José Carlos Alexandrino debaixo de fogo, após António Costa não se ter comprometido com a datas para construção do IC6

Os candidatos já assumidos à Câmara Municipal de Oliveira do Hospital consideram que, depois das declarações do primeiro-ministro ontem durante a inauguração da BLC3 onde revelou que a construção do IC6 só acontecerá quando existirem condições financeiras para a realizar, José Carlos Alexandrino não pode manter a sua palavra e continuar como candidato a um novo mandato. Recorde-se que o ainda presidente da autarquia garantiu que a sua recandidatura estava dependente de garantias de construção reais para o próximo mandato daquela via e que António Costa viria a Oliveira do Hospital garantir a obra “de viva voz”. Não aconteceu. O governante limitou-se a dizer que neste momento só pode avançar com o concurso para a realização do projecto do prolongamento daquela via.

O candidato do PSD não ficou surpreendido com as palavras de António Costa que, diz, vêm na sequência das declarações de outras membros do governo. “Isto apenas confirmou aquilo que tenho afirmado ao longo do tempo sobre este tema: só haverá IC6 quando existirem as necessárias condições financeiras. Não se entende como é que José Carlos Alexandrino insiste que teve ontem garantias que mais ninguém ouviu”, refere João Paulo Albuquerque, para quem as palavras de António Costa na final do seu discurso, e em pouco mais de dois minutos, acabaram com o argumento crucial que o actual presidente da Câmara Municipal tinha colocado a si próprio para se recandidatar.

“Esperava que o senhor presidente da Câmara tivesse abandonado a sala quando ouviu aquelas declarações que desmentiram tudo o que ele andou a dizer desde Março. De viva voz, António Costa relegou a obra para quando houver dinheiro, não se sabe quando, e deixou apenas a garantia de que irá lançar imediatamente o concurso para o projecto da obra, algo que eu pensava já estar realizado”, continuou o social-democrata.

João Paulo Albuquerque vai mais longe e considera que se cumprir a sua palavra José Carlos Alexandrino não será candidato. “Essa seria a minha postura se estivesse comprometido com a população nos termos em que ele está. Mas já estamos habituados à forma como José Carlos Alexandrino engana e tenta manipular a população. Este é apenas mais um episódio e ele vai insistir que o primeiro-ministro disse aquilo que mais ninguém ouviu a não ser ele próprio para tentar transformar uma mentira numa verdade. O eleitorado cá estará para o julgar a 1 de Outubro”, rematou, lamentando que o primeiro-ministro também não tenha tido uma palavra sobre os problemas da saúde no concelho, da justiça e o regresso a anterior plano de freguesias.

O cabeça de lista à Assembleia Municipal da coligação liderada pelo CDS/PP, Luís Lagos, que marcou presença no evento de inauguração, juntamente com o líder da candidatura, Nuno Alves, também considerou ontem no final da cerimónia que o actual presidente da autarquia perdeu a principal condição que tinha colocado a si próprio para avançar para um novo mandato, logo não vê como pode manter a sua palavra e permanecer na corrida. O presidente da Distrital do CDS/PP, mais tarde no facebook, voltou a este tema. “Se depois disto o Senhor Presidente do Município se candidata, ele é que sabe. Não sou eu que estou cá para o julgar. É o eleitorado. Mas há uma coisa que não posso deixar de julgar, hoje. Que é uma tentativa assustadora de vender uma mentira por parte de responsáveis políticos. Que depois de ouvirem dizer ao senhor primeiro-ministro o que eu, também, ouvi, continuarem a afirmar e a partilhar publicações no facebook onde asseguram que temos IC6 em 2018-2019. Isso não passa de tentativas de vender uma ilusão e uma mentira às pessoas e isso, só por cobardia, podia deixar passar em claro”, escreve, continuando sublinhando que isto jamais se passará com a candidatura patrocinada pelo seu partido. “Há uma coisa que o CDS não fará nas suas candidaturas autárquicas em Oliveira do Hospital. Quer à liderança do executivo, com o Nuno Alves, quer comigo, na Assembleia Municipal, que é mentir ao eleitorado para termos mais uns votos. Isso não vamos fazer! Preferimos chegar ao fim sem votos, mas de consciência tranquila e dever cumprido”, frisou.

