Condutor de quadriciclo detido em operação que envolveu 36 militares da GNR

… resultou da operação stop realizada ontem, entre as 16h00 e as 21h00 em quatro pontos de acesso à cidade de Oliveira do Hospital e na qual estiveram envolvidos 36 militares do Destacamento Territorial da GNR da Lousã.

Com o objectivo de identificar situações de furto e outros crimes, com vista à detenção de armas ilegais e tráfico de droga, a GNR desencadeou ontem uma mega operação policial que resultou na fiscalização de 208 veículos e na realização de 113 testes de alcoolemia. Para além da detenção do condutor do quadriciclo – foi hoje presente a tribunal – os militares identificaram também mais dois condutores com excesso de álcool (0,85 e 0,98 gr/litro de sangue) entrando por isso em contra-ordenação e levantaram 19 autos à legislação em vigor, com destaque para situações de condutores sem documentos ou irregularidades no que respeita ao uso do cinto de segurança, inspecções, seguros, excesso de velocidade, entre outros.

Sem que tivesse alcançado o objectivo a que se predispôs – foi identificada apenas uma situação presumivelmente ligada a furtos e droga – a GNR considera que a operação foi bem sucedida. “Em 113 testes de alcoolemia, apenas três deram resultado positivo. São números com os quais não nos devemos alarmar”, referiu ao correiodabeiraserra.com, o sargento-mor Lucénio Martins, do Destacamento Territorial da GNR da Lousã. Quanto à inexistência de situações de furto e outros crimes, o responsável referiu que “ou as pessoas não apareceram, ou o crime não existe”.

A “rusga” teve inicio a meio da tarde e a GNR justifica o horário escolhido com o argumento de que “é preciso quebrar rotinas”, já que as pessoas “estão habituadas a este tipo de operações à noite e ao fim-de-semana”. “Optámos pelo horário normal de trabalho”, referiu Lucénio Martins, sublinhando que o objectivo é o de levar as pessoas a terem sempre em atenção as normas de trânsito. “A noite é sempre importante, mas o dia não pode ficar esquecido”, acrescentou.

Na operação realizada ontem, estiveram representados militares das áreas da protecção ambiental, da investigação criminal e da fiscalização rodoviária, pelo que o transporte de resíduos e sucatas também esteve na mira dos militares, sem que no entanto tivessem registado qualquer irregularidade nas estradas oliveirenses.

À semelhança do que aconteceu em Oliveira do Hospital, nos restantes concelhos da área do Agrupamento Territorial da GNR da Lousã também é habitual este tipo de operações.

LEIA TAMBÉM

Atropelamento mortal em Candosa, concelho de Tábua

Mulher morreu hoje em Oliveira do Hospital vítima de atropelamento na EN17 junto ao Lidl

Uma mulher, com 60 anos, morreu ao final da manhã de hoje na sequência de …

João Paulo Albuquerque acusa PS por não concluir IC6, pelo menos, até 2030

João Paulo Albuquerque considera que o IC6 não é uma prioridade, mas sim uma necessidade …