Guarda lidera em irregularidades nos lagares de produção de azeite

A GNR, através do Serviço de Protecção da Natureza e do Ambiente, registou 67 contra-ordenações e identificou 47 suspeitos em acções de fiscalização em lagares de produção de azeite, com o Distrito da Guarda a liderar com 16 contra-ordenações e 12 suspeitos identificados. Coimbra, o distrito de Oliveira do Hospital, teve quatro contra-ordenações e foram identificados quatro suspeitos. As acções de fiscalização decorreram em instalações de produção de azeite entre 9 de Novembro último e 31 de Janeiro, informou hoje a GNR.

A acção, denominada Operação “Lagareiro”, permitiu detectar situações de incumprimento no funcionamento, licenciamento, encaminhando e gestão de resíduos na produção de azeite. Segundo a GNR, as principais infracções verificadas prendem-se com “rejeição de águas degradadas directamente para o sistema de disposição de águas residuais, para a água ou para o solo, sem mecanismos que assegurem a sua depuração”, “falta de comprovativo de cumprimento dos valores limites de emissão” e “falta de controlo metrológico (balanças) “. A GNR indica que foi ainda registado um crime em Leiria, por contaminação de nascente fluvial com águas ruças provenientes de lagar, tendo sido identificado o responsável.

A seguir ao distrito da Guarda surge Viseu, com nove contra-ordenações e sete suspeitos, é o segundo distrito com mais infracções. Évora (com oito contra-ordenações e quatro suspeitos identificados) e Beja (sete contra-ordenações e quatro suspeitos), Portalegre (sete contra-ordenações e dois suspeitos), Castelo Branco, Bragança, Coimbra, Leiria, Santarém e Vila Real foram outros distritos onde a GNR encontrou irregularidades.

 

LEIA TAMBÉM

Incêndios causaram mais de 10 milhões de euros de prejuízos em Seia

Os prejuízos financeiros causados pelos incêndios dos dias 15, 16 e 17 de Outubro no …

idosos

Idoso desaparecido em Trancoso

Os Bombeiros e a GNR estão a procurar um homem de 90 anos que foi …