Café Central

Fertavending culpa autarquia pelo arrastar do caso Café Central, diz que foi benevolente no acordo, e espera que os culpados sejam responsabilizados pelos prejuízos causados ao município

A empresa Fertavending responsabiliza a Câmara Municipal de Oliveira do Hospital pelo arrastar do processo do Café Central. Em comunicado, o empresário Nuno Pereira garante que sempre procurou chegar a um acordo aceitável, o que nunca aconteceu por culpa da CMOH. O empresário desmente ainda José Carlos Alexandrino que na altura do julgamento disse ter tido necessidade de alugar um autocarro para levar as testemunhas a Coimbra. “As testemunhas foram convocadas para videoconferência no tribunal de Oliveira do Hospital, não sendo necessário terem ido para Coimbra fazer despesa”, explica. O empresário vai mais longe e acusa a actual e anterior vereação de “terem lesado a CMOH e por sua vez a população do concelho”, os quais espera venham a ser responsabilizados, bem como todos os outros intervenientes no processo.

“Bastava terem activado a garantia de construção. Pois a CMOH não foi lesada só na indemnização, mas também na colocação de novo piso e obras feitas após a conclusão do Largo Ribeiro do Amaral”, esclarece no comunicado o empresário 23062010462 (Medium)Nuno Pereira. “Espero que tudo fique claro e encerrado, pois mais uma vez se provou que embora a muito custo a razão estava do nosso lado”, frisa.

A empresa Fertavending explica ainda que entre as várias reuniões para resolver os problemas, saíram documentos de compromisso em 30 de Setembro de 2010 e 20 Maio de 2011, “os quais nunca foram cumpridos por parte da CMOH”. “Achamos que a CMOH deveria ter resolvido o problema logo, o qual não o fez… Em Oliveira do Hospital foi o processo adiado por mais de quatro vezes e bastou ir uma vez para Coimbra para se decidir um processo que só poderia ser favorável à minha pessoa e a todos os que representaram a empresa”, sublinha, adiantando que poderia ter tirado partido do julgamento, mas achou por bem, escreve, “avançar, para benefício da CMOH, com uma proposta minimamente aceitável para não deixar ‘rolar’ mais o processo, tendo em conta possíveis juros que agravariam mais o valor que solicitei”. Refere ainda que o valor acordado a pagar foi de 13.035,97€, tendo em conta que a CMOH não tinha calculado o valor das cauções iniciais. “Embora o Sr. Presidente não tenha comparecido e com o julgamento já iniciado, foi o mesmo interrompido, para aceitar a minha proposta”, conta.020920111843 (Medium)

O empresário enfatiza ao longo do comunicado que não teve culpa no arrastar do processo. “Desde o dia 18 de Agosto de 2009, que sempre tentámos através do diálogo com a CMOH, resolver questões relacionadas com os defeitos de construção do edifício. Alguns problemas iam sendo resolvidos, mas os problemas de fundo, nunca o foram. Tal facto levou a que tomássemos medidas drásticas, como o não pagamento das rendas, após termos dado tempo suficiente para reparação das mesmas”, conta, referindo que sempre comunicou a quem de direito que deixaria de pagar as rendas, caso a CMOH, não resolvesse os problemas verificados e confirmados. “Nunca a empresa deixou de pagar as rendas por outro motivo a não ser esse”, diz.

“O Café Central, os proprietários, os familiares e os seus clientes, foram denegridos e prejudicados propositadamente, por falta de competência, dos responsáveis resolverem os problemas”, continua, justificando que chovia dentro das instalações, o acesso ao café esteve vedado ao público diversas vezes e os equipamentos não foram instalados desde o seu início, entre outros”, remata.

O final do caso, recorde-se, terminou com um acordo da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital que deu luz verde a 23 de Dezembro para o acordo conseguido em Tribunal. Ao que o CBS apurou, a dívida total resultante daquela 19062010451 (Medium)empresa ao município, entre juros e rendas, seria de 27 784,21 euros, mas, segundo o acordo aprovado pelo executivo de José Carlos Alexandrino, o pagamento será apenas de 16655,17, um valor a ser pago em 13 prestações. O acordo contou com os votos favoráveis dos vereadores José Francisco Rolo, Nuno Ribeiro e João Ramalhete e a abstenção do presidente da autarquia, José Carlos Alexandrino, e da vereadora da oposição, Cristina Oliveira.

