião com o Conselho de Administração das Estradas de Portugal, que o projecto seria realizado, sublinhando, na altura, que o informaram que se encontrava a decorrer o concurso para a adjudicação de empreitadas no valor de três milhões de euros, que constavam do Plano de Investimentos de Proximidade previstos para 2014. “Não foi realizada nesse ano por procedimentos concursais, mas neste momento está a decorrer o concurso de adjudicação e por isso as obras ainda se iniciarão este ano”, garantiu.

Estas afirmações constituem para os críticos a confirmação que a marcha foi como que uma encenação de José Carlos Alexandrino para “mostrar serviço”. “Só fez a manifestação naquela data para agora tentar tirar dividendos de uma decisão sobre a qual tinha conhecimento de já estar tomada. Está a tentar receber louros que não merece. Já estava decidido desde que as obras se iniciaram no Distrito da Guarda, portanto muito, mas muito tempo antes da tal marcha lenta. A empreitada em Oliveira do Hospital apenas sofreu algum atraso porque é muito mais profunda ”, explica Nuno Vilafanha, referindo que ele próprio tinha dito na última Assembleia Municipal que a requalificação ia ter início.  “O protesto em relação à estrada não tinha razão de ser porque já estava decidida e foi uma das razões que nos levou a não participar na marcha lenta”, concluiu.

O também dirigente do PSD de Oliveira do Hospital, Nuno Pereira, refere que “toda a gente sabia que a obra estava inscrita no orçamento, que iria avançar, que apenas faltava a adjudicação. “Não venham com tretas que fizeram aquela manifestação naquela data ao acaso. Falta de imaginação e criatividade. Provavelmente, a pressa de ir de férias e mais uma vez uma programação mal executada”, escreve na sua página do Facebook este responsável.

LEIA TAMBÉM

Incêndio

Anda tudo a gozar connosco!!! Autor: Luís Lagos

Anda tudo a gozar connosco!!! Eu estou absolutamente farto!!! Fartinho!!! Haverá quem leia este post …

Marcelo Rebelo de Sousa visita Zona Industrial de Oliveira do Hospital devastada pelos incêndios

O Presidente da República já está em Oliveira do Hospital e visitou a zona industrial que …

  • Muito bem

    É simples:
    – Relação causa, efeito….e é só carregar no botão!
    É claro que, com uns remendos, a 17 até poderá ficar , momentaneamente, transitável.
    Recorrente, infelizmente, é o facto de estas “intervenções”, na 17, ocorrerem, sempre, em períodos de campanha eleitoral, sejam eles os das autárquicas, ou das legislativas.
    (Todos conhecemos, de há muito, por força do hábito, o dizer que “deveria haver eleições todos os anos”!)…E a 17 fica, sempre, razoavelmente, transitável até ao inverno seguinte.
    Muito bem:
    – Sendo uma “boa nova”, tentemos ver o outro lado da “medalha”: será que, com este anúncio, também ficamos a saber (?) que a conclusão dos IC6 , 7, está, definitivamente, enterrada?

  • Guerra Junqueiro

    No dia seis do passado mês de Março, Alexandrino dizia isto:
    https://archive.org/details/Rbn_En1720150306
    “Na reunião com a EP, o autarca oliveirense falou ainda da necessidade de intervenção na EN230, entre Vendas de Galizes e Vide, no concelho de Seia. Uma intervenção que não está nos planos da EP por a construção do IC6 determinar a sua desqualificação, mas que o presidente da Câmara espera que venha a ser contemplada através da utilização das verbas previstas para a requalificação do troço entre Ervedal da Beira e Carregal do Sal, que tem um valor associado de 820 mil Euros, mas que Alexandrino não considera necessária.”
    Para além dos 3 milhões investidos, ainda queria retirar quase um milhão do que também está previsto para a estrada da terra dele até ao Carregal. Grande amigo da terra.
    Com a saúde é o mesmo, está tudo preparado em Oliveira como no resto do País, rapidamente teremos os problema resolvido, coisa que os socialistas nunca fizeram.
    Sempre que este presidente se mete nas situações bem pensadas do governo, dá-se mal, e se não fosse ele, ainda hoje Vila Franca era freguesia.
    Este presidente e os moinantes socialista que o assistem nada fazem e tentam tomar para si o árduo trabalho do governo. Que vá lá ter com o Costa, peça lá para lhe fazer o IC6 como pediu ao Sócrates, que já estamos habituados no que dão as gestões socialistas. Formam um bom grupo todos juntos-

