1. O meu Fora de Jogo onde fiz a escolha de um onze da década de setenta criou algumas reacções: umas positivas, outras negativas, já que muitos que eu indiquei sentiram-se lisonjeados pela minha escolha e já outros acharam que eu escolhi os meus amigos.

Fora de Jogo

2. Esses últimos têm toda a legitimidade de discordar das minhas escolhas, pois estas são sempre subjectivas e dependem da perspectiva de cada um. Um bom jogador é o que tem raça, é aquele que tem uma capacidade técnica elevada, é aquele que joga de primeira, é aquele que tem um bom drible, é aquele que tem postura táctica e poderia ainda enumerar mais cem atributos que não conseguiria definir um bom jogador.

3. Ainda há pouco tempo houve a escolha do melhor jogador da UEFA, tendo sido escolhido em primeiro Káká, em segundo Messi e em terceiro o nosso Cristiano Ronaldo. Todos nós achámos e eu também, que o Cristiano Ronaldo pelo menos merecia o segundo lugar. Não o entenderam os elementos que votaram.

4. É nesta pluralidade de opiniões que cada pessoa tem a sua visão e ainda as suas convicções. E nesse aspecto não quero ser melhor nem pior que os outros. Sou eu próprio.

5. Nas críticas que me eram feitas, diziam que eu indiquei os meus amigos do Ervedal, Vila Franca e Seixas. Esqueceram-se que indiquei elementos da Lageosa, Oliveira, Nogueira do Cravo e nos suplentes havia até elementos de outros concelhos.

6. Por acaso até quase todos são meus amigos e eu fico muito contente por isso, pois mostra que no desporto podem-se e devem-se criar amizades que resistem durante o tempo. Mas ninguém pode dizer que aqueles que eu indiquei, não eram excelentes jogadores. Todos o eram e tive um orgulho imenso em jogar ao lado de alguns. Velhos tempos que já só servem para recordar.

7. Brevemente farei uma escolha dos anos cinquenta e sessenta e outra dos anos oitenta. Lógico que a primeira será indicada por algumas pessoas desse tempo, numa recolha cruzada de informações. A ideia está em marcha e será mais um desafio.

8. Uma palavra para o excelente jogo de futsal entre o F.C. Oliveira do Hospital e o Nogueira do Cravo, fazendo uma boa propaganda para esta modalidade. Neste concelho ainda há pessoas capazes de colocar projectos em andamento e o futsal é um bom exemplo.

9. Luís Silva, Luís Pais, Julinho, Telmo, Pombo, Artur, Zé e outros que já tinham abandonado o futebol de onze, mostram ainda classe no futsal. Costuma-se dizer “Que quem sabe nunca esquece”. Gostei de os ver jogar e por isso continuem, não se deixem ficar Fora de Jogo.

José Carlos Alexandrino

LEIA TAMBÉM

Cid Teles, a cigarra do Triste Fado: Possíveis influências. Autor Renato Nunes

Não é fácil identificar as influências de um indivíduo. Ainda assim, o estudo dos seus …

Valorizar os sinais de sofrimento psicológico é o primeiro passo para evitar o suicídio. Autor: Joaquim Cerejeira

Uma pessoa em cada 40 segundos comete suicídio. É esta a estimativa que a Organização …