Luís Lagos aproveita ainda para referir aquilo a que assistiu in loco. “Costa prometer, promete, mas sem nenhum compromisso temporal. Qual IC6 em 2018-2019! Em 2018-2019 temos uma possível candidatura do projecto a fundos comunitários no quadro comunitário posterior ao Portugal 2020. Arrisco dizer que IC6 antes de 2022/2023 é uma miragem. Nunca antes do próximo mandato autárquico terminar. Foi isto que o senhor primeiro-ministro nos veio dizer hoje. Fico triste que assim seja, quando no país se vão anunciando alguns, embora poucos, investimentos que tenho por menos prioritários do que este, que tanta falta faz à Beira Serra”, sublinhou, acentuando que não gosta destes “números”. “Não gosto de ver manipulações e números políticos à volta de um investimento tão importante para o meu concelho. E também escusam de vir com a conversa de que o anterior governo retirou o IC6 dos investimentos prioritários e que não fez nada para que se fizesse. É que eu não tenho nenhum problema com isso. Até cheguei a participar em manifestações contra o governo que apoiava para dizer isso mesmo”, rematou.

António LopesJá António Lopes diz que as considerações sobre este assunto é chover no molhado e perante a questão se José Carlos Alexandrino continua a ter condições para ser candidato limita-se a dizer: “Parafraseando Humberto Delgado, obviamente que não”. “Não há nada a dizer. Por nove vezes, os dirigentes do PS e governantes disseram publicamente que não havia dinheiro. Sucessivamente e a espaços relativamente curtos. Se ainda assim o Senhor Presidente fez depender a candidatura da garantia de construção do IC, hoje, resulta inequívoco que não haverá IC no próximo mandato. Depois por lei, já não poderá candidatar-se. Logo pela coerência e nobreza da política, o senhor Presidente não tem condições de se candidatar. Se o fizer só vem reforçar tudo o que há seis anos comecei a pensar dele e progressivamente se tem vindo a confirmar”, conta, para concluir que o caso de José Carlos Alexandrino é o poder pelo poder, protagonismo pelo protagonismo. “Basta ver a reacção dele quando vê um microfone”, concluiu.

LEIA TAMBÉM

GNR deteve alegados traficantes de droga nos acessos a uma “Rave” em Oliveira do Hospital

Detidas 11 pessoas por tráfico de estupefacientes no Freedom Festival que decorreu em Oliveira do Hospital

A GNR deteve, entre os dias 5 de Agosto e 13 de Agosto, 11 pessoas …

PSD apresentou candidatos à CM de Oliveira do Hospital e promete acabar com o caminho de “decadência e retrocesso promovido pelo executivo PS” e devolver “a prosperidade” ao concelho

O PSD apresentou ontem a lista concorrente à Câmara Municipal de Oliveira do Hospital e …

  • Xela

    E o Alexandrino atrás do Costa como um cachorrinho a despedir-se, para ver se finalmente o safava:
    Sr Primeiro Ministro, para o próximo mandato vamos inaugurar o IC6.
    Diz-lhe o Costa: “Ó Alexandrino, vai para o lume.”
    Quem se mete com o PS leva. Pobre Alex.

  • Este não estava lá ?

    Estes sérios do PS que não gostam que lhes digam as verdades , têm alguma explicação para isto? Paulo Campos estava lá,na inauguração da BLC3. Não tem nada para nos dizer?

    Construção da auto-estrada Viseu – Coimbra avança no início de 2009
    Secretário de Estado Adjunto, das Obras Públicas e das Comunicações garante “revolução” nas acessibilidades na Beira Serra e Planalto Beirão.