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro

    • Adjunto de ordens

      Ele esquece-se muito ou pensa que são todos desatentos. Ele já era para conhecer a TASK ,mas de tão descuidado nem se dá conta que a TASK lhe filtra as “habilidades” todas…

      • António Silva

        Pensava que isto se resolvia na “tasca”, com uns comes e bebes.
        Depois deste tempo todo, está mais verdinho do que quando começou, falta lá o Lopes a protege-lo.

  • António Lopes

    Mas, a manifestação não era pela construção do IC6..? Esta satisfação do Senhor Presidente da Câmara é uma capitulação, ou é uma constatação de um facto de que os ICs não estão para breve, como há tanto tempo ando a dizer..? Ao tempo que ando a dizer, ao Senhor Presidente, que não tem vida nem jeito para a “coisa”…mas pronto, ele insiste..! Estive hoje a responder a um inquérito de uma acusação que o Senhor Presidente me fez.. Alega o Senhor Presidente que desprestigiei o Concelho. Não me lembro de alguma vez me por assim a jeito para ser motivo de chacota, logo desprestígio do nosso Concelho. “Guerilha, sangue e dor ” pelos ICs que nunca se viu nada e, agora, ar triunfal por uma alternativa que o não é, e ao tempo que está decidida..? Afinal, é feliz e contenta-se com pouco..! Quem é que não sabia destas obras? O Senhor Presidente esquece-se muito do que diz. Já agora, como é que estamos com o “Processo Revolucionário da Saúde”? A manifestação não era também para resolver este problema..? Ao menos a unidade móvel já funciona? E os médicos que vieram são mesmo como o senhor presidente diz, ou são um pouco melhores..!
    Passei na manifestação, e a organização sabe que passei, na altura dos discursos.Estavam lá umas duzentas pessoas, penso que, menos que as envolvidas na organização.Mandava o bom senso que se fizesse tudo, para esquecer a manifestação que, em condições normais, só se poderá virar contra nós, pela fraca expressão que teve. Como sui dizer-se: “Um tiro de pólvora seca”…

  • Adjunto de ordens

    Estamos em Agosto, já não há água no açude da Quinta da Ribeira, e o Sr.Presidente anda à procura de bóias de salvação? Aquela “alminha” quando é que tem a humildade de reconhecer que cada dia que passa está cada vez mais a falar sozinho..? Câmara e Juntas com as viaturas das autarquias, aquilo foi manifestação ou foi um passeio de autarcas..?

    • Alex cada vez mais xoxo

      Foi o “passeio dos tristes”.

      Acho que até a unidade móvel de saúde esteve para desfilar…

  • Politicalex

    Confrange tanta ignorância e falta de sensatez. Então, a manifestação foi no dia 24. Em três semanas faziam as medições, projecto, caderno de encargos, etc, para pôr a concurso..! Ai Senhor Presidente…bem sei que é tempo de férias e convém algum relaxe mas, o tempo das piadas e mentiras é mais ali por Fevereiro Março, e é só três dias…

    • Maria Ivone

      Mal viram aqueles milhares de carros e aquele efusivo comício a abarrotar de gente, fizeram tudo de um dia para o outro, ficaram aflitos, ficaram sem pinga de sangue e a tremer como varas verdes. Por isso é que o Passos foi logo de férias…
      No que isto deu, transformaram a câmara num sanatório.

