Anoitecer em Alvôco. Autor: Alexandre Relvas

Esquecimento do tempo. Autor: Alexandre Relvas

Sentirás um pedaço do teu corpo
Entrelaçado na história da humanidade;
Farás do tempo um pedaço cíclico
Como se todos os dias o céu desabasse no teu coração.

O dia dar-nos-à o sol para criar a história,
A noite dar-nos-à a lua para a encerrarmos;
Há quem flutue entre as memórias
Como uma estrela cadente que se explode no céu à medida que ganha velocidade.

O tempo faz de nós um esquecimento num espaço vazio;
Outrora o vazio era preenchido pela voz humana completando o céu escuro.

Hoje a insignificância é um corpo móvel que, insaciavelmente, procura uma conexão para sentir o que quer que seja.

Haverá um dia em que os espaços perder-se-ão
E aquilo que somos será apenas
Um fumeiro estendido no céu
Como um adeus à história.

LEIA TAMBÉM

À Boleia Autor: André Duarte Feiteira

O país da Maria, do Manuel, das cunhas e dos tachos! Autor: André Duarte Feiteira

Que bonito é Portugal! Um país à beira mar plantado, com um clima afortunado e …

tractor

Vítima de acidente com tractor em Oliveira do Hospital faleceu no Hospital de Seia

Um homem que ficou gravemente ferido num acidente com um tractor agrícola em Oliveira do Hospital …

  • bebadela

    Boa foto, ilustra a qualidade do poema.

  • bebadela

    Boa foto, completa bem o poema!

  • AiOpá

    Seria muito bom ver mais poemas tão belos como este aqui no site. Parabéns!