Figuras: João Matos

… como sempre faço; as caricaturas de figuras conhecidas das artes, política e desporto prendem a atenção – fiquei mais tempo na recordação que tenho da Amália Rodrigues, mas há outras que nos são simpáticas (ou não…), como a do político Mário Soares. O empresário João Matos é o responsável por este “retiro” de múltiplos gostos.

Certa vez, um conceituado médico, pessoa solidária na profissão que exerce, nas horas vagas escritor e poeta com alguma fama, publicamente salientou este pormenor (que certamente lhe veio da alma), mais palavra menos palavra: “…quem vem de longe para a Beira interior com mais valias no alforge do conhecimento, merece todos os incentivos do poder instalado e o reconhecimento público do seu ofício…”!

O sentido da frase é por inteiro aplicado ao empresário João Matos – ilustre “desconhecido” dos clientes que diariamente frequentam a Pizzaria e Restaurante “Johnny’s”, em Oliveira do Hospital.

– “De vez em quando vinha passar férias a Percelada, que é a terra do meu avô, e fazia algumas visitas a Oliveira. Já conhecia esta casa como cliente e tinha ficado encantado com ela; uma vez li num jornal que havia um restaurante/ pizzaria para venda ou trespasse. Telefonei, e quando disseram que era aqui, em Oliveira, fiquei curioso. A minha surpresa, como imagina, foi enorme quando soube do que se tratava. Começámos a conversar sobre o negócio e quando dei por mim…já cá estava”!

Corria o ano de 2003. Depois do negócio efectuado, havia que dar nome ao novo espaço – ficou “Johnny’s”, porque “os meus amigos mais próximos tratam-me por “Johnny”…”. O sucesso foi imediato, graças à qualidade da cozinha, à simpatia de quem atende os clientes e à envolvência da decoração, deveras original na arte do artista Bruno Valada, que mostra, entre outras, uma expressiva caricatura do ex-presidente Mário Soares, já “cobiçada” sem sucesso para o museu da Presidência.

“Segredos” de um empresário de sucesso

Afinal, quais foram as mais valias que o jovem empresário colocou à disposição dos seus clientes?

– “Tirei o curso de Gestão de Empresas Turísticas e Hoteleiras na Universidade Lusófona em 1998, depois fui chefe dos serviços administrativos da Sport Zone, director da cadeia de restaurantes “Marcais”, estive no Porto durante um ano no grupo Pão de Açúcar, também como director, até que decidi fazer uma sociedade com um amigo e comprámos um restaurante na Marina de Cascais, onde também explorámos o bar: “Il Fatocatto”.

“Passado algum tempo, apareceu uma boa oportunidade de vender o negócio, e foi depois disso que decidi “emigrar” para Oliveira do Hospital, o que fiz com gosto e não me arrependo, trabalhamos bem e não nos faltam clientes. Trouxe experiência acumulada, e um excelente cozinheiro fez o resto: o “Johnny’s” passou a ser uma referência na região”.

Qualidade e competência, são os “segredos” de um empresário que apostou na diferença num mercado onde predomina a cozinha regional.

Entretanto, outros valores se levantam e João Matos apresta-se para dar outro rumo à vida e aos negócios “do outro lado do Oceano”:

– “Tenho a minha vida organizada por cá, estou a erguer uma casa, mas como entretanto casei com uma senhora portuguesa mas nascida no Brasil, onde está toda a sua família, os objectivos passaram a ser outros. A minha esposa tem um conceito de família muito forte e como é advogada, anda entre o Brasil e Portugal. Como qualquer casal, queremos ter filhos, por isso decidimos que o futuro passa por lá, pelas razões que apontei e ainda porque já fizemos alguns investimentos que queremos rentabilizar. O “Johnny’s” continua como sempre foi, nada mudou nem vai mudar, e só iremos para o Brasil depois de o negociarmos”. “Felizmente temos bons clientes, alguns deles têm uma frequência quase diária, o que não deixa de ser gratificante”.

Volto ao princípio: há o reconhecimento público do empreendedorismo realizado pelo João Matos, e o melhor incentivo que a sociedade podia conceder a um homem com o seu dinamismo é por demais evidente. No entanto, como referiu, “a família é um valor mais alto…”.

O poder instalado, no caso, deve estar honrado por poder apresentar aos visitantes uma “sala de visitas” com dignidade muito própria e categoria acima da média.

Oliveira do Hospital, na opinião de João Matos, é uma terra pacata, sem grandes movimentações, por isso “…acho que era melhor termos uma boa vila do que uma cidade “assim / assim”. Por vezes tenho stress por não haver…stress”!

Carlos Alberto

LEIA TAMBÉM

Papa Francisco prevê a sua própria morte para breve

Papa Francisco prevê a sua própria morte para breve

O Papa Francisco revelou hoje que não espera viver mais do que “dois ou três …

A figura: Joaquim Carvalheira de Almeida

A figura: Joaquim Carvalheira de Almeida

Em memória de Joaquim Carvalheira de Almeida voltamos a publicar um texto da autoria de …