Imagem vazia padrãoO secretário de Estado Adjunto das Obras Públicas e das Comunicações, Paulo Campos, presidiu esta tarde, na Câmara Municipal de Tábua, à adjudicação da empreitada da primeira fase da variante de Tábua e ao lançamento do concurso público para o troço do Itinerário Complementar (IC) 6 que liga Catraia dos Poços ao Nó de Tábua, bem como da segunda fase da variante daquele concelho.

Ivo Portela a propósito do IC6: “Acabou-se a miragem, passamos a ver uma realidade”

"Acabou-se a miragem, passamos a ver uma realidade. O anseio de anos e anos materializa-se relativamente à variante a Tábua e ao IC6”, afirmou o presidente da Câmara Municipal de Tábua, reconhecendo a “capacidade de trabalho e inteligência” de Paulo Campos, que tem “demonstrado especial atenção pelo interior do país”.

Na presença da maioria dos autarcas da região da Beira Serra e Planalto Beirão – Oliveira do Hospital, Arganil, Carregal do Sal, Tondela, Penacova, Seia, entre outros – Ivo Portela deu conta ao governante de que ali se encontravam “as parcerias privilegiadas” para o trabalho que se vai desenvolver: “autarcas, agentes económicos, sociais e culturais da região que sempre ansiaram para que este dia se concretizasse”. Portela elogiou ainda o facto de Paulo Campos ter avançado com o IC6, mesmo ainda antes de estar escolhida a proposta final que envolve a continuação daquele troço e a construção dos IC 7 e 37 .

“O que é preciso é começar e depois do começo, rapidamente os autarcas e as partes interessadas se entendem relativamente às direcções para a Serra da Estrela, Covilhã, A25 e outros destinos”, considerou.

O autarca tabuense não deixou também de se mostrar satisfeito por “de uma única assentada”, o concelho de Tábua ouvir falar de “de uma verba tão grande”. “Não é nenhuma brincadeira, em moeda antiga são 16 milhões de contos”, notou.

“Uma assentada” que Paulo Campos justificou como sendo uma “função” do Governo e com a qual já “havia compromissos”. E, aos autarcas presentes no Salão Nobre da Câmara Municipal de Tábua deixou claro que “não se faz mais”, porque “não há estudos disponíveis que o permitam”. “Logo que os estudos estejam terminados, lançaremos mãos à obra e não perderemos tempo”, referiu o governante, notando que a prioridade do governo é de dotar o distrito de Coimbra de “melhores acessibilidades”.

Confessando-se particularmente “feliz” com os avanços esta tarde registados em Tábua, Paulo Campos considerou que “a partir de hoje estão dados os passos fundamentais para dizer que finalizou o isolamento destas terras”. “Vamos estar mais perto do mundo, com mais conforto, mais tempo e melhores condições de circulação”, referiu.

Mas advertiu: “Eu cumpri, agora cabe aos autarcas, empresários e agentes económicos e sociais fazer o resto e aproveitar bem estas acessibilidades”.

Imagem vazia padrãoAbordado pelo diário on-line do Correio da Beira Serra, no final da cerimónia, o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital não escondeu a satisfação pelo facto de ter assistido ao lançamento do concurso do tão almejado troço do IC6. E, pegou em palavras proferidas na penúltima reunião pública do município, para frisar que se tratou de uma questão de “vontade política” de Paulo Campos. 

 novo troço do IC6 compreende 17,2 km, num investimento que ultrapassa os 46 milhões de euros, com um prazo de execução de 540 dias. A expectativa do governo e da empresa Estradas de Portugal é de que o IC6 entre em obra no início do terceiro trimestre de 2008 e que fique concluída no final de 2009.

LEIA TAMBÉM

Dominado fogo que hoje se reacendeu em Tábua

O incêndio florestal que deflagrou na terça-feira no concelho de Tábua, que esteve em fase …

Incêndios destruíram mais 500 hectares em Seia

Incêndio de Tábua reacendeu-se e mobiliza centenas de bombeiros

O incêndio que ontem deflagrou em Tábua, está novamente activo. O reacendimento aconteceu ao início da tarde …