Examinador da ABRSM vem sexta-feira à OHphicina das Artes avaliar 21 alunos

O examinador da Associated Board of the Royal Schools of Music (ABRSM), Stephen Carleston, vai estar na sexta-feira na OHphicina das Artes, em Oliveira do Hospital, para mais uma época de exames, em que serão avaliados 21 candidatos a músicos. Este ano, além dos próprios alunos, aquela academia de música oliveirense recebe também candidatos externos, dos concelhos de Mangualde e Santa Comba Dão. Esta é uma certificação realizada através de uma entidade independente e internacional.

“Os candidatos vão estar sujeitos a exames de instrumento organizados de forma progressiva, em 8 graus. Em cada grau, os candidatos apresentam peças de diferentes épocas e estilos musicais. Demonstram também um conjunto de competências técnicas aplicadas ao seu instrumento. Para além disso, são avaliadas outras capacidades, como a leitura à primeira vista e a formação auditiva”, refere um responsável da OHphicina das Artes, sublinhando que os músicos em causa vão ser avaliados em  Guitarra Clássica, Piano, Violino, Violoncelo, Flauta Transversal e Órgão.

Este acordo com a ABRSM permite a certificação dos alunos em linha com aquilo que se pratica a nível internacional. “Em alguns países esta certificação é bastante valorizada, inclusive no acesso ao ensino superior e em concursos para postos de trabalho em áreas diversas, não necessariamente relacionadas com música. Trata-se de uma certificação da formação musical dos alunos, reconhecida a nível internacional, e que atesta um conjunto de competências no que diz respeito à aprendizagem de um instrumento musical”, explica o mesmo responsável.

A Associated Board of the Royal Schools of Music é o principal sistema a nível mundial de certificação na área da música. Uma organização largamente respeitada e reconhecida conta com a confiança de professores e alunos de todo o mundo. A principal missão da ABRSM é a motivação e o incentivo de alunos e estudantes de música de todos os níveis. Aspira a promover a apreciação da música e o desenvolvimento musical através da prática, assim como nutrir e melhorar a qualidade do ensino e da aprendizagem de música. A ABRSM tem mais de 100 anos de experiência e conhecimento da área do ensino da música, e beneficia da autoridade de quatro dos principais conservatórios do Reino Unido: Royal Academy of Music, Royal College of Music, Royal Northern College of Music e Royal Conservatoire of Scotland.

Quem é Stephen Carleston?

Stephen Carleston trabalhou como professor, organista e maestro de grupos corais em várias cidades inglesas, incluindo Bedford, Frome (Somerset), Wolverhampton e Bournemouth. Em agosto de 2000, demitiu-se do cargo que ocupava (desde 1994) como Director do Departamento de Música da Rossall School em Fleetwood, no Lancashire, para abraçar a carreira de músico freelance. Desde essa altura que tem vindo a trabalhar em diferentes locais: foi, por exemplo, monitor de composição no Royal Northern College of Music Junior School de Manchester, Diretor Musical de Parish Church e maestro de dois grupos corais. Ensinou canto em duas escolas de Cumbria e foi nomeado, pela Royal School of Church Music, Coordenador Regional para o Noroeste da Inglaterra.

É um músico com várias solicitações para colaboração musical. Mas tem-se dedicado sobretudo à actividade de consultor de Direcção de Coros. É Maestro Convidado do Cumbria Baroque Choir e de Laudate, um grupo de cantores que actua juntamente com os coros residentes das catedrais em ocasiões festivas. Carleston continua também a dedicar-se à composição musical, à performance em teclado (como solista ou acompanhador), e à direcção coral e orquestral, sendo convidado regularmente a apresentar os seus trabalhos no Oxford Music Festival. Interessa-se particularmente por improvisação, tanto em órgão (sobretudo no estilo Francês), como em piano (sobretudo Jazz).

A sua primeira experiência musical de Stephen Carleston remonta aos tempos em que integrou o coro infantil do St. John’s College, Cambridge, na altura dirigido por George Guest, que viria a ser o seu primeiro professor de órgão. Ganhou de seguida uma bolsa para prosseguir os estudos de música no ensino superior. No Clifton College, em Bristol, estudou órgão, e ainda piano e violino, para além das outras disciplinas académicas que um curso superior de música pressupõe. Depois de concluídos os estudos estagiou, durante um ano, com Arthur Wills, que era então o organista da Catedral Ely. Foi nessa cathedral que Carleston desempenhou funções de Assistente de Organista, pelo período de seis meses, antes de realizar estudos de pós-gradução no St. Edmund Hall, em Oxford, que concluiu com Distinção.

 

LEIA TAMBÉM

Mistério do consumo de mais de 1300 litros de água por dia em casa desabitada em Andorinha continua e proprietários ainda não sabem se vão ter ou não de pagar

Câmara Municipal de Oliveira do Hospital facturou menos 40 mil euros de água para não onerar vítimas dos incêndios

A Câmara Municipal de Oliveira do Hospital facturou no último mês de Outubro menos 38.133 …

Voluntários da Ordem de Malta visitam vítimas dos incêndios em Oliveira do Hospital e ouvem críticas à actuação das autoridades e autarquia

Logo à entrada da Quinta da Porfía, Seixo da Beira, Oliveira do Hospital, os sinais …

  • João Paulo Albuquerque

    Parabéns à OHphicina das Artes pelo excelente trabalho desenvolvido. Isto é trabalho com “cabeça, tronco e membros”, infelizmente no concelho gostam é de bombos.

    JPA