Feira de São Mateus em Viseu: secular e auto-sustentável financeiramente

Feira de São Mateus em Viseu: evento secular que este ano atinge a sustentabilidade financeira

A Feira de S. Mateus de Viseu, que começou a 8 de Agosto e termina a 14 de Setembro, vai ser auto-sustentável financeiramente, garante o presidente da Câmara, Almeida Henriques. “Neste momento, já podemos dizer que vamos ter uma Feira de S. Mateus auto-sustentável, isto é, que cobrirá a totalidade da despesa feita”, afirmou o autarca aos jornalistas, no final da reunião da Câmara de ontem, quando se referia a um certame que tem um orçamento a rondar um milhão de euros.

“Vamos ter, seguramente, a cobertura integral dos custos, o que significa que a Feira de S. Mateus gera mais-valia económica no concelho e não custa um cêntimo ao bolso dos cidadãos de Viseu”, sublinhou.

O evento termina este ano uma semana mais cedo, apesar de a Associação de Feirantes das Beiras ter promovido um abaixo-assinado a pedir que, à semelhança dos outros anos, durasse até 21 de Setembro. O autarca, porém, está convencido que o prolongamento do prazo poderia retirar a capacidade da Feira ser financeiramente acomodada. “Seria segurança, luz e aluguer do sistema de iluminação por mais uma semana. Respeito muito a iniciativa dos feirantes, temos dialogado muito, aceitado algumas sugestões, mas, neste caso concreto do prolongamento da Feira de S. Mateus, achamos que não faz sentido”, acrescentou.

O novo executivo decidiu ainda organizar pela primeira vez a Festa das Vindimas (de 18 a 21 de Setembro), assumindo Viseu como “capital vinhateira”, e comemorar o Dia do Município com dignidade. “O 21 de Setembro não será o dia do encerramento da Feira de S. Mateus, será o dia da comemoração da cidade, com a participação dos cidadãos”, realçou, garantindo que “estas opções não foram tomadas por capricho, foram devidamente ponderadas”.

Em 2015, a duração do certame deverá ser semelhante à deste ano e o autarca pretende dar uma orientação ao evento de forma a homenagear o emigrante. “Não quero transformar a Feira de S. Mateus na feira do emigrante, mas ela também é uma feira para os emigrantes. É uma feira para os emigrantes, para os cidadãos que vivem em Viseu dos diferentes estratos sociais e com diferentes gostos culturais. Terá de continuar a ser uma feira diversificada para poder agradar aos vários públicos”, acrescentou.

A Feira de São Mateus tem as suas origens muito provavelmente em 1932 e é actualmente a mais antiga de toda a Península Ibérica . Terá surgido como uma forma de D. João I comemorar o nascimento de D. Duarte .Mas existem, porém, registos de a mesma ter sido fundada por D. Sancho I, em 1188,  segundo as Memórias em respeito à cidade de Viseu, escritas em 1876, pelo Cónego Francisco Manuel Correia.

A importância da feira, já era nessa altura de grande importância, sendo visitada inclusive por Mouros que vinham do reino de Granada. No século XIX, passou por um período de declínio, chegando mesmo a acabar em 1916. Ressurgiu na década de 1920 e  realiza-se ininterruptamente até hoje. Actualmente está a decorrer é a sua 622.ª edição.

 

 

 

LEIA TAMBÉM

Tomada de posse dos órgãos autárquicos marcada pela tragédia dos incêndios e presidente reeleito aposta em “fazer renascer Oliveira do Hospital”

Não foi uma tomada de posse normal dos novos responsáveis pelo munícipio. Os discursos inflamados …

António Lopes apresenta denúncia no MP contra as autoridades do concelho oliveirense por entender que pode existir “crime de homicídio por negligência” na tragédia dos incêndios

O eleito à Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital, António Lopes, apresentou ontem uma denúncia …