Esgueira não resistiu ao Sampaense

… são importantes para a definição dos play-off.

O Esgueira é “velho” conhecido dos beirões nesta competição e tem na sua equipa muitos jogadores que se mantêm ano após ano. A juntar a esse factor o jogador americano disponível do plantel é uma mais valia considerável, pelo seu porte físico e os seus dotes atléticos. E lesão do outro jogador estrangeiro poderia ser o argumento de fragilidade desta equipa de Aveiro.

O jogo começou muito equilibrado e o Esgueira ganhou de início uma ligeira vantagem, que foi prontamente compensada pela equipa da casa. O ponto forte dos visitantes era o seu jogo exterior e foi à custa dessa táctica que conseguiu manter-se na discussão do resultado.

A defesa beirã não conseguiu anular com sucesso a organização do Esgueira que quando não via os seus atletas concretizar de 3 pontos, encontrava no seu poste a solução para chegar ao cesto.

O jogo foi empatado para o intervalo, reforçando o carácter equilibrado da partida. Na segunda parte, o Sampaense entrou melhor defensivamente e conseguiu com isso impor o seu ritmo de jogo. A anulação atacante ao poste visitante foi sem dúvida o ponto que fez a partida mudar um pouco, porque a partir dessa altura o Esgueira estava cingido ao seu forte jogo exterior.

No último período o Sampaense foi melhor, mais eficaz nas alturas decisivas e conseguiu uma vitória preciosa, 78-74, frente a uma equipa valiosa e bem organizada como é o Esgueira.

O MVP da partida foi Kendell Craig com 27 pontos, 11 ressaltos e 4 assistências. Em igual evidência no Sampaense estiveram Anastácio Sami com 23 pontos e 6 ressaltos e Joege Sing com 10 pontos 5 ressaltos e 8 assistências.

No Esgueira destacaram-se Fernando Martins e Chris Lee com 25 pontos e Renato Lóio com 13 pontos.

Por: PNV 

LEIA TAMBÉM

O Bava da Bola

Um tal Bava, Zeinal de primeiro nome, foi presidente executivo durante anos da PT. Em …

Aquela máquina…

Dois golos de Cristiano Ronaldo e um de André Silva asseguraram a vitória de Portugal …