GIP empregou cinco pessoas e encaminhou 45 para ofertas de emprego

 

Os números foram revelados na última reunião pública do executivo de Oliveira do Hospital pelo vice-presidente da autarquia, José Francisco Rolo, quando apresentava um primeiro relatório de actividades do Gabinete de Inserção Profissional (GIP).

Datado de 26 de Fevereiro, o documento referia ainda que 85 pessoas beneficiaram de informação profissional para jovens e adultos desempregados e 45 foram encaminhadas para ofertas de emprego.

Paralelamente, o GIP tem ao dispor 58 ofertas de emprego e actividades de colocação e 11 postos de trabalho decorrentes de ofertas de emprego captadas junto de entidades empregadoras.

Para além desta actividade, o gabinete coordenado pela socióloga Olga Nunes – a técnica obteve 40 horas de formação profissional específica no Centro de Emprego de Arganil – encaminhou 15 pessoas para medidas de apoio ao emprego, qualificação e empreendedorismo e 28 para ofertas de qualificação. No total, são ainda 28 as pessoas que se encontram inscritas em vários cursos de formação.

Pelo GIP passa ainda o controlo de apresentação periódica dos beneficiários das prestações de desemprego. Permite também que, naquele local, as empresas procedam à abertura de vagas de trabalho.

“Fomos nós que lhe demos dinâmica, melhorando as instalações e dando-lhe alguma autonomia”

Em reunião do executivo, o vereador do PSD Mário Alves advertiu o presidente da Câmara para o facto de que o GIP só existe porque “tinha sido assinado um protocolo pelo anterior executivo”. “Teria sido bom que referisse isso na Assembleia Municipal”, considerou.

Perante a apreciação do ex-presidente da Câmara, José Francisco Rolo também lembrou que “em tempo” reivindicou uma candidatura ao GIP e não é por isso que toma como seu o mérito.

Assegurando não querer ficar com os “louros” que não lhe pertencem, o presidente da autarquia disse que não haveria problema nenhum em referir tal facto na Assembleia Municipal, mas clarificou que foi o seu executivo que deu “dinâmica” ao GIP, “melhorando as instalações e dando-lhe alguma autonomia”.

“Têm sido resolvidos muitos problemas”, observou José Carlos Alexandrino, informando que “todos os dias passam pela Câmara 20 pessoas que são encaminhadas para o GIP”.

LEIA TAMBÉM

IMTT encerrou Centro de inspecções automóveis de Seia do Grupo CIMA, empresa fala de decisão desproporcionada

O IMTT encerrou na segunda-feira o centro de inspecção da Cima (do Grupo TAVFER de …

Cerca de 30 por cento da mão-de-obra de multinacional espanhola instalada em Nelas é do concelho de Oliveira do Hospital e vai continuar a contratar

A multinacional Covercars, uma empresa que fabrica componentes automóveis, que ontem inaugurou as novas instalações, …