Inaugurada primeira habitação social em Alvoco das Várzeas

A freguesia de Alvôco de Várzeas dispõe, desde o passado domingo, de uma habitação para fins sociais. O equipamento que resulta de recuperação de uma casa em mau estado de conservação vai dar abrigo a um munícipe que vivia em condições indignas.

O projeto foi desenvolvido no quadro de actuação da Comissão Social da freguesia de Alvôco de Várzeas e, para além das obras de recuperação do edifício que já foram realizadas e apoiadas pelas Câmara Municipal, Junta de Freguesia e Centro de Receio e Convívio de Alvôco de Várzeas (CERCAV), a sua gestão fica agora também protocolada, tendo sempre em vista fazer face a situações de carência habitacional devidamente justificadas.

No acto simbólico de entrega das chaves, que teve lugar no passado domingo, José Carlos Alexandrino sublinhou o “gesto de grandeza” que este tipo de políticas representa, já que as três entidades “recuperaram, num trabalho conjunto, esta casa antiga que vai servir de habitação social e já tem um destinatário”.

“Isto demonstra que estamos atentos aos fenómenos de carência habitacional e à crise que as famílias atravessam. É um bom exemplo de trabalho e parceria entre todos”, afirmou o autarca que já teve oportunidade de “constatar as condições em que vivia este munícipe e que vai agora ter a dignidade que merece. Quero congratular-me com este trabalho e dar os parabéns ao CERCAV e à Junta de Freguesia porque foram eles os iniciadores deste trabalho”, sublinhou.

Agostinho Marques, presidente da Junta de Freguesia de Alvoco das Várzeas, mostrou-se “muito satisfeito” com uma obra que é motivo de “grande orgulho”, e que só se tornou possível graças à colaboração das três entidades envolvidas. “Demonstra que estamos todos atentos”, frisou, realçando o trabalho da Comissão Social da Freguesia, composta por diversas entidades locais, e que “tem prestado especial atenção aos “casos de necessidade, actuando prontamente”.

António Fontes, presidente da direcção do CERCAV disse tratar-se de uma obra “altamente gratificante”, considerando-a um exemplo para dar seguimento a outros casos. “É um gesto que nos caracteriza, estamos sempre atentos a sinalizar os casos em que efetivamente seja necessário o acompanhamento”, disse. O responsável por aquela instituição, manifestou ainda disponibilidade “para colaborar e minimizar as necessidades de quem precisa”, frisando que as assistentes sociais da instituição a que preside realizam um trabalho de proximidade na sinalização de casos e encaminhamento para a sua resolução.

LEIA TAMBÉM

IP reforça meios de prevenção e limpeza de gelo e neve nas estradas da Serra da Estrela com novo Silo de Sal-gema na Guarda

A Infra-estruturas de Portugal (IP) instalou na Guarda, um novo silo de sal-gema com capacidade …

Incêndios causaram mais de 10 milhões de euros de prejuízos em Seia

Os prejuízos financeiros causados pelos incêndios dos dias 15, 16 e 17 de Outubro no …