Faleceu Johan Cruyff, um nome maior do futebol

O ex-futebolista internacional holandês Johan Cruyff, de 68 anos, faleceu hoje, em Barcelona devido a um cancro nos pulmões. “Johan Cruyff faleceu em paz, em Barcelona, rodeado da sua família depois de uma dura batalha contra o cancro. É com grande pesar que pedimos que respeitem a privacidade da família durante este período de luto”, pode ler-se no site do antigo futebolista e uma das antigas estrelas do Barcelona.

Cruyff foi reconhecido como um dos maiores futebolistas da história do seu país e fez parte da selecção holandesa que chegou à final do Mundial de 1974, uma equipa que acabou por ficar conhecida como a ‘laranja mecânica’. Durante a sua carreira, alinhou pelo Ajax, Barcelona, La Aztecs, Washington Diplomats e Feyenoord.

Cruyff ganhou a Bola de Ouro por três vezes (1971, 1973, 1974). Ajudou o Ajax a conquistar a Taça dos Campeões Europeus em três ocasiões seguidas (1971, 1972 e 1973). Como treinador também marcou a história do futebol. Iniciou a carreira em 1985 no Ajax, transferindo-se depois para o FC Barcelona, que orientou durante oito temporadas e onde foi o mentor de uma forma de jogar que ainda hoje é a imagem de marca do clube catalão: o tiki-taka.  No Barça, conquistou quatro títulos seguidos (de 1991 a 1994) e uma Taça dos Campeões Europeus (antecessora da Liga dos Campeões) em 1992, a primeira da história do clube.

LEIA TAMBÉM

Mortes em acidente em Tábua no acesso ao IC6

Dois homens morreram hoje na sequência de uma colisão frontal entre duas viaturas ligeiras numa …

Funcionário público detido na região de Viseu por apropriação de objectos apreendidos judicialmente

PJ deteve em Trancoso desempregado por alegada violação de criança

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou hoje a detenção de um homem de 34 anos, em …

  • Portugal 0 – Bulgária 1

    Não me vou pronunciar sobre a exemplar figura em destaque, merecido, neste jornal.
    Apenas escrevo porque, hoje, sexta-feira, dia 25 de março de 2016, depois de um jogo de futebol, amigável, entre selecções de Portugal e da Bulgária, disputado em Leiria, ouvi um jogador da selecção portuguesa manifestar opiniões, no final do jogo, que envergonham qualquer jogador, com passado e presente, que se preze…e , em nada, dignificam aquilo que outros, de muito melhor memória, até esquecidos, fizeram por este desporto, ao longo de muitos anos…até neste país.
    Disse, o dito cujo, que”jogámos muito bem, estivemos muito bem, fomos a melhor equipa em campo”…etc,etc..
    Esqueceu-se de dizer que, mesmo amigavelmente, e com todos aqueles auto- atributos, perdeu por 1 a 0.
    Mas jogou bem.(?)
    Em tempos de quaresma, também me recordo de um outro candidato a qualquer coisa que disse a mesma coisa: a minha equipa foi a melhor em campo, fomos os melhores, somos os melhores…mas perdemos….porque “elas contam é lá dentro”.
    Por tudo quanto Joahn Cruyff trouxe ao futebol, e só por isso, seria bom que esta cambada de jogadores(?) de futebol percebessem, no mínimo, o que pode ser o futebol.
    E treinadores, e negociantes, também.
    Uma vergonha.