Em nova jornada dupla, o Sampaense repetiu a dose que tem vindo a conseguir nestes fins-de-semana a dois jogos, uma derrota fora frente ao Benfica e uma importante vitória em casa frente ao Seixal.

Fracos em Lisboa, mas eficazes em casa

Benfica 73 – Sampaense 45

Imagem vazia padrãoNo passado sábado a equipa do Sampaense realizou aquela que já se antevia ser a mais difícil deslocação a pavilhões adversários. Mesmo ao lado do Estádio da Luz, no pavilhão Açoreana, a equipa de S. Paio de Gramaços defrontou o primeiro classificado da Proliga, equipa recheada de grandes jogadores e com um orçamento muito acima de qualquer outro nesta competição.

A partida foi desde início controlada pela formação da águia. O Benfica soube pegar no jogo e ser sempre dominante quer defensiva, quer ofensivamente. Sem argumentos de peso debaixo do cesto, o Sampaense não conseguiu tirar frutos do jogo exterior devido a um desacerto assinalável. Demonstrando uma grande ingenuidade, os beirões vão para o intervalo a perder por 36-15, depois de terem somente conseguido fazer 3 pontos no segundo período.

Na segunda parte do jogo nada mudou. O Benfica foi sempre superior, António Tavares estava demolidor e os visitantes pareciam estar sem orientação, tentando jogar sempre num esquema de contra-ataque, mas que maior parte das vezes só davanova posse de bola à equipa da casa.

A história do jogo foi bastante simples, mesmo sem fazer uma exibição brilhante o Benfica levou de vencida um Sampaense desinspirado, nervoso e que já entrou no campo derrota pelo espírito pouco determinado dos seus atletas.

A partida terminou com o resultado de 73-45 e salvou-se o ambiente de festa, deixado quer pelos adeptos da casa quer pelos adeptos do Sampaense que estiveram no pavilhão Açoreana.

O MVP da partida foi António Tavares com 26 pontos e 3 ressaltos.
Em destaque no Sampaense estiveram Dustin Brown com 11 pontos e 6 ressaltos e Dário Mourato com 10 pontos e 3 ressaltos.

Sampaense 74 – Seixal 51

Após a cansativa viagem a Lisboa, a equipa do Sampaense tinha, quase que obrigatoriamente, vencer o Seixal, correndo o risco de ver os seus atletas cair numa desmotivação que em nada viria a ajudar nesta fase da época. Gradeço juntou as tropas e o resultado foi visível em campo.

A primeira parte do jogo foi muito equilibrada, as formações encaixaram-se de forma muito consensual e viu-se de ambas as partes muitas perdas de bola, que causaram a sensação de que o jogo estava a ser muito mal disputado. Sem nenhuma das equipas a ganhar qualquer tipo de destaque, foram os erros mútuos que levaram o jogo para intervalo com o Seixal a vencer por 1 ponto. No final dos primeiros 20 minutos o resultado no marcador foi de 31-32.

Na segunda parte o Sampaense acordou da letargia em que se encontrava, imprimiu maior acerto e velocidade ao seu jogo ofensivo e com naturalidade garantiu alguma vantagem na pontuação. O Seixal não reagiu o suficiente, deixou os jogadores da casa assumirem uma postura vencedora e, com muita garra, o Sampaense escalou no marcador deixando a defensiva Seixalense a revelar uma acentuada quebra física nos minutos finais do jogo.

Vitória importante e justa para a formação beirã por 74-51, facto que deixa ainda em aberto uma classificação para os “play-off”.

O MVP da partida foi Dustin Brown com 18 pontos e 19 ressaltos. Igualmente em destaque estiveram Justin Marshall com 16 pontos e 2 ressaltos e João Rosado com 12 pontos e 5 ressaltos.

Nos visitantes destacaram-se Denis Neves com 15 pontos e Braima Freire com 13 pontos.

Por: pnv

LEIA TAMBÉM

Gouveia recebe Campeonato Mundial Trial de motos

O Parque da Senhora dos Verdes, em Gouveia, vai receber, entre os dias 23 e …

Luís Mota voltou a vencer as 100 milhas do Oh Meu Deus – Ultra Trail Serra da Estrela

O atleta Luís Mota, do Clube do Benfica de Abrantes, venceu as 100 milhas do …