PSD acusa executivo socialista de “enganar” o concelho

Apostada em “devolver a esperança aos oliveirenses”, a Comissão Política Concelhia do PSD de Oliveira do Hospital não poupa nos argumentos para consciencializar a população do “logro” em que caiu, ao confiar no projeto socialista de José Carlos Alexandrino que “revela total incapacidade, impreparação e incompetência para responder aos tempos difíceis que o país atravessa desde 2009”.

“Hoje o concelho está triste e sente-se enganado com tanta promessa socialista e tão pouca obra”, constata a equipa dirigida por António Duarte num extenso comunicado onde aponta o dedo à incapacidade” do PS e da Câmara Municipal em áreas como o emprego, aludindo em particular à inexistência de empresas instaladas no Pólo da Cordinha e à falta de reestruturação da zona industrial da cidade.

“Os jovens continuam a procurar emprego em concelhos vizinhos”, alertam os social-democratas que também apontam o dedo às expectativas que a Câmara tem criado junto de “pessoas mais adultas”, notando que “quando terminar o tempo dos POCS tudo voltará à estaca zero”.

Atento ao cada vez “maior afastamento entre o mundo rural e a cidade” – “chegou-se a alcatroar caminhos que ficaram a meio de pinhais” – o PSD critica também o executivo por não conseguir instalar um “parque de autocaravanismo” no concelho – “fundamental e estratégico para o turismo local e regional”, adianta, – e pela forma “demagógica e irresponsável” como conduziu os processos de agregação de escolas e de freguesias e que voltou a “dar mau resultado”.

Do mesmo modo, também a colocação do jovem “boy político inexperiente em gestão e muito menos escolar, que nem o concelho conhece ” na direção da Escola profissional é alvo de crítica pelo PSD que não deixa esquecer que o mesmo foi “agente de propaganda da campanha do PS nas autárquicas de 2009”.

Numa nota de imprensa onde recorre a várias declarações proferidas por José Carlos Alexandrino desde que tomou posse em novembro de 2009, o PSD oliveirense lembra ao presidente da Câmara que tal como prometido, o caminho que deveria seguir no âmbito do processo do IC6/IC7 era o da demissão porque “não tem capacidade, preparação para o cargo e falta à palavra dada”.

Do ambiente à história, passando pelo “choque tecnológico” são várias as críticas dos social democrata que apontam também o dedo a gastos de dinheiro de “duvidoso retorno fazendo com que num raio de 15 km passem a existir dois campos de futebol com relvado sintético e um campo de futebol relvado” , quando o atual pavilhão da cidade “já não se compadece com os dias de hoje”. Um conjunto de situações que, associado ao dinheiro gasto em “festins, publicidades, aventuras ou atividades sem retornos válidos” levam o PSD a constatar que a câmara socialista “não” serve os oliveirenses.

“Um concelho não vive de propagandas através de dezenas de páginas a cores publicadas através de um boletim municipal vazio de conteúdo com tiragem de três mil exemplares que é o reflexo do despesismo inadequado ao tempo de provação que se vive”, avisa a equipa de António Duarte que ainda reprova a atuação do executivo municipal que “vem agora acenar com a obra de fachada”, a “obra do regime PS”.

“Um mercado reestruturado, com central de camionagem como se fossem estas as obras salvadoras de um mandato sem chama, sem visão e sem capacidade”, sublinha o partido que, a meio ano das próximas eleições autárquicas continua sem apresentar o candidato à Câmara Municipal, mas promete uma “equipa capaz, preparada e sensível”, com o objetivo de “devolver aos oliveirenses a alegria de sentir os seus valores”.

LEIA TAMBÉM

CNE dá provimento a denúncias do PSD e pede explicações a José Carlos Alexandrino sob alegadas práticas que violam lei eleitoral

A Comissão Nacional de Eleições (CNE) deu provimento a uma queixa apresentada pela concelhia do …

João Paulo Albuquerque acusa PS por não concluir IC6, pelo menos, até 2030

João Paulo Albuquerque considera que o IC6 não é uma prioridade, mas sim uma necessidade …