  • João Dinis, Jano

    E o governo veio agora – estamos em meados de Agosto – com estes anúncios públicos, porquê ? Porque gosta muito de nós, Oliveirensese e outros, que temos de utilizar a “velha” Estrada da Beira – a EN 17 ? Claro que não.
    “Eles” gostam mas é da propaganda política em vésperas de eleições. Afinal, por que não lançaram o ano passado, há dois anos, os concursos que agora divulgam ? A EN 17 já está muito mal há vários anos. E ainda vamos esperar para ver preto no branco…
    Sim, tudo dá a entender que este anúncio do (des)governo foi uma reacção à manifestação. Prova-o, até, a sequência temporal – Julho, a manifestação — Agosto, o anúncio público. Foi um contra-ataque da maioria PSD – CDS//PP que já só anda em campanha eleitoral à custa do erário público. É a democracia muito empenada da rapaziada do arco da tróika…
    Sim, “o País só vai para a frente no bom caminho quando PS e PSD estiverem, ambos, ao mesmo tempo, na oposição !”. (Esta é boa mas paga direitos de autor).

    • Jorge Rodrigues

      Outro que perdeu o juízo, a razão já há muito foi agora esta alegação só de algum palerma que também contribuiu.
      Já não chegou querer correr à pedrada quem lá fosse pedir votos, agora sai-se com esta.
      Pelos vistos és outro que só quer festas, estás muito bem a defender o Alexandrino, aliás, aí juntas-te ao Lagos. Coligação CDU/CDS para proteger o tolo que nos ajuda a safar-nos e promove umas festas que é aquilo que gostamos.
      Estavas tão bem em casa a tomar conta da família.

  • joao dinis

    Piis pois, dói-vos porque vos acerto em cheio no meio das pernas ( se é que lá ainda tendes algo que doa…)…
    João Dinis, Jano

    • Rafael Pereira

      Estás aqui, estás a atirar pedras. Cuida lá desse mau feitio, não tarda estás a chorar no ombro do Alexandrino.

      • Muito bem

        Papagaio passos, mais papagaio portas,
        Muito felizes, continuam culigados:
        è só promessas, só promessas,
        Mesmo quando estão zangados

        É uma grande passarada, esta coligação…
        Que, como muitas outras aves, são aves de arribação:
        Prometem , prometem, nas campanhas eleitorais,
        Pra, depois,no regresso, dizerem que não.

        E até parlam, como qualquer ave palradora:
        Parla o passos, parla o portas, até os incêndios parlam…
        Foi por isso que o país, em vez das palradas promessas,
        Se viu submersos com submarinos acumulados.

        E parlam, parlam, fazendo de conta que falam:
        Batem a bolinha baixa com a passarada carnívora,
        Que o que vem da europa, nem que seja por migalha,
        Sempre alimenta, nestes pássaros, a a sua vontade facínora.

        E parlam, parlam, com ímpetos, aqui, nunca vistos.
        Destroem, com promessas, a vontade do país,
        Para distribuir, com artes e manhas,
        Grandes lucros pelos amigos.

        E prometem, palrando, até ao limiar dos impossíveis:
        Para depois, pela calada, com laivos de inteligência,
        Fazer do país um couto para os irredutíveis,
        Do tacho, com muita sapiência.

        E parlam, parlam, convencidos de grande doutice:
        Enganam, a torto e a direito, os incautos do voto.
        Sentem-se, por isso eleitos, montados ,
        No povo e na sua burrice.

        Mas parlam, parlam, prometem e prometem.
        Sabem que mentem, nada os impede:
        Logo a seguir, fazem a vontade ao dono,
        Que esse sim, é aquele que os elege.

        E, quando contas devem prestar,
        Palram dizendo que foi o avô,
        Já abandonado e maltratado,
        Que os andou a enganar.

