ESTGOH registou “o pior resultado de sempre” na 1ª fase de acesso ao ensino superior

 

A Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital acaba de registar o pior momento da sua história em matéria de colocação de alunos na primeira fase de acesso ao ensino superior. De acordo com os resultados disponibilizados este fim de semana, a ESTGOH conseguiu apenas preencher 27 por cento das vagas a concurso (135), captando um total de 36 alunos.

No grupo das quatro licenciaturas, Administração e Marketing (45 vagas) foi a que atraiu maior número de alunos, num total de 15. Seguiu-se Administração e Finanças (40 vagas) com 13, e Engenharia Informática (30  vagas) com seis. Pior performance foi registada pelo curso de Gestão Integrada em Qualidade, Ambiente e Segurança que apenas conseguiu preencher dois dos 18 lugares disponíveis.

“São resultados decepcionantes que nos surpreendem pela negativa”, admitiu há instantes o presidente da ESTGOH ao correiodabeiraserra.com, sublinhando porém que, em causa não está um problema que apenas a afeta a escola, mas sim uma tendência nacional.

Numa análise que já realizou aos resultados do ensino superior politécnico nacional, Jorge Almeida constata estar em face de “um problema nacional que afeta 20 escolas” e em cuja tabela “Oliveira do Hospital se situa a meio”.

Guarda, Viseu, Castelo Branco, Bragança, Mirandela e Seia, são algumas das cidades cujos politécnicos, também, não conseguiram escapar à dura realidade de redução do número de alunos colocados e Jorge Almeida chega a dar o exemplo do Barreiro, uma cidade do litoral “10 vezes maior do que Oliveira do Hospital e com uma escola de luxo” que conseguiu um número de colocações inferior ao da ESTGOH.

Perante um cenário de 36 colocações num universo de 135 vagas disponíveis, o presidente da ESTGOH admite tratar-se do “pior resultado de sempre da escola”, apenas comparável ao registado em 2005.

Tratando-se de um resultado que não foi diretamente influenciado pelo clima de instabilidade que afetou a escola nas última semanas, Jorge Almeida justifica os resultados com a grave crise económica que afeta as famílias e a consequente redução do número de candidatos ao ensino superior.

A ESTGOH parte, hoje, para a segunda fase de acesso com um total de 99 vagas.

De um modo geral, o número de alunos que conseguiu lugar no ensino superior nacional diminui este ano, o que já não sucedia desde 2005. Foram colocados na primeira fase 42243 candidatos, menos 3349 do que em 2010.

LEIA TAMBÉM

Jovens cientistas da EPTOLIVA de Tábua desenvolvem Compósito Antisséptico e conquistam segundo lugar na XI Mostra Nacional de Ciência

Jovens estudantes da Eptoliva, na Tábua, no distrito de Coimbra, desenvolveram uma solução desinfectante a …

A escola ou a escolinha (?). Autor: António Ferro.

Durante várias décadas, fui assistindo às mudanças (algumas drásticas e escusadas) no sistema de ensino …