Equipa da Cordinha conquista título de campeã regional de futsal

Depois de os jovens do Ervedalense terem conseguido alcançar a Taça da AFC tinham pela frente outro objectivo que passava por ganhar o campeonato regional da modalidade no desporto escolar envergando as camisolas da Escola da Cordinha.

Num campeonato muito equilibrado onde pude assistir a um grande desenvolvimento da modalidade, denotando que as escolas se preocupam em introduzir e dar a conhecer os conceitos específicos deste jogo colectivo, embora ainda se socorram de jogadores do futebol, a equipa de Ervedal da Beira, comandada pelo Prof. José Carlos Alexandrino teve uma árdua e épica tarefa para vencer este campeonato regional.

Depois de terem vencido na sua série as equipas representantes dos distritos de Viseu e da Guarda, esperava-lhes uma meia-final difícil frente a um Instituto D. João V em representação de Leiria. Instituto que possui pergaminhos na modalidade pois tem vários títulos distritais da modalidade federada e possui uma equipa sénior a disputar a Primeira Divisão Nacional.

Foi, não menosprezando os demais, o primeiro grande teste ao valor da equipa de Ervedal da Beira, pois tratava-se de um adversário que praticava futsal ao invés de um futebol em espaço reduzido.

A equipa de José Carlos Alexandrino teve algumas dificuldades iniciais mas acabou por vencer por 5-3. Na final estavam em jogo várias coisas, que punham frente a frente duas equipas com estilos diferentes. Era uma final entre o futsal e o futebol. Várias foram as vezes a que assisti a duelos interessantes neste capítulo e que na larga maioria dos casos o futsal foi superior ao futebol, acabando por me dar razão a mim e a tantos que, como eu, vêm dizendo que o futsal nada tem a ver com o futebol, a não ser que ambos se jogam com os pés e com uma bola. E, mais uma vez isso se verificou.

Num jogo em que do lado da equipa que praticava um misto de futsal e futebol (o que denota já alguma preocupação em aproximar o futebol ao futsal) pontificavam jogadores de grande qualidade, alguns que naturalmente iremos muito em breve ouvir falar deles, tal a sua qualidade, vindos de clubes de renome e projecção nacional como Boavista e Beira-Mar e que tinham como mais valia o facto de serem Campeões Nacionais em título e Terceiros no Europeu. Estamos a Falar da Escola Secundária D. Dinis de Ovar.

Do outro lado estavam jogadores com formação na modalidade, de grande qualidade, segundos da sua série do distrital da Associação de Futebol de Coimbra, e vencedores da Taça da mesma Associação. Frente a frente duas grandes formações de reconhecida qualidade técnica e conceitos diferentes de abordar o jogo. Ovar com jogadores fisicamente mais possantes, com uma técnica invejável, superiores no um para um, e possuidores de um forte remate.

Ervedal da Beira, com jogadores de boa técnica, mais franzinos, só com dois desiquilibradores no um para um, que privilegia o passe ao segundo poste em vez do remate forte e colocado. Perante um quadro assim, difícil seria a um expert dizer quem sairia vencedor deste duelo. Ao mais comum dos espectadores olhando para uma equipa e outra, havia quem desse o favoritismo total e integral a Ovar. Os seus jogadores davam mais nas vistas com a sua velocidade e jogo directo para a frente de ataque.

Por seu lado os jogadores de Ervedal da Beira pareciam passar despercebidos com o seu jogo pausado, tacticamente quase perfeito, e privilegiando o ataque organizado (pensado) ou o rápido contra-ataque. Venceu o futsal com um jogo de paciência, inteligência, sagacidade, e fazendo valer os conceitos táctico-estratégicos da modalidade.

Estão assim de parabéns estes jovens do Ervedalense que lutaram com a humildade necessária e valentia envergando a camisola daquela que será sempre a sua escola, dando-lhe mais uma alegria, assim como a Ervedal da Beira, ao concelho de Oliveira do Hospital e ao Distrito de Coimbra.

Quanto ao mentor deste projecto, o Prof. José Carlos Alexandrino que está quase sempre associado aos êxitos do desporto no concelho quer a nível federado quer a nível Escolar esta foi mais uma vitória a somar a muitas outras alcançadas e que alcançará em breve.

Parabéns também a si. Ao Prof. Carlos Carvalheira, e conselho executivo da Escola da Cordinha, estreantes nestas coisas, fica naturalmente o gosto de um dever cumprido e a alegria no culminar de um conjunto de situações que permitiram a estes jovens serem campeões.

Também eles têm uma quota de responsabilidade neste sucesso.

gora vem aí o Nacional no final de Maio e quem sabe….

João Manuel Jorge

LEIA TAMBÉM

O Bava da Bola

Um tal Bava, Zeinal de primeiro nome, foi presidente executivo durante anos da PT. Em …

Aquela máquina…

Dois golos de Cristiano Ronaldo e um de André Silva asseguraram a vitória de Portugal …