    Secretário de Estado Adjunto, das Obras Públicas e das Comunicações garante “revolução” nas acessibilidades na Beira Serra e Planalto Beirão.
    O secretário de estado Adjunto, das Obras Públicas e das Comunicações garantiu ontem, em Oliveira do Hospital, que está em curso uma “revolução” nas acessibilidades na zona da Beira Serra, adiantando que a futura auto-estrada entre Coimbra e Viseu vai começar a ser construída no início de 2009.
    Paulo Campos falava durante a inauguração da sede do Núcleo de Desenvolvimento Empresarial do Interior e Beiras (NDEIB), garantindo que o panorama das acessibilidades nesta zona “vai mudar radicalmente”.
    O membro do Governo participou depois num debate com autarcas e empresários, sobre as acessibilidades, nomeadamente a continuação do IC6, IC7 e IC37, organizado pelo NDEIB, no Hotel S. Paulo, onde estiveram também presentes o presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, governador Civil de Coimbra e presidentes das direcções regionais da Economia, Emprego e Agricultura.
    O presidente do NDEIB, Fernando Tavares Pereira, apresentou um estudo sobre os traçados destes IC’s que mais interessam aos empresários da região.
    “Sem boas acessibilidades não há desenvolvimento”, frisou o empresário, revelando que os empresários do interior “têm mais sete por cento de custos, do que os do litoral”.
    Depois de ter estado, a semana passada, em Tábua, para presidir à assinatura do contrato de construção da Variante de Tábua e lançamento do concurso público do troço do IC6, entre Catraia dos Poços e Poço do Gato, Paulo Campos, referiu que a continuação do IC6 e a construção do IC7 e IC37 são para avançar numa concessão conjunta e que em Janeiro do próximo ano “será tomada uma decisão” sobre qual será a escolha dos três cenários já apresentados pelo Governo. O estudo prévio será realizado até 2009 e a construção poderá avançar em 2010. Mas o governante lembrou que os concelhos de Oliveira do Hospital, Seia e Tábua vão ter uma ligação rápida a Lisboa e Porto, através da Variante a Tábua, até à futura auto-estrada IC12.
    Mais rápido vai ser o processo de construção da futura auto-estrada entre Viseu e Coimbra, que deverá ser adjudicada durante o próximo ano e que as obras poderão arrancar “no início de 2009”, garantiu Paulo Campos. O mesmo acontecerá com a auto-estrada que substituirá o IC12 entre Mortágua e Mangualde, que se integra no mesmo pacote de concessão da Viseu – Coimbra e do IC2 até Oliveira de Azeméis, que foi aprovado, anteontem, em Conselho de Ministros. As duas vias com perfil de auto-estrada vão ter portagens.
    Autarcas satisfeitos
    Os presidentes e representantes das câmaras municipais de Oliveira do Hospital, Tábua, Carregal do Sal, Nelas, Seia, Gouveia e Fornos de Algodres congratularam-se com a iniciativa do NDEIB e foram quase unânimes na escolha do traçado dos IC6, 7 e 37. Principalmente Oliveira do Hospital, Seia e Fornos de Algodres defenderam um dos três traçados apresentados já anteriormente pelo secretário de Estado, em que o IC6 deverá interligar o IC7 e IC37, entre os concelhos de Oliveira e Seia, não optando assim pela possível construção de túneis na Serra da Estrela, entre os concelhos de Seia e Gouveia, para continuação do IC6 até à Covilhã.
    Opinião contrária tem a Câmara de Gouveia, com o vice-presidente da autarquia, Luís Tadeu, a criticar os três cenários que já foram alvo de estudo por parte do governo. “Para nós não são cenários que nos interessam, visto que ficamos desviados de uma ligação rápida a Viseu e Covilhã”, realçou o autarca.
    O presidente da Câmara de Seia, Eduardo Brito, disse ser fundamental “sermos rápidos a decidirmos as nossas opções para não darmos trunfos ao governo, que pode aproveitar para dizer que não existe união” e desta forma não construir as estradas.
    Já Mário Alves, presidente da Câmara de Oliveira do Hospital, também subscreveu a posição do seu colega de Seia, sublinhando que “quem já esperou tantos anos por acessibilidades, não estamos agora em condições de esperar mais tempo com estudos e projectos, o mais importante é que as vias se façam”.
    Para o edil “se o nó de ligação vai ficar um quilómetro mais atrás ou mais à frente, é indiferente. O importante é que a via seja executada rapidamente, em contra relógio para podermos dizer que temos condições de acessibilidade, no mais curto espaço de tempo e em segurança”.
    Por seu lado, a presidente da câmara de Nelas, Isaura Pedro, congratulou-se com o anúncio de que o IC12 vai avançar, mas pediu ao membro do governo para que “não tenha portagens”. Em relação ao IC37, a autarca deixou claro que “não vai ser por Nelas que estes IC’s vão ser obstaculizados”.
    Atílio Nunes, presidente do município de Carregal do Sal, sublinhou o facto de as acessibilidades serem uma mais valia para o progresso dos concelhos. Recordou o caso do IC12, que até ficou conhecido como “a auto-estrada do Atílio” e permitiu um grande desenvolvimento do concelho, frisando que o fundamental é autarcas, empresários e governo “andarem de mãos dadas”.