LEIA TAMBÉM

Oliveira do Hospital recebe final da etapa da Volta a Portugal de homenagem às populações afectadas pelos incêndios e Marcelo acompanha caravana

A 80.ª edição da Volta a Portugal em bicicleta vai passar por alguns concelhos afectados …

FPF entregou casa reconstruída a família de Oliveira do Hospital

Uma família de Oliveira do Hospital recebeu hoje a casa onde vivia antes dos incêndios …

  • Guerra Junqueiro

    Caro Nuno Pereira;

    Isso era tudo muito bonito, caso tivesse saído e entregue o caso à justiça. Com essa atitude poderia ter alguma razão, pois ninguém o obrigou a permanecer com tais condições.
    O que se passou foi um entendimento com o Sr. Presidente que levou a este arrastar sem que ninguém ficasse lesado para além dos Oliveirenses.
    Esta tentativa de descolagem é bem entendida por quem sabe observar,
    Acabo com esta: “A mim, não me enganas tu”.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro

    • Observador

      Nem a mim Guerra Junqueiro.
      Já está negociado o posto na CCAM?

      • Mitómano

        “Borregou” porque os que lá estão também querem montar na burra..! Disseram ao Alex que “aquilo não era uma equipa de futebol nem um rancho folclórico”…Respondeu que era um “lutador e que ganhava sempre”..! E disseram-lho a ele, na cara… Os “administradores” nomeados já deram a volta ao texto. “Estão a cavalo na burra vão desmontar”???

        • Observador

          Só se fossem burros, o que não deve ser o caso.

  • Mitómano

    O que vale é que é sempre melhor para nós…Isto começa a ultrapassar todas as marcas…

    • Vão gozar outro

      Quais marcas? A marca Oliveira do Hospital com patente “Alex”? Essa é inultrapassável, infelizmente negativamente.
      Em Oliveira do Hospital vive-se bem, especialmente os que enganam o presidente que se quer deixar enganar.

  • Politicalex

    O ALex mentiu..? Não acreditoooo..! Não exigiu a garantia da obra? Não acreditoooo..! Porque terá sido? Disse que alugou um autocarro e as testemunhas foram ouvidas por video confrência? Não acreditoooo..! Ele sabe que um politico que é apanhado a mentir no exercício de funções se deve demitir..? Não acreditoooo..! Sr.Presidente:O Senhor acha que tem vida conhecimentos e carácter para isto..? Faça um favor a si próprio…vá para casa…já são muitas e cada vez mais feias..! Então não deu as listas das bandeirinhas ao Lopes, porquê..? Não justificou as razões para os ajustes diretos porquê? Não temos o direito de saber..?

    • Partido Socialista

      Saber o quê? Com esta maioria não temos que prestar justificações a ninguém.
      Quem manda somos nós, e quem se mete connosco apanha.
      O Lopes? Qual Lopes? Esse já foi de vela, e outros que mijem fora do penico levam o mesmo rumo.

      • Politicalex

        Fatal… e quem quiser “Xuxar” alguma coisinha, o melhor, é bater-nos palmas…falam falam mas os “nossos” é que se orientam…

  • Erasmo de Roterdão

    Fico na dúvida se conseguiram um acordo, se iniciaram uma “guerra”..! Anda por aqui gente durinha de cabeça…Por mais que se lhes explique…O “acordo” … foi feito com ou pela CMOH. o MOH. é algo mais…Coloco outra vez, o artº239 da Constituição..! Um dia vão chegar lá… Como para uma democracia madura são precisos 100 anos e para formar um verdadeiro “Lord” são precisas três gerações, há que ter paciência…

  • Politicalex

    Isto está a ficar bom. Discute-se a Assembleia no jornal, discute-se a Câmara no jornal.Toda a gente recorre às actas.O Debate está vivo e profundo..! E há quem não goste do CBS..! Será que não está a fazer um grande serviço ao Concelho..? Onde e que há disto..? Cuidem-se os políticos e arranjem cabelo forte ou capacete. Isto de por carecas à vista nunca esteve tão bom…

  • Inocêncio 15

    Seria bom saber quem foi a empresa que fez as obras .Algum problema ? Concerteza daria para perceber algumas coisas . Como se chama ? É a mesma do Mercado Municipal ?
    Já agora quem ficou com o granito em forma de cantaria que existia no jardim Dr. Oliveira Mano . O Vereador Rolo era oposição na altura . Qual foi o seu papel antes e agora ? Coloquem as questões como deve ser, que esta gente tem nome e cara . Alguma questão a esconder ?Podem esclarecer o puebo pensante ? O dono do Bar não pertence a uma empresa que é do filho do dono do Hotel S. Paulo que foi fechado e era e é o primeiro apoiante da actual Câmara ?

  • Questões

    Atacou o Alex com os negócios, mas no partido está calado como um sacho.
    Em que é que ficamos, vais ou não apoiar o Alex no futuro? Ou vais apoiar uma candidatura de modo a que ele volte a ganhar, como fizeste no passado?

  • UDC

    Processo vergonhoso. já agora o Municipio podia a presentar todas as despesas com este processo nomeadamente os Honorários ou estão incluidos na avença pelo que sei não, os numeros finais até podem assustar haja coragem paras os publicar.