Festa do Queijo de Oliveira do Hospital é prova de que “as zonas do interior do país não estão condenadas”

O Queijo Serra da Estrela é, durante este fim de semana, rei em Oliveira do Hospital e na região. O certame que se espera de dimensão nacional arrancou, esta manhã, no Largo Ribeiro do Amaral, afirmando a importância que o afamado produto tem no desenvolvimento do concelho e da região.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOliveira do Hospital cumpre mais uma edição da Festa do Queijo Serra da Estrela e outros produtos locais de qualidade. Um evento que tem a assinatura do município de Oliveira do Hospital com a parceria do Turismo do Centro de Portugal e que é motivo de reconhecimento por parte de uma região que, esta manhã, acorreu em força ao centro urbano oliveirense. Autarcas de municípios da região, entre os quais os presidentes de Câmara da Figueira da Foz e presidente da Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra, João Ataíde e o autarca de Coimbra e presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses, entre outros representantes de instituições e organismos regionais disseram presente no certame que, este ano, tem associado um novo figurino, acontecendo pela primeira vez num emblemático espaço da cidade, o Largo Ribeiro do Amaral. Uma forte presença da região, reforçada pelo presidente do Turismo do Centro de Portugal, Pedro Machado e pelo secretário de Estado da Administração Local, António Leitão Amaro, em prol da dinamização do Queijo Serra da Estrela

Aliás, aquele é o propósito maior do certame. “Esta é uma festa/ feira que pretende prestar homenagem a todos os pastores e queijeiras que fazem este produto excelente, considerado uma das 7 maravilhas da gastronomia portuguesa”, afirmou esta manhã o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, agradecendo a dedicação de todos os “homens e mulheres que fazem este produto”, bem como os outros que também têm lugar de destaque na feira, como os enchidos, os licores, mel e outros produtos endógenos. Palavras que José Carlos Alexandrino proferiu na abertura da 23ª Festa, que encara também como um “motivo de encontro e de convívio” e tem associada uma “grande jornada de promoção de Oliveira do Hospital”. Sobre a deslocalização da feira para o Largo Ribeiro do Amaral, o autarca está certo de que “a cidade tem a ganhar, porque o negócio será transversal”. “Desejo que levem o melhor Queijo Serra da Estrela que não tenho dúvida que é o de Oliveira do Hospital”, disse numa saudação que dirigiu aos visitantes.

“O Queijo Serra da Estrela é um exemplo disso e que a todos deixa orgulhosos”

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA valorização que Oliveira do Hospital tem vindo a fazer, edição após edição, ao Queijo Serra da Estrela é para o secretário de Estado da Administração Local a estratégia acertada. “O caminho pelo crescimento do país faz-se produto a produto. Neste caso, o queijo faz-se pelas mãos dos pastores e produtores e é a partir dos recursos locais, muito trabalho, inovação, produção e exportação que a riqueza volta, se fixa e as pessoas ficam”, referiu António Leitão Amaro.  “O Queijo Serra da Estrela é um exemplo disso e que a todos deixa orgulhosos”, continuou o governante, satisfeito pelo facto de a feira “celebrar essa qualidade, esses produtos, essas oportunidades”.

Na inauguração de um certame que a organização quer de “dimensão nacional”, António Leitão Amaro disse que “é assim que podemos acreditar que as zonas mais interiores do país não estão condenadas, têm um caminho, um percurso a seguir a partir dos seus produtos, na venda de produção com qualidade e exportação”. Um caminho que o governante entende que só é possível graças aos “labor dos autarcas”. “O facto de não estar aqui apenas o autarca líder, mas também os de outros municípios à volta é sinal não apenas da força dos autarcas, mas também o espírito de cooperação que se vive”, sublinhou, entendendo que “é apostando nesta proximidade, a partir da colaboração de liderança e visão estratégica dos autarcas que transformaremos não apenas os produtos numa solução local, mas num fator de riqueza, turismo e crescimento económico”.

“Posiciona-nos pela diferenciação com um produto que é ex libris da nossa gastronomia”

Louvando a capacidade de organização da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, o presidente do Turismo do Centro de Portugal apreciou, sobretudo, o facto de com a Festa do Queijo, Oliveira do Hospital posicionar o próprio Centro de Portugal “no conjunto da oferta nacional”. “Posiciona-nos pela diferenciação com um produto que é ex libris da nossa gastronomia”, referiu Pedro Machado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara João Ataíde, autarca da Figueira da Foz e presidente da CIM da Região de Coimbra, Oliveira do Hospital com a organização da 23ª Festa do Queijo dá um “contributo muito sério para consolidar” a nova organização territorial. “Estamos aqui a maioria dos presidentes de Câmara que constituem a CIM com entusiasmo, porque constituímos uma região que quer crescer e que se quer desenvolver”, referiu.

Presidente da ANMP e autarca de Coimbra, Manuel Machado constatou em Oliveira do Hospital a importância do “trabalho de proximidade, das autarquias e das câmaras municipais”. “Esta é a motivação que nos leva a partilhar dificuldades e a vencê-las, construindo soluções melhores para vivermos melhor nas nossas comunidades. O trabalho é bem visível e eu próprio agradeço”.

A 23ª Festa do Queijo de Oliveira do Hospital decorre até amanhã, em pleno centro da cidade. Para além da venda de Queijo Serra da Estrela DOP, queijo de ovelha curado, produtos endógenos e artesanato, certame proporciona um vasto programa cultural e de animação.

LEIA TAMBÉM

Atropelamento mortal em Candosa, concelho de Tábua

Mulher morreu hoje em Oliveira do Hospital vítima de atropelamento na EN17 junto ao Lidl

Uma mulher, com 60 anos, morreu ao final da manhã de hoje na sequência de …

Detidos incendiários em Viseu, Vouzela e Tondela

A Polícia Judiciária deteve um homem, de 41 anos, casado, servente de pedreiro, pela presumível …

  • desalinhado

    Parabens ao municipio por mais uma grande festa do queijo. Na realidade penso que o evento e a cidade ficam a ganhar com a nova localização. São eventos como este que provam que há vida no interior.