Gouveia, Fornos de Algodres, Mangualde e Nelas constituem rede para alavancar desenvolvimento com ajuda de instituições do ensino superior

O Instituto Politécnico da Guarda (IPG) é uma das instituições, juntamente com os politécnicos de Castelo Branco, Coimbra e Viseu e pelas universidades da Beira Interior e de Trás-os-Montes e Alto Douro, participantes na Rede de Território do Alto Mondego que engloba os municípios de Gouveia, Fornos de Algodres, Mangualde e Nelas. O objectivo, desta entidade constituída na terça-feira, é criar a operacionalização de uma parceria visando o desenvolvimento de uma rede de territórios que “permita alavancar a implantação de um novo tecido económico, tendo por base dinâmicas de criatividade, inovação, empreendedorismo e internacionalização, bem como contribuir para a criação de valor económico e social a partir dos recursos endógenos que constituem a matriz identitária dos territórios subjacentes”.

“A Rede de Territórios do Alto Mondego é constituída pelos quatro municípios [dos distritos da Guarda e de Viseu] que balizam a matriz de intervenção territorial do projecto, numa ótica de parceria e desenvolvimento de pólos de competências para revitalização e capacitação de negócios e iniciativas empresariais focadas nos produtos endógenos”, refere, por seu lado, o município de Gouveia em comunicado, adiantando que com o protocolo, celebrado na terça-feira em Gouveia, a Rede de Territórios do Alto Mondego irá submeter, numa fase inicial, uma candidatura a fundos europeus para um projecto de investimento estimado em 6,2 milhões euros.

“A captação de financiamento público e privado, materializando investimentos produtivos, com efeito multiplicador na economia local, é o principal objectivo definido para a Rede Territorial do Alto Mondego”, assinala ainda a autarquia, referindo que município de Gouveia pretende desenvolver a fileira agro-pastoril e o de Fornos de Algodres a fileira do azeite. Já a autarquia de Mangualde desenvolverá acções na área da fruticultura e a de Nelas no sector do vinho.

Além dos estabelecimentos de ensino superior, são também parceiros institucionais o IAPMEI – Agência para a Competitividade Inovação, o AICEP Portugal Global – Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, a Direcção Regional de Cultura do Centro e a Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal.

“O IPG tem o dever de colocar ao serviço da sociedade em geral e das instituições e empresas o know-how que detém, seja através das competências profissionais dos seus recursos humanos, seja de equipamentos laboratoriais que possui”, sublinha o Presidente do Instituto Politécnico da Guarda, Constantino Rei, considerando que o envolvimento da instituição nesta rede “é também o reconhecimento das entidades promotoras, do papel fundamental que o IPG e as restantes Instituições de ensino superior devem ter para o desenvolvimento de projetos que revistam interesse e relevância para o desenvolvimento económico e social da região”.

LEIA TAMBÉM

José Carlos Alexandrino assume como certa a conclusão do IC6 no próximo mandato

O presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital dá como certa a conclusão do …

Mulher encontrada morta dentro de um poço em Nelas

Uma mulher de 61 anos foi encontrada hoje morta dentro de um poço, na localidade …