FAAD apela à solidariedade dos contribuintes

Pelo terceiro ano consecutivo, a FAAD apela aos contribuintes para que procedam à consignação de meio ponto percentual do IRS em prol daquela instituição. No ano anterior, o gesto valeu mais de 2500 Euros à instituição.

“O cidadão não paga mais IRS por esta via. Ao colocar no campo 9 do anexo H o Número de Identificação de Pessoa Coletiva 500746621, está apenas a decidir que 5 Euros em cada 1000 Euros sejam entregues à FAAD”, explica a administração da Fundação Aurélio Amaro Diniz que, por esta via, tem conseguido adquirir material hospitalar em falta.

“A aproveitar esta iniciativa, estamos a melhorar as condições disponibilizadas ao nossos utentes, potencialmente cada um de nós”, assegura o Conselho de Administração da FAAD, informando que “a disponibilização pela primeira vez do equipamento de MAPA resultou deste processo”.

As declarações entregues em 2013, referentes à coleta de IRS de 2012 resultaram num benefício de 2.560,14 Euros para a FAAD. “Agradecemos a ajuda de cada um”, refere a administração da FAAD.

O ato de consignação de 0,5 por cento do IRS não interfere com o montante a pagar ou com o reembolso a que cada contribuinte tenha direito. O 0,5 por cento é calculado na coleta, ou seja, o imposto total apurado antes de entrar em linha de conta com, por exemplo, a verba que já foi retida na fonte, portanto, pode ter direito a reembolso e mesmo assim poder consignar a tal percentagem a favor da FAAD. “Na dúvida, manifeste sempre essa pretensão, já que, se não houver lugar a esse cálculo, terá efeito nulo a pretensão”, aconselha a FAAD, informando ainda que a consignação é anónima.

A consignação de 0,5 por cento do imposto de IRS é uma medida prevista na lei que regulamenta estes atos de solidariedade.

LEIA TAMBÉM

Detidos incendiários em Viseu, Vouzela e Tondela

A Polícia Judiciária deteve um homem, de 41 anos, casado, servente de pedreiro, pela presumível …

IMT vai recorrer de decisão que declarou ilegal fecho de centro de inspecção automóvel de Seia

O Instituto de Mobilidade e Transportes (IMT) anunciou que vai recorrer das decisões judiciais que …