Joel Vasconcelos sucede a Rogério Prazeres na direção da Eptoliva

… tornar a escola numa “entidade formadora”.

Já é conhecido o sucessor de Rogério Prazeres na direção da Eptoliva – Escola Profissional. O professor em quem a Adeptoliva depositou voto de confiança na direção da escola aposentou-se no final de 2011, mantendo-se porém no exercício da função “a título gratuito” até meados do mês de maio.

“Trouxe toda a experiência de uma vida ligada ao ensino e deu um contributo importante numa fase do ensino profissional que é complicada”, nota o presidente da Adeptoliva, Artur Abreu , em jeito de reconhecimento pelo trabalho desenvolvido por Rogério Prazeres.

Segue-se-lhe, a partir do dia 1 de setembro, Joel Vasconcelos, um jovem de 31 anos habituado às lides do ensino profissional, que desde o dia 19 de junho desempenha funções de consultor na Eptoliva de Oliveira do Hospital.

O nome do futuro diretor da Eptoliva, também conhecido pela participação que teve na campanha eleitoral do Partido Socialista oliveirense nas últimas eleições autárquicas, foi confirmado ao correiodabeiraserra.com por Abreu que justificou a nomeação de Joel Vasconcelos para o cargo com “a dinâmica que lhe é própria enquanto jovem e com a experiência acumulada na área do ensino profissional”.

Residente em Coimbra, Joel Vasconcelos tem formação na área do ensino profissional, tendo nos últimos anos estado ligado uma empresa de formação profissional, desempenhando ultimamente funções de diretor na Escola Profissional de Leiria. Um lugar que o jovem se prepara para deixar, no sentido de abraçar o mais recente desafio, a direção da Eptoliva.

Num momento considerado “difícil” para o ensino profissional, o futuro diretor da Eptoliva tem pela frente o desafio de adaptar a escola às novas exigências. “A escola terá que evoluir”, sublinhou Artur Abreu ao correiodabeiraserra.com, notando que a Eptoliva não poderá esgotar a sua atividade nos cursos profissionais.

Artur Abreu pretende que a escola sedeada em Oliveira do Hospital e com um pólo em Tábua, “se abra à comunidade, organize e dinamize formação”. Na prática, explica, o objetivo é tornar a escola numa “entidade formadora”.

“Servir a comunidade e assegurar a sobrevivência da escola”

Passos que já começaram a ser dados no ano letivo que agora findou, com a escola a assegurar formação a uma empresa e uma instituição do concelho. “Pretendemos continuar”, reiterou Artur Abreu, encontrando nesta medida uma forma de a escola contornar o momento de dificuldade que atravessa.

Uma realidade que, segundo conta, é transversal a todo o ensino profissional. Prova disso, adianta, são as cartas enviadas pela CIMPIN e pela ANESPO ( Associação Nacional das Escolas Profissionais) ao ministro da Educação onde são elencadas as dificuldades sentidas pelo ensino profissional.

À cabeça surge o aumento do número de alunos em cada turma para um total de 26. Uma decisão que não colhe o aval da direção da Adeptoliva que não lhe identifica qualquer mais valia pelo facto de estarem em causa cursos profissionais e, por isso, mais práticos e que em nada beneficiam com o aumento do número de alunos em sala de aula.

A par desta, Artur Abreu destaca também a “demissão da tutela” do seu papel de reguladora entre as escolas de ensino público e profissional. “Permite uma série de atropelos que não são tão sentidos em Oliveira do Hospital, mas são sentidos no conjunto do ensino profissional”, explica o responsável que, em face disto, encontra na componente de formação uma solução para a viabilidade da própria escola.

“Pretendemos servir a comunidade e assegurar a sobrevivência da escola”, admitiu Abreu, notando que “se a Eptoliva deixar de ter alunos também os funcionários estarão em causa”.

Contando já com duas décadas de atividade, a Eptoliva foi frequentada no último ano por um total de 150 alunos em Oliveira do Hospital e Tábua. Um ano que ficou ainda marcado pela saída do município de Arganil – nos últimos três anos não teve qualquer curso em funcionamento – daquela estrutura de ensino profissional.

Para o próximo ano letivo, a Eptoliva disponibiliza os cursos de Técnico de Manutenção Industrial, Técnico de Apoio à Gestão Desportiva e Técnico de Turismo, em Oliveira do Hospital e o curso de Técnico Auxiliar de Saúde, em Tábua.

LEIA TAMBÉM

Jovens cientistas da EPTOLIVA de Tábua desenvolvem Compósito Antisséptico e conquistam segundo lugar na XI Mostra Nacional de Ciência

Jovens estudantes da Eptoliva, na Tábua, no distrito de Coimbra, desenvolveram uma solução desinfectante a …

A escola ou a escolinha (?). Autor: António Ferro.

Durante várias décadas, fui assistindo às mudanças (algumas drásticas e escusadas) no sistema de ensino …