        • Poeticamente

          Ó pá quando fizeres um poema fá-lo como deve ser, para não bater a bota com a perdigota vale mais estares quieto.
          Isto são versos à Chico Cabeçudo.

          • Muito bem

            Obrigado…cabeçudo

          • Desiludido

            `Quem é o chico Cabeçudo? Não serão versos à Manuel Alegre?

        • Gravatas

          Olha lá ó ” Muito Bem ” , nele precisavas tu… não se escreve ” Culigados “, mas sim ” coligados “. Cada um puxa para onde gosta…! Só tens léria e poesia fatela… vai-te curar, porque andas doente, mas pronto, ” CU ” LIGADOS…!

  • Politicalex

    Naquela altura, que o governo estava em funções há uma ano e era o
    momento certo,,o Sr.Presidente disse “Tem piada que fosse a Comissão
    politica do PSD que tem o governo neste momento a fazer a
    marcha”…Piada teve, foi ser feita agora em cima das eleições.O PSD foi
    coerente. E o Mário Alves não dava abebeas…

    .—2.1.4 – IC6 – PROPOSTA DE MARCHA LENTA —————-

    O vereador Mário Alves referiu-se à proposta de marcha lenta em defesa da construção do itinerário IC6, apresentada pelo PPD/PSD, salientando que “o pai desta ideia, fui eu, mas num determinado contexto socioeconómico que, infelizmente, se alterou”. Disse entender que “face à situação de crise financeira e social que o país vive, que leva ao desespero de algumas pessoas, isto não faz qualquer sentido”. Mais referiu que “estes assuntos são para ser dialogados e negociados por quem está no exercício de funções, sem grande “festa” para o exterior, no âmbito dos gabinetes e com toda a ponderação porque é isso que deve ser feito”. Entende assim que “só quando são atingidos pontos de rutura é que devemos tomar atitudes mais drásticas”, sublinhando que “este tipo de comportamentos constrange-me porque o populismo também tem limites. E este populismo está a ser exacerbado, curiosamente, por uma força politica que sustenta o Governo”.———————–

    O Presidente da Câmara disse que não iria tecer qualquer comentário ao assunto em questão, sublinhando no entanto que “tem piada que seja a comissão política do PPD/PSD, que tem o Governo neste momento, a fazer esta marcha lenta”. Referiu igualmente que “não vejo é os senhores deputados eleitos de Coimbra a manifestarem-se ou a reivindicarem a realização destas obras. Por outro lado, conjuntamente com o seu homólogo de Seia e de Gouveia reuniu com o Sr. Secretário de Estado, e aquilo que ele tem dito, é que o país não tem condições financeiras para
    executar a obra, mas que acredita que em 2013/2014 comecem a surgir os primeiros sinais para se avançar com aquele itinerário”. Salientou que “foi esta a promessa do Sr. Secretário de Estado”. Manifestou no entanto a sua preocupação relativamente ao estudo do impacto ambiental que caduca já no próximo dia 2 de agosto de 2012, sublinhando que “é fundamental que ele seja renovado, pois caso contrário o processo demorará muito.
    O vereador Mário Alves louvou a atitude política do Sr. Secretário de Estado relativamente a este processo, frisando que “pelo menos foi honesto, teve a hombridade de lhe dizer que “não há condições”, contrariamente ao que era feito no passado”. –

  • Gravatas

    Vamos fazer uma manifestação para a Câmara Municipal arranjar a estrada de Santo António do Alva à EN 17 e também arranjar a Ponte de Travanca de Lagos, para Lagares da Beira. Ó Senhor Presidente da Junta de Travanca, mãos à obra vamos manifestar-mos, é uma vergonha estes anos todos e a Ponte continua inoperacional. TENHAM VERGONHA. NÃO PEÇAM SÓ AO GOVERNO. TRABALHEM, FOI POR ISSO QUE FORAM ELEITOS, DEIXEM-SE DE MOINA E FESTAS.