Homem de Oliveira do Hospital começa a ser julgado quarta-feira em Coimbra por ter abusada da mãe, de 70 anos

Um homem de 53 anos, acusado de abusar e de coagir a mãe, de 70 anos, em Oliveira do Hospital, começa a ser julgado na quarta-feira pelo Tribunal de Coimbra. O homem, que cumpriu pena de prisão em Espanha, é acusado de dois crimes de roubo agravado, um crime de abuso sexual de pessoa incapaz de resistência, um crime de importunação sexual, um crime de coação agravada na forma continuada e dois crimes de sequestro.

O homem foi trabalhar para Espanha “muito jovem”, regressando a Oliveira do Hospital depois de 20 anos “sem dar qualquer notícia” e de ter cumprido uma pena de prisão, no país vizinho, de onde saiu em liberdade condicional, refere o Ministério Público, na acusação. Quando regressou a Portugal, o indivíduo foi acolhido pela mãe e o seu companheiro, em Oliveira do Hospital, em 2014.

A coabitação “não foi pacífica”, constata o Ministério Público (MP), sublinhando que, depois de ter sido expulso de casa, deslocou-se à residência e ameaçou a mãe e o companheiro com um machado, apropriando-se de 300 euros. O filho da vítima voltou mais uma vez para Espanha, onde foi novamente preso.

Depois de cumprir pena de prisão até 27 de dezembro de 2015, regressou a Portugal, passando a viver na casa da sua mãe, que sofria de “problemas de origem nervosa”, devido à morte do seu companheiro. A mãe acabou por ser internada no Hospital Sobral Cid, regressando à sua residência a 5 de Fevereiro, passando a ingerir bebida alcoólicas com frequência “por razões de viuvez e pelo estado de saúde de um dos filhos”.

Desde o seu regresso, o arguido começou a ter “comportamentos impróprios”, tendo a 10 de fevereiro, aproveitando o facto de a ofendida ter adormecido depois de ingerir bebidas alcoólicas e tomar comprimidos para dormir, abusado da mãe. Nos dias seguintes, o manteve comportamentos impróprios para com a mulher, o que levou a que um dos irmãos apresentasse queixa na GNR, a qual retirou o arguido da habitação.

Ainda assim, o homem voltou à residência quatro dias depois, conseguindo entrar em casa, ameaçando um irmão e a sua mãe com uma faca de cozinha um irmão, enquanto, segundo o Ministério Público terá dito: “É hoje que vos mato aos dois”. Depois terá agredido a mãe e colocado a vítima e o seu irmão na varanda da casa, depois de lhes retirar os telemóveis, onde passaram várias horas ao frio e à chuva. Permitiu o regresso dos dois ao interior da casa, tendo pedido à mãe para telefonar a um dos seus filhos, residente em Madrid, para retirar a queixa na GNR. Após estes actos foi detido preventivamente.

LEIA TAMBÉM

Polícia Judiciária deteve mulher que tentava introduzir haxixe na prisão de Coimbra

PJ desmantelou associação criminosa que traficava pessoas da zona Centro para Espanha

A Polícia Judiciária, numa acção conjunta com a Guarda Civil espanhola, desmantelou uma associação criminosa …

Oliveirense Aqua Village Health Resort & Spa vence 12 prémios internacionais no Dubai

O Aqua Village Health Resort & Spa arrecadou 12 prémios nos Haute Grandeur Global Execellence …