Eurodeputado do PCP Miguel Viegas visitou Oliveira do Hospital e prometeu confrontar partidos com as políticas de deslocação de serviços

Eurodeputado Miguel Viegas visitou Oliveira do Hospital e prometeu confrontar partidos com as políticas de deslocalização de serviços

O eurodeputado Miguel Viegas, eleito no Parlamento Europeu pelo Partido Comunista Português, esteve hoje em Oliveira do Hospital e visitou as instalações da ESTGOH, do Centro de Saúde, do Tribunal e do Mega Agrupamento de Escolas, acabando o dia na Biblioteca Municipal, onde fez, juntamente com elementos dos órgãos distritais, representados por Vladimir Vale e pela comissão política de Oliveira um balanço do dia. O eurodeputado promete levar o problema da deslocalização de serviços aos partidos.

“Visitámos uma meritória instituição de ensino (referindo-se à ESTGOH) que tem sido vítima dos cortes orçamentais. No Centro de Saúde paira no ar a hipótese de encerramento daquele serviço, o que faz com que os médicos não se queiram cá fixar. E acabámos no tribunal, onde as pessoas terão uma despesa acrescida devido à deslocalização de serviços”, referiu o eurodeputado, prometendo “confrontar os partidos sobre estas políticas”, defendendo que os serviços públicos devem criar maior investimento no interior.

Os elementos do PCP salientaram, mais uma vez, a sua preocupação com a possibilidade da passagem do serviço nocturno de urgências do Centro de Saúde para a Fundação Aurélio Amaro Dinis. Vladimir Vale, representante distrital do PCP, deixou mesmo um alerta à população, apelando para que lute pela defesa dos serviços públicos, antes de referir que esta visita a Oliveira do Hospital foi bastante produtiva. “Porque conhecemos os serviços e assim temos um maior conhecimento dos problemas”, rematou.

O representante da comissão política de Oliveira do Hospital, considerou que “há deputados a mais eleitos pelos partidos da oposição, tanto na Câmara Municipal de Oliveira do Hospital como nos restantes órgãos nacionais, e que, no caso concreto de Oliveira do Hospital, se está a aplicar uma ditadura”. João Dinis afirmou ainda que “o último ano em Oliveira do Hospital foi um ano perdido”. “Não vimos a CMOH na luta em defesa dos serviços públicos, apenas uma vez tal se verificou, que foi em defesa das freguesias. Mas se cá está a ESTGOH, o Centro de Saúde, o Tribunal e as Finanças nada foi feito pela CMOH” rematou.

João Cruz, representante da JCP, também não poupou críticas ao executivo liderado por José Carlos Alexandrino, dizendo que “o executivo apenas faz propaganda política e não uma real defesa dos serviços públicos”. O jovem da juventude comunista conclui interrogando o executivo “o orçamento da CMOH para 2015 tem um investimento mais elevado no desporto do que na acção social, é isto o tudo pelas pessoas?”, finalizou.

LEIA TAMBÉM

Tomada de posse dos órgãos autárquicos marcada pela tragédia dos incêndios e presidente reeleito aposta em “fazer renascer Oliveira do Hospital”

Não foi uma tomada de posse normal dos novos responsáveis pelo munícipio. Os discursos inflamados …

António Lopes apresenta denúncia no MP contra as autoridades do concelho oliveirense por entender que pode existir “crime de homicídio por negligência” na tragédia dos incêndios

O eleito à Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital, António Lopes, apresentou ontem uma denúncia …

  • JPCRUX

    foi um dia muito rico descobrimos assuntos que nem imaginavamos se puderem passar. O que mais choca é quando temos um executivo que não luta pela manutenção dos serviços públicos arricamos a ter uma cidade hoje para daqui a 10 anos termos uma aldeia.

    Saudações comunistas

  • Quem

    Os comodistas já visitam OHP, lindo lindo é vê-los a debitar a K7.
    Vão se encher de moscas para outro lado.

    Querem serviços públicos, porque o pouco que ainda lhes resta são funcionários públicos, porque o povo o trabalhador e o operário que tanto apregoam tão bem a lixar para vocês.

    Saudações democráticas, sabeis o que é ?