Hoje posso afirmá-lo com convicção! De um modo geral, o nosso concelho anseia por uma mudança.

Estou pronto para o desafio!

Estou ciente da responsabilidade que cai sobre os meus ombros ao aceitar ser o protagonista dessa vontade. Bem sei que ao assumir determinado compromisso a minha vida familiar, profissional e a disponibilidade para fazer outras coisas irão ficar prejudicadas. No entanto, sou um homem de luta, de trabalho e sobretudo de convicções.

Amo o meu concelho!
Sou social-democrata desde que me conheço. Ajudei sempre a construir alternativas que procurassem contribuir para o desenvolvimento do concelho.
Não necessito da política para ter protagonismo, visibilidade ou sequer promoção social. Em síntese, não preciso da política para sobreviver. O meu passado fala por mim. As pessoas conhecem-me e sabem que o que me move não é a ambição nem a conquista do poder pelo poder.
O que verdadeiramente me motiva, o que me dá forças e alento para continuar este projecto é saber que poderei contribuir decisivamente para o bem-estar dos oliveirenses, em especial dos mais jovens.

Irei ganhar as eleições dentro do meu partido.
Com esse voto de confiança, em devido tempo, assumirei as minhas responsabilidades perspectivando o futuro e tendo por base primordial o respeito que nutro por todos os militantes do partido social-democrata.

Parece-me oportuno explanar algumas das minhas ideias e objectivos que consolidem as tais mudanças que reputo de fundamentais para que o nosso concelho ganhe outra dinâmica e outra competitividade face aos grandes desafios que o futuro nos reserva.

Assim, entendo que:
Os autarcas do meu partido merecem toda a consideração, respeito e admiração. O desempenho do cargo de presidente de junta de freguesia e das suas equipas deve ser valorizado e apoiado. Ao serem convidadas determinadas personalidades das diversas freguesias a integrar o projecto do PSD é-lhes reconhecida a essas pessoas capacidade de trabalho e competência para executarem determinadas tarefas que promovam efectivamente o bem-estar das populações. Rejeito totalmente o papel secundário que é atribuído aos presidentes de junta e suas equipas que os leva, por vezes, a parecerem meros pedintes de dinheiros que até nem pertencem ao presidente da câmara, mas sim, são dinheiros de todos nós. Como tal, e sem discriminar ninguém, os líderes locais deverão ter mais autonomia a nível de recursos humanos e materiais que lhes permitam efectuar com celeridade, com qualidade e a mais baixos custos determinadas obras reclamadas pela população.

Está provado que esta metodologia devidamente sustentada por técnicos qualificados cria uma nova dinâmica e permite uma relação mais justa e equilibrada com o executivo camarário. Permite, ainda, e fundamentalmente, libertar o líder do município para os grandes objectivos e as grandes obras que o concelho necessita. Essa luta ganha-se junto das instâncias do poder regional e central.

É urgente que o líder do município se liberte do conforto do seu gabinete e se dedique com espírito de missão a outro tipo de tarefas. Comigo a descentralização será a palavra de ordem. Só nesta base de confiança, respeito mútuo e diálogo sei trabalhar!

Dentro das minhas disponibilidades tenho procurado dialogar com o tecido empresarial do concelho. Avalio positivamente o espírito empreendedor das nossas gentes e sei da sua disponibilidade para continuarem a investir em Oliveira do Hospital criando mais postos de trabalho e consequentemente mais riqueza.

É urgente aproveitar estas capacidades!
Através de muito diálogo e contrapartidas que o município tem obrigação de disponibilizar, estou convicto que todos os agentes de desenvolvimento irão aderir a este projecto, investindo no nosso concelho, tornando-nos, a curto/médio prazo um dos concelhos mais prósperos de toda a região centro.

O turismo é a indústria do futuro no nosso concelho. Como tal, importa urgentemente optimizar os inigualáveis recursos que possuímos.

É necessário pois, criar um conjunto de meios que permitam a divulgação e promoção turística a nível nacional e internacional.

É urgente criar novos pólos de atracção e uma oferta diversificada de actividade que por um lado atraia novos investidores e por outro seduzam um número significativo de visitantes a uma permanência prolongada no nosso concelho.

Com esta atitude, todos os sectores socio-económicos existentes irão sofrer um novo incremento.

A captação de novos e modernos equipamentos para o nosso concelho só se faz se o futuro presidente da câmara tiver disponibilidade para bater à porta certa e souber sensibilizar estruturas e organismos.

Entendo que as figuras grandes do nosso concelho que desempenham cargos de relevo devem ser chamadas a colaborar e a contribuir para a resolução dos problemas.

Pondo de lado as diferenças partidárias, é meu entendimento que esses oliveirenses podem contribuir para aquilo que todos ambicionamos!

UM CONCELHO CADA VEZ MELHOR.

Não me julgo dono e senhor de toda a verdade. No entanto, penso que unanimemente me é reconhecida sensatez, ponderação e capacidade de diálogo. Não sou centralista. Acredito nas virtualidades do trabalho de grupo.

As grandes decisões ganharão outra dimensão e credibilidade se forem partilhadas por grupos dilatados de pessoas, independentemente da sua condição económica, social e política.

Foi sempre assim que pautei a minha vida. Será assim que no futuro pretendo actuar com objectivos bem claros, com um rumo bem definido, mas também com a humildade, a tolerância e o respeito que todos os oliveirenses merecem.

Estou pronto para esse grande desafio!

José Carlos Mendes

LEIA TAMBÉM

Contrato e correspondência

Ofício da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital 1 Resposta de António Cardoso Ofício da Câmara Municipal …

“A Charanga” no Origens

O ORIGENS – Festival Cultural de Travanca de Lagos, em parceria com a OHsXXI – …