“Filhos da Terra” elegeram Turismo e Gastronomia como principais áreas para desenvolver ideias de negócio

 

Ciência, Inovação e Conhecimento foram os motes que serviram de base a cada um dos grupos que, anteontem, participaram na última iniciativa das Competências para o Desenvolvimento, promovida pela Câmara Municipal de Oliveira do Hospital.

Contando com a participação da ainda ministra do Ambiente, Dulce Pássaro e do professor da Faculdade de Economia, da Universidade de Coimbra, José Reis – Paulo Campos não compareceu – a sessão de brainstorming resultou na apresentação de um conjunto de ideias de negócio que, entre outros aspetos, incidiu essencialmente em áreas como o turismo, a gastronomia e as energias renováveis.

“O meu compromisso é de sermos capazes de agarrar nestas ideias”, referiu o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, partilhando da importância de algumas das propostas apresentadas.

Numa intervenção, em que dava por concluída a sessão de brainstorming que decorreu à porta fechada, José Carlos Alexandrino voltou a defender uma “nova forma de criar riqueza no concelho” e, chegou a revelar que se encontra a negociar com “um grande grupo económico”, para que se venha a instalar em Oliveira do Hospital.

Para além do desenvolvimento de novas ideias, o presidente do município considera importante que se “enalteçam” os recursos humanos que existem em Oliveira do Hospital e, que “todos sejam capazes de dar o seu contributo”.

Apostado numa mudança de paradigma de desenvolvimento concelhio, Alexandrino revelou-se ambicioso ao referir que quer “um concelho altamente competitivo”.

Confiante de que algumas das ideias apresentadas terão aplicação prática, em particular as ligadas ao turismo e à área alimentar, o investigador e professor da Faculdade de Economia, José Reis, referiu aos jornalistas que “as pequenas regiões vão voltar a ter um lugar na economia e na sociedade”.

Para o oliveirense, natural de Aldeia das Dez, o país vai assistir ao que aconteceu há 30 anos e vai ser palco de “uma descentralização real e administrativa”. Quando tal se verificar, José Reis acredita que as ideias apresentadas “irão contar”.

Reconhecendo que o concelho “tem algum potencial”, a oliveirense Dulce Pássaro apreciou a mais valia das ideias apresentadas e elogiou o papel da Plataforma para o Desenvolvimento da Região Interior, que “é uma componente invulgar” num concelho como o de Oliveira do Hospital.

As preocupações ambientais vertidas nas propostas apresentadas sensibilizaram a ainda ministra do Ambiente, que verificou que “as escolas fizeram bem o seu trabalho”.

LEIA TAMBÉM

Primeiro-ministro vê nas biorefinarias uma “oportunidade” para aproveitar a floresta e elogia trabalho desenvolvido na BLC3

O primeiro-ministro destacou ontem na inauguração do Campus de Tecnologia e Inovação BLC3, em Oliveira do …

António Costa remete construção do IC6 para “quando haja condições financeiras”

O primeiro-ministro não se compromete com uma data para a construção do IC6 entre Tábua …