  • Je suis IP6

    Já está confirmado. Alexandrino, Rolo, Ribeiro e restante vereação vão com as suas mãos abrir o troco do IC6 até Oliveira.
    Ah valentes.

  • Andorinhense

    Ainda não estamos em período de campanha eleitoral e por estes lados (Travanca de Lagos) já começaram as difamações e o bota abaixo. Vergonhosamente permitem-se publicações nos perfis de redes sociais onde se denegride a imagem de pessoas de bem, que sempre contribuiram para a terra onde vivem, que pagam impostos, que contribuem para a sociedade. Individuos que apelam a campanhas limpas e com o superior interesse da freguesia em primeiro plano, que AINDA são srepresentantes do povo, permitem e são coniventes com este tipo de propaganda. Mas fazem bem, demonstram o seu real carácter e o povo no final está cá para julgar!

    • Andorinhense

      No seguimento de um post no FB de alguém (Travanquense), que permitiu que colocassem no seu perfil publico comentários medíocres e difamatórios, ontem vi um post desse individuo em forma de tentativa de desculpa. Tentando “limpar” a sua imagem e a sua culpa de ter permitido uma “invasão na sua casa”. É triste assistir a estas telenovelas, também tenho perfil de FB e na minha “casa” eu faço a gestão dos comentários que me lá põem. Nunca iria permitir que difamassem pessoas que me ajudaram. Pessoas que deram tudo para o Sr. neste momento estar a ocupar um lugar publico. Pessoas que acreditaram em si. Pessoas que o defenderam! Será que na altura já seriam “condenados e “vigaristas”? No meu perfil esse tipo de comentário nem sequer entrava, quanto mais ia permitir que se lá mantivesse…. Para lembra-lo aqui vai uma publicação sua de há 4 anos onde todos eram bons rapazes: https://www.facebook.com/406876162756825/photos/a.406906342753807.1073741828.406876162756825/433315430112898/?type=3&theater

      • Justiceiro

        É verdade, muita conversa bacoca e lamentações inúteis mostram bem o carácter da pessoa que nem o comentário apagou.
        Hoje já se sabe a quem pertence o perfil falso, e diga-se ė uma referência concelhia. Um rebenta empresas, tive das esmolas e deve a todos. A pessoa ideal para o acompanhar na campanha.
        Já lhe estão a tratar da saúde.

  • DR. MOISÉS

    Alexandrino ! Levanta-te e anda !!

    – «Os teus pecados estão perdoados. Levanta-te, pega na tua maca e anda !».

    – In « A Bíblia» – S. Marcos / S. Lucas – cap.s 2 e 5 – cena do «milagre da cura do paralítico em Cafarnaum»-.

