Festa da Castanha prepara-se para voltar a atrair milhares de visitantes a Aldeia das Dez

 

Jazz, Fado e o contributo forte da Rede das Aldeias do Xisto diferenciam “o certame que já é uma referência nacional”.

Em terra de soutos, a castanha volta, pelo 11º ano consecutivo, a servir de mote àquele que já é entendido como um dos principais eventos do concelho de Oliveira do Hospital. Beneficiando de um palco privilegiado – Santuário de Nossa Senhora das Preces, em Vale de Maceira – a 11ª Festa da Castanha prepara-se para voltar a surpreender os milhares de visitantes que já fazem do certame, local de visita obrigatória.

Este ano, porém, com motivação maior. É que aliado ao já tradicional cartaz onde a castanha, a animação e o melhor da gastronomia combinam em perfeita simbiose, este ano há a registar a forte presença da Rede das Aldeias do Xisto, da qual faz parte a freguesia de Aldeia das dez, com particular destaque para o concerto de Jazz – X Jazz e o lançamento do CD “Outeiro” que acontece na noite de sábado, 20 de outubro, no emblemático Solar Pina Ferraz, e para o turismo aventura por via das rotas pedestres que estão a ser preparadas.

“A Câmara Municipal ao investir nestes eventos e ao trabalhar em parceria com a Junta de Freguesia e Rede das Aldeias do Xisto quer trazer gente a Oliveira do Hospital, com o objetivo de estimular a atividade económica concelhia”, afirmou ontem o vice-presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, aludindo ao facto de várias unidades turísticas aproveitarem este e outros eventos para a oferta de atrativos programas turísticos.

José Francisco Rolo, que partilha o pelouro do Turismo com o presidente da autarquia oliveirense, disse ser este o “desiderato” do município, que encara a Festa da Castanha como um evento “com tendência a crescer e a ser uma marca forte no calendário de eventos de Oliveira do Hospital”. “Queremos reforçar o conceito do venha e desfrute de Oliveira do Hospital”, sublinha o responsável, certo também de que a Festa da Castanha de Aldeia das Dez “é o reforçar do convite ao encontro de um Portugal genuíno, puro e autêntico”. “É o regresso às origens”, realça.

“Pensamos sempre num estado evolutivo desta festa”

Palavras que proferidas no cenário paisagístico que o Hotel Rural Quinta da Geia propicia foram partilhadas pelo presidente da Câmara Municipal que, olhando para o percurso trilhado pelo certame nos últimos 11 anos, tem agora a valorizar a adesão à Rede das Aldeias do Xisto.

“Pensamos sempre num estado evolutivo desta festa”, referiu José Carlos Alexandrino que colocando o certame ao nível dos melhores eventos concelhios, disse ser preocupação da Câmara Municipal incutir “qualidade aos eventos para que se possam vender e ser atrativos”, que – referiu – também se traduz em “maior investimento”.

Para além da importância da Festa da Castanha, Alexandrino tem a registar o enquadramento paisagístico em que a mesma decorre. “É a jóia da coroa”, notou, dando conta do interesse municipal em promover o turismo não apenas na freguesia de Aldeia das Dez, mas em toda a zona do Vale do Alva.

Sem a mínima dúvida de que a Festa da Castanha é “uma marca de referência nacional”, a presidente da Junta de Freguesia de Aldeia das Dez não deixou de registar o envolvimento de todos os que, ao longo de 11 anos, deram “visibilidade” ao certame que, apesar de ter sido fundado de “forma simples” – iniciou com vendedores a vender no chão”, notou – hoje “tem dimensão grandiosa”.

Às portas de mais uma edição do certame, Sónia Madeira já deu como certa a presença de 70 stands, dando conta porém de que o número tenderá a aumentar dada o interesse manifestado por um número cada vez maior de expositores. Elevadas expectativas são também as que – fruto da parceria estreita com a Rede das Aldeias do Xisto – a autarca deposita no cartaz cultural, em particular no concerto de Jazz e atuação de fadistas – Rosita e Firmino Pereira atuam no recinto de Nª Srª das Preces na tarde de domingo – bem como na presença do grupo Vivarte e participação de 25 alunos de turismo. “Os nossos jovens estão motivados e nós estamos cá para estimular esta feira, custe o que custar”, notou Sónia Madeira, confessando que o certame “mexe com verbas substanciais” e que, por isso, “é preciso um esforço para manter esta festa”.

Com a castanha a servir de mote à festa, o afamado fruto tem presença garantida. Para além de estar disponível para comercialização, a castanha vai reinar entre variadas iguarias gastronómicas, como a sopa da castanha, doces e licores de castanha. Do programa faz ainda parte a a realização de dois magustos.

O fruto não vai faltar, obrigando porém a a organização do certame a recorrer a produtores de fora, porque o tempo não tem sido favorável à produção abundante de castanha. “Encomendámos 450 quilos de castanha”, contou Sónia Madeira, assegurando que também os produtores locais terão possibilidade de transacionar o seu fruto no certame.

LEIA TAMBÉM

João Dinis acusa CM de Oliveira do Hospital de “negligência continuada” em estrada municipal

O membro da Assembleia de Freguesia da União de Freguesias de Ervedal e Vila Franca …

Dois detidos em flagrante em Tábua por cultivo de cannabis

O Núcleo de Investigação Criminal do Destacamento Territorial da Lousã deteve, ontem, dois homens com …