“Estou preparada para ser a vossa presidente”

“É com prazer que dou a cara por um projeto ganhador”. Esta foi a primeira mensagem que Cristina Oliveira dirigiu aos oliveirenses na condição de candidata pelo PSD à Câmara Municipal de Oliveira do Hospital. Aconteceu ao final da tarde deste domingo na sessão de apresentação formal da sua candidatura, que contou com a presença do secretário geral do PSD, Matos Rosa e o presidente da Comissão Política Distrital, Marcelo Nuno, e durante a qual deixou bem vincada aquela que vai ser a sua postura no período que medeia até às próximas eleições autárquicas.

“Sou o novo rosto de Oliveira do Hospital. Estou preparada para ser a vossa presidente, porque esta terra merece tudo e muito mais”, clarificou a candidata à presidência da autarquia, que pretende devolver ao concelho “ o lugar de direito” a nível distrital que “lhe tem sido furtado por ausência de estratégia de quem o lidera”.

“Acredito que posso fazer diferente e melhor”, continuou confiante a candidata que promete para o concelho um projeto que assenta num “paradigma moderno de governação democrática”. No topo das preocupações da candidata surgem as 16 juntas de freguesia que “não podem ficar reféns das negociatas políticas”, pelo que conta apresentar um pacote de medidas de autonomia daquelas autarquias.

“Não basta distribuir dinheiro por distribuir”, considerou a candidata que no domínio das grandes opções do município entende que a grande prioridade é fixar e atrair gente a Oliveira do Hospital. Neste domínio o argumento da falta de dinheiro, invocado pelo executivo municipal, é que não convence a candidata porque “se há dinheiro para concertos, festas, almoços e autocarros e outras atividades lúdicas, porque é que não tem que haver dinheiro para investimentos estratégicos que permitam atrair empresas e criar emprego?”.

Cristina Oliveira critica assim a gestão municipal da equipa socialista, que acusa de “iludir as pessoas” por esperar pelo ano de eleições para fazer “à pressa obras de fachada”. “É necessário gerir melhor o que temos”, entende a candidata que, com orgulho, se assume social-democrata, notando que a solução passa por “construir bons projetos e aproveitar a máximo os programas europeus, porque é aí que está o dinheiro”. Por entre as várias farpas que dirigiu ao atual executivo municipal, Cristina Oliveira destacou a necessidade de se criar “uma marca identitária para o concelho” com o objetivo claro de criar riqueza. Um caminho que, entende a candidata, passará pela valorização do setor agro-aflorestal, tendo até em mente a criação de um centro de investigação florestal.

A aposta no turismo como setor âncora da economia do concelho também está entre os objetivos de Cristina Oliveira, que se revelou igualmente determinada em desenvolver no concelho uma visão estratégica na área da educação e formação e para a qual entende “fundamental” criar uma “política de apoio à autonomia do novo agrupamento escolar”. Também atenta à área social e acessibilidades, a candidata pelo PSD à Câmara Municipal de Oliveira do Hospital adivinha um “longo debate de ideias até às eleições”.

Cristina Oliveira avisa porém não estar disponível para uma campanha “assente em demagogia e maledicência”. “Quem faz caça ao voto difamando adversários não pode merecer a confiança dos eleitores”, registou Cristina Oliveira, considerando que “um político tem que ser verdadeiro”, pelo que “é preciso mudar a forma como se faz política em Portugal e em Oliveira do Hospital”.

“É preciso que Cristina Oliveira tenha a ajuda de todos”

Numa sessão onde sentiu a confiança da estruturas concelhia, distrital e nacional do PSD, Cristina Oliveira não contou com a presença de nenhum dos presidentes de junta de freguesia eleitos pelo partido, nem de deputados municipais, com exceção de Rui Abrantes, deputado municipal, que é vice-presidente da Comissão Política de Secção do PSD e chegou mesmo a dirigir a sessão de apresentação da candidatura de Cristina Oliveira.

“É preciso que Cristina Oliveira tenha a ajuda de todos”, chegou a afirmar o presidente da Comissão Política Distrital do PSD, num claro apelo à mobilização de “mais gente para a nossa causa”, porque “esta é a pessoa certa para recuperar Oliveira do Hospital do marasmo dos últimos quatro anos”.

“Acabou o paradigma do autarca inaugurador e cortador de fitas”, sustentou Marcelo Nuno que sem colocar em causa as qualidades do atual presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital – “acredito que seja bom homem”, disse – está certo de que “não se pode esperar mais dele, porque não sabe fazer mais”.

LEIA TAMBÉM

Requalificação da EN 17 arrancou hoje, sete meses depois de adjudicada, e publicidade a visita de Alexandrino merece criticas de Luís Lagos

O Presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino, visitou esta manhã …

José Carlos Alexandrino quer novo mandato para cumprir 150 medidas, entre elas baixar o IMI para o mínimo

José Carlos Alexandrino apresentou ontem no Jardim Oliveira Mano, na presençado ministro do Trabalho, da …