Hipermercados: Chegaram os tubarões! Acautele-se o peixe mais pequeno… Autor: João Dinis, Jano

Falo dos dois recém-instalados hipermercados na cidade de Oliveira do Hospital. Chegaram os tubarões! Que se acautele o peixe mais pequeno…

Bem sei que o que vou dizer é quase como escrever no molhado tal é a força imposta pela política do consumismo. Mas também percebo que as dificuldades financeiras da grande maioria das Pessoas as faça correr atrás de gato por lebre… Quem é que se preocupa em saber de onde vem ou como é produzido, por exemplo, aquilo que compra para comer e beber? Quem tem disponibilidade financeira e informação correcta para ser “esquisito”, digamos assim?

Estes dois novos hipermercados pertencem a dois grandes grupos empresariais do ramo. Ambos detêm já mais de 60% do total do movimento total gerado pelos hipermercados em Portugal. São hegemónicos. Exercem uma verdadeira ditadura comercial. Usam e abusam de práticas comerciais ilegítimas muitas vezes até a roçar a margem da lei (que entretanto é mais do que dócil para eles…). Práticas comerciais desleais que esmagam a concorrência e que abatem a produção nacional e não só em bens agro-alimentares. É uma tendência geral. Constituem um verdadeiro monopólio. São um Estado dentro do Estado. Entretanto, vão pagar os impostos (…) fora de Portugal… São pouco ou nada patriotas mas gostam de arrotar postas de pescada sobre vários assuntos cá do nosso País. São uns “artistas”. Quem não os conhecer que os compre… O problema é que são eles quem compra o poder político dominante. Tem sido os sucessivos governos a licenciar a instalação destes hipermercados sem passarem charuto aos pareceres dos Municípios.

Como tubarões que são comem o peixe mais miúdo. Os outros (pequenos…) hipermercados cá do Burgo que comecem a embalar a trouxa. Aqui não há clemência nem milho para pardais.

Ambos são prejudiciais para a economia geral do Concelho. Vão acabar de arruinar a pequena e médias concorrências em vários ramos. Vão deitar fora vários dos fornecedores da região que “eles” têm as suas enormes redes de grande distribuição, aliás, baseadas nas importações nomeadamente em bens agro-alimentares. Vão provocar um grande aumento do desemprego. E como nem sequer pagam impostos em Portugal muito menos os vão pagar à Câmara.

Mas a euforia popular em torno destes templos ao consumismo – e pode-se falar assim – tem sido o seu maior trunfo. As Pessoas vão passear até aos hipermercados. Vão cobiçar as montras. Até deixaram de ir ao futebol ao Domingo que estes tubarões fizeram com que os vários governos subservientes os autorizassem a estar abertos ao Domingo…

Esta situação há-de mudar um dia. Quando não sei. Mas chegará a hora em que os tubarões se comerão uns aos outros também.

Um dia, as Pessoas perceberão – se para isso forem devidamente informadas – que tudo isto é pouco mais do que fogo de vista e só impressiona (engana) quem vai no engodo.

janoentrev2Autor: João Dinis, Jano

LEIA TAMBÉM

Presidente da Junta de Travanca de Lagos demitiu-se

O presidente da Junta de Freguesia de Travanca de Lagos, António Soares, apresentou hoje a …

Fazer contas à vida. Poupar para multiplicar. Autora: Tânia Vieira

No contexto actual, conseguir colocar algum dinheiro de parte e constituir poupança é cada vez …

  • Ana Paula

    Até já a decadente Oliveira serve para estes gigantes, faço ideia como anda o retalho nacional.
    O comércio local vai ser dizimado, o mercado municipal pode ser demolido.