Ex-funcionária da Câmara protagonizou ‘duro ataque’ a presidente cessante

Pegando na reacção do candidato do PSD derrotado nas eleições autárquicas do último domingo, a ex-funcionária da Câmara Municipal – Isilda Cordeiro foi afastada da autarquia com aposentação compulsiva – fez uso repetido do termo “trapalhada” para criticar a própria postura do presidente da Câmara quando perdeu a presidência do município.

“Foi um discurso de pessoas prepotentes, azedas e incapazes de enfrentar uma derrota”, considerou Isilda Cordeiro, chegando a adjectivar Mário Alves de “ignorante, hipócrita, mentiroso e mal-educado”.

Com os episódios do seu afastamento da autarquia ainda bem frescos na memória, Isilda Cordeiro voltou a fazer uso daquele termo, para lembrar a Alves que com as “suas trapalhadas”, a obrigou a “trabalhar com trapos para sobreviver”.

“Não pense o senhor, que vai continuar a exercer trapalhadas, porque eu enquanto munícipe não vou deixar”, avisou a ex-funcionária que na própria noite de 11 de Outubro expôs na montra do seu espaço comercial o contentamento pela derrota de Mário Alves.

Ainda sobre a reacção de Alves na noite de domingo, Isilda Cordeiro convidou o presidente cessante a reduzir-se à sua “insignificância”. “Veja se tem vergonha naquilo que diz e bata nessa boca trapalhona”, sustentou.

Sem que o assunto merecesse a consideração de qualquer elemento da vereação, Mário Alves usou da serenidade para referir: “fique bem claro que, ao Mário Alves cidadão que não deve nada a ninguém, nem nada teme, não ofende quem quer, mas quem eu quero”.

LEIA TAMBÉM

Uma estória do “Reizinho” que era (muito) maior que a própria sombra… Ou a estória do aprendiz de Deus que se queimou no delírio da arrogância… Autor: João Dinis

– “O Município sou eu !  A oposição sou eu !  As eleições sou eu …

E o Debate de Ontem! Autor: Luís Lagos.

Ontem, confesso, sai do debate entre os candidatos à Câmara Municipal de Oliveira do Hospital …