Estado de saúde de Mandela é “crítico”

O estado de saúde do antigo Presidente sul-africano Nelson Mandela piorou e é agora considerado crítico, segundo um comunicado da presidência sul-africana.

Mandela está hospitalizado em Pretória. O Presidente, Jacob Zuma, visitou-o no hospital e recebeu da equipa médica a informação sobre o agravar do estado de saúde do antigo Presidente. O chefe de Estado também discutiu a situação com o vice-presidente do ANC (o partido no poder), Cyril Ramaphosa, e com a mulher de Mandela, Graça Machel.

Nas duas semanas de internamento, o seu estado de saúde tem sido descrito como “grave, mas estável”. É a quarta hospitalização desde Dezembro.
“Os médicos estão a fazer todos os possíveis para que ele melhore e estão a assegurar que Madiba é bem tratado e está bem. Está em boas mãos”, afirma Zuma, citado no comunicado da presidência. Madiba é nome de clã de Mandela, adoptado por muitos sul-africanos.

O comunicado faz ainda referência ao caso da ambulância militar que, no passado dia 8, transportava Nelson Mandela da sua casa em Joanesburgo até ao hospital de Pretória. A viatura teve um problema de motor e vários órgãos de comunicação sul africanos avançaram que Mandela teve de esperar 40 minutos por outra ambulância.
“Estavam sete médicos na ambulância que tinham controlo absoluto sobre a situação durante esse período. Ele teve cuidados médicos de especialistas. Os médicos desmentiram as notícias de que Madiba tivesse sofrido uma paragem cardíaca. Não há verdade nessas notícias”, afirmou o Presidente.
Sábado, depois de uma semana de silêncio, a presidência tinha informado que Mandela estava “em estado grave mas estável”.

O antigo líder, de 94 anos, está a ser tratado a uma infecção pulmonar recorrente.
Mandela não aparecia em público desde o Mundial de futebol da África do Sul em 2010, após a qual foram divulgadas imagens suas três vezes: durante uma visita de Michelle Obama em 2011, de Hillary Clinton em 2012… E já este ano, numa visita de uma delegação do ANC, em que aparecia frágil e doente, o que deixou muitos sul-africanos desconfortáveis.

O primeiro Presidente negro da África do Sul teve vários problemas de saúde, muitos provocados pelos 27 anos de prisão e trabalhos forçados nas pedreiras da prisão de Robben Island , durante o regime do apartheid.

publico.pt

LEIA TAMBÉM

Universidade de Coimbra aposta na folha de mirtilo para tratamento da Esclerosa Múltipla

Um projecto de investigação da Universidade de Coimbra aposta no potencial terapêutico da folha de …

Polícia Judiciária deteve mulher que tentava introduzir haxixe na prisão de Coimbra

PJ deteve 12 pessoas em Coimbra por suspeita de tráfico de droga

A Directoria do Centro da Polícia Judiciária anunciou hoje ter detido, na terça-feira, doze pessoas …