Fim de Emissão

O concelho de Oliveira do Hospital, situado a cerca de 30 quilómetros do sopé da serra da Estrela tem conhecido um progressivo afastamento da sua massa crítica para os grandes centros urbanos que oferecem uma maior diversidade e qualidade de empregos. Um processo natural que infelizmente não é fácil de contrariar.

É consequência de todos estes factores, que observei com desagrado, o fim da edição em papel de uma das referências jornalistas do meu concelho “O Correio da Beira Serra”.

Considero o “Correio da Beira Serra” uma voz activa que defende os interesses dos cidadãos, demonstrando o empenho na divulgação de ideias que depreendem um caminho mais sustentável, que promove o desenvolvimento e resulta numa maior atracção de mão de obra qualificada para o concelho.

Digo-o pela qualidade dos textos apresentados que sustentam a minha ideia que a democracia, perde a sua força quando não tem uma voz activa sustentada e com qualidade dos eleitores. Li as diversas publicações do jornal, com a atenção permitida por uma vida profissional atarefada, das quais realço dois textos, um descrito por Luís Torgal que aborda as problemáticas da educação em Portugal e outro de António Campos que mediante a sua experiência europeia como eurodeputado refere-se às mentalidades.

Infelizmente a qualidade paga-se e neste meio por vezes nem todos estão acessíveis e receptivos a percebê-la, aceitá-la e desembolsar algum dinheiro por ela.

Fica aqui o meu desejo que a edição mantenha o modo digital e o formato em papel volte às bancas brevemente. Na minha opinião o ego de Oliveira teria a ganhar com isso.

Tiago Sousa

http://mniadscrever.blogspot.com/

LEIA TAMBÉM

Cuidar dos pés das crianças é o mais importante. Autor: Francisco Oliveira Freitas

Os pés das crianças podem ser facilmente afetados devido à utilização de calçado mal ajustado, …

O verdadeiro papel do cuidador não é fácil. Autora: Ana Margarida Cavaleiro

A doença de Alzheimer é cada vez mais uma realidade na nossa sociedade. Esta condição, …