Examinador da ABRSM vem sexta-feira à OHphicina das Artes avaliar 21 alunos

O examinador da Associated Board of the Royal Schools of Music (ABRSM), Stephen Carleston, vai estar na sexta-feira na OHphicina das Artes, em Oliveira do Hospital, para mais uma época de exames, em que serão avaliados 21 candidatos a músicos. Este ano, além dos próprios alunos, aquela academia de música oliveirense recebe também candidatos externos, dos concelhos de Mangualde e Santa Comba Dão. Esta é uma certificação realizada através de uma entidade independente e internacional.

“Os candidatos vão estar sujeitos a exames de instrumento organizados de forma progressiva, em 8 graus. Em cada grau, os candidatos apresentam peças de diferentes épocas e estilos musicais. Demonstram também um conjunto de competências técnicas aplicadas ao seu instrumento. Para além disso, são avaliadas outras capacidades, como a leitura à primeira vista e a formação auditiva”, refere um responsável da OHphicina das Artes, sublinhando que os músicos em causa vão ser avaliados em  Guitarra Clássica, Piano, Violino, Violoncelo, Flauta Transversal e Órgão.

Este acordo com a ABRSM permite a certificação dos alunos em linha com aquilo que se pratica a nível internacional. “Em alguns países esta certificação é bastante valorizada, inclusive no acesso ao ensino superior e em concursos para postos de trabalho em áreas diversas, não necessariamente relacionadas com música. Trata-se de uma certificação da formação musical dos alunos, reconhecida a nível internacional, e que atesta um conjunto de competências no que diz respeito à aprendizagem de um instrumento musical”, explica o mesmo responsável.

A Associated Board of the Royal Schools of Music é o principal sistema a nível mundial de certificação na área da música. Uma organização largamente respeitada e reconhecida conta com a confiança de professores e alunos de todo o mundo. A principal missão da ABRSM é a motivação e o incentivo de alunos e estudantes de música de todos os níveis. Aspira a promover a apreciação da música e o desenvolvimento musical através da prática, assim como nutrir e melhorar a qualidade do ensino e da aprendizagem de música. A ABRSM tem mais de 100 anos de experiência e conhecimento da área do ensino da música, e beneficia da autoridade de quatro dos principais conservatórios do Reino Unido: Royal Academy of Music, Royal College of Music, Royal Northern College of Music e Royal Conservatoire of Scotland.

Quem é Stephen Carleston?

Stephen Carleston trabalhou como professor, organista e maestro de grupos corais em várias cidades inglesas, incluindo Bedford, Frome (Somerset), Wolverhampton e Bournemouth. Em agosto de 2000, demitiu-se do cargo que ocupava (desde 1994) como Director do Departamento de Música da Rossall School em Fleetwood, no Lancashire, para abraçar a carreira de músico freelance. Desde essa altura que tem vindo a trabalhar em diferentes locais: foi, por exemplo, monitor de composição no Royal Northern College of Music Junior School de Manchester, Diretor Musical de Parish Church e maestro de dois grupos corais. Ensinou canto em duas escolas de Cumbria e foi nomeado, pela Royal School of Church Music, Coordenador Regional para o Noroeste da Inglaterra.

É um músico com várias solicitações para colaboração musical. Mas tem-se dedicado sobretudo à actividade de consultor de Direcção de Coros. É Maestro Convidado do Cumbria Baroque Choir e de Laudate, um grupo de cantores que actua juntamente com os coros residentes das catedrais em ocasiões festivas. Carleston continua também a dedicar-se à composição musical, à performance em teclado (como solista ou acompanhador), e à direcção coral e orquestral, sendo convidado regularmente a apresentar os seus trabalhos no Oxford Music Festival. Interessa-se particularmente por improvisação, tanto em órgão (sobretudo no estilo Francês), como em piano (sobretudo Jazz).

A sua primeira experiência musical de Stephen Carleston remonta aos tempos em que integrou o coro infantil do St. John’s College, Cambridge, na altura dirigido por George Guest, que viria a ser o seu primeiro professor de órgão. Ganhou de seguida uma bolsa para prosseguir os estudos de música no ensino superior. No Clifton College, em Bristol, estudou órgão, e ainda piano e violino, para além das outras disciplinas académicas que um curso superior de música pressupõe. Depois de concluídos os estudos estagiou, durante um ano, com Arthur Wills, que era então o organista da Catedral Ely. Foi nessa cathedral que Carleston desempenhou funções de Assistente de Organista, pelo período de seis meses, antes de realizar estudos de pós-gradução no St. Edmund Hall, em Oxford, que concluiu com Distinção.

 

LEIA TAMBÉM

Capoula Santos apresentou em Oliveira do Hospital novas medidas de apoio aos agricultores afectados pelos fogos

O Ministro da Agricultura apresentou, ontem, em Oliveira do Hospital, as novas medidas de apoio …

Oliveira do Hospital entre os concelhos com mais baldios ardidos no Distrito de Coimbra

A Associação Cooperação Entre Baldios do Distrito de Coimbra (Cobalco) assegurou hoje, em comunicado, que …

  • João Paulo Albuquerque

    Parabéns à OHphicina das Artes pelo excelente trabalho desenvolvido. Isto é trabalho com “cabeça, tronco e membros”, infelizmente no concelho gostam é de bombos.

    JPA