Anoitecer em Alvôco. Autor: Alexandre Relvas

Esquecimento do tempo. Autor: Alexandre Relvas

Sentirás um pedaço do teu corpo
Entrelaçado na história da humanidade;
Farás do tempo um pedaço cíclico
Como se todos os dias o céu desabasse no teu coração.

O dia dar-nos-à o sol para criar a história,
A noite dar-nos-à a lua para a encerrarmos;
Há quem flutue entre as memórias
Como uma estrela cadente que se explode no céu à medida que ganha velocidade.

O tempo faz de nós um esquecimento num espaço vazio;
Outrora o vazio era preenchido pela voz humana completando o céu escuro.

Hoje a insignificância é um corpo móvel que, insaciavelmente, procura uma conexão para sentir o que quer que seja.

Haverá um dia em que os espaços perder-se-ão
E aquilo que somos será apenas
Um fumeiro estendido no céu
Como um adeus à história.

LEIA TAMBÉM

O verdadeiro papel do cuidador não é fácil. Autora: Ana Margarida Cavaleiro

A doença de Alzheimer é cada vez mais uma realidade na nossa sociedade. Esta condição, …

Crónicas de Lisboa: “Os Livros que ninguém lê”. Autor: Serafim Marques

Graças aos novos processos de produção, tornou-se relativamente fácil e barato editar um livro. Por …

  • bebadela

    Boa foto, ilustra a qualidade do poema.

  • bebadela

    Boa foto, completa bem o poema!

  • AiOpá

    Seria muito bom ver mais poemas tão belos como este aqui no site. Parabéns!