Governo Civil avança com acompanhamento permanente às empresas

Para o efeito, tem em fase de conclusão, um projecto que – segundo nota de imprensa enviada ao correiodabeiraserra.com – será “nos próximos dias, colocado à consideração dos parceiros sociais”, que são entendidos como uma “peça fundamental para o bom prosseguimento dos objectivos propostos”.

Como já tinha sido, anteriormente, anunciado por aquela estrutura governativa dirigida por Henrique Fernandes, o novo mecanismo será composto por um Observatório e uma Unidade de Acompanhamento Permanente que vai ainda contemplar um Sistema de Alerta Rápido capaz de sinalizar as situações mais problemáticas e dar-lhes o devido encaminhamento.

Dando o exemplo concreto do recente desfecho das negociações entre o Estado, o Sindicato e a Cerâmica CERES, em Coimbra, entendida como uma “medida concreta e de referência, com vista à viabilização da empresa e à salvaguarda de 170 postos de trabalhos”, Henrique Fernandes considera que o “resultado encoraja, pois, a formalização de uma Unidade de Acompanhamento Permanente, no sentido de dar maior efectividade e alargar o âmbito e profundidade das parcerias sociais”.

Para a prossecução dos objectivos definidos, o Governo Civil de Coimbra defende a interface entre as empresas, os sindicatos e a estrutura governativa, numa lógica de filosofia social.

É ainda intenção de Henrique Fernandes avançar com a criação de um espaço alojado no site do Governo Civil, no qual será disponibilizada informação quanto às medidas do Governo, no âmbito do apoio ao investimento e ao emprego, bem como um mecanismo de agendamento de reuniões.

LEIA TAMBÉM

Dominado fogo que hoje se reacendeu em Tábua

O incêndio florestal que deflagrou na terça-feira no concelho de Tábua, que esteve em fase …

Incêndios destruíram mais 500 hectares em Seia

Incêndio de Tábua reacendeu-se e mobiliza centenas de bombeiros

O incêndio que ontem deflagrou em Tábua, está novamente activo. O reacendimento aconteceu ao início da tarde …