    Em
    verdade Vos digo que Alexandrino pecou por soberba, e «vanitas», o
    sétimo pecado capital. Ele julgou-se, ainda que ilusoriamente, o rei
    neste xadrez oliveirense «made in» PS. Um xadrez de má qualidade,
    diga-se. Parece fabrico daquele tipo mais ínvio «made in China»…

    Jurou
    Alexandrino, e corre o risco de vir a cometer perjúrio, que não se
    recandidataria à Câmara pelo partido PS caso não obtivesse a garantia
    deste governo de que o prolongamento do IC 6, para dentro do município
    de Oliveira do Hospital, seria feito a muito curto prazo.

    Está
    dito e redito, agora pela boca do Primeiro Ministro, que não vai haver
    prolongamento do IC 6 pelo menos até 2021 e que daí para a frente logo
    se verá quando e com que «graveto» é feito…

    E assim vaticinou o
    Primeiro, em Lagares da Beira, a 27 de Maio, dentro da cerca
    (inquinada…) da BLC 3. E só no final dos discursos de circunstância, só
    a antecipar a sua saída, é que o Primeiro «chegou» ao IC 6 apesar de
    todas as (vãs) tentativas de Alexandrino para o conduzir para esse
    assunto. Mas, o Primeiro fora ali, e estava dentro da cerca da BLC 3,
    até para evitar andar muito à volta do IC 6…onde Alexandrino tentava ser
    «sinaleiro».

    Alexandrino está, pois, entregue a si próprio e às
    suas próprias palavras. E para nós isso é o menos, que cada um respeita a
    palavra dada como é capaz, ou não, de fazer.

    Só que o «pecado» ganha maior e ainda pior amplitude…

    Alexandrino
    foi endrominado, talvez inconscientemente, pelo restrito grupo daqueles
    PS mandantes que, mais do que «camaradas», se tratam por «irmãos»
    embora inconfessos. Com a cena da ida encanada do Primeiro para dentro
    da BLC 3, a fugir ao IC 6, Alexandrino foi desconsiderado e com ele
    desconsiderado foi o nosso Município pelo Primeiro e sobretudo pelo PS
    que ao tal grupo restrito de fato obedece.

    Porém, Alexandrino
    prestou vassalagem a estes «poderes obscuros» e prostrou-se de joelhos,
    lá dentro da cerca da BLC 3, entidade que, também é sabido, não agrada
    assim tanto a Alexandrino mas serve o tal PS e seus «falsos profetas»…

    Pecou Alexandrino, ao dobrar a cerviz na cena, enquanto afirma que é o «maior» e o mais «independente» de todos !

    E é por isso que lhe gritamos:

    – «Alexandrino, levanta-te e anda !».

    Levanta a cabeça e endireita essa coluna vertebral ! Vamos nós rasgar futuro para o IC 6 e para aquilo que mais se queira !

    Anda, Alexandrino, para a luta junto do Povo e deixa os «fariseus» que nos ofendem com suas perfídias e jogos de poder !

    Viva Oliveira do Hospital, livre dos «fariseus»!

  • MOISÉS II

    Alexandrino ! Levanta-te e anda !!

    – «Os teus pecados estão perdoados. Levanta-te, pega na tua maca e anda !».

    – In « A Bíblia» – S. Marcos / S. Lucas – cap.s 2 e 5 – cena do «milagre da cura do paralítico em Cafarnaum»-.

    Em
    verdade Vos digo que Alexandrino pecou por soberba, e «vanitas», o
    sétimo pecado capital. Ele julgou-se, ainda que ilusoriamente, o rei
    neste xadrez oliveirense «made in» PS. Um xadrez de má qualidade,
    diga-se. Parece fabrico daquele tipo mais ínvio «made in China»…

    Jurou
    Alexandrino, e corre o risco de vir a cometer perjúrio, que não se
    recandidataria à Câmara pelo partido PS caso não obtivesse a garantia
    deste governo de que o prolongamento do IC 6, para dentro do município
    de Oliveira do Hospital, seria feito a muito curto prazo.

    Está
    dito e redito, agora pela boca do Primeiro Ministro, que não vai haver
    prolongamento do IC 6 pelo menos até 2021 e que daí para a frente logo
    se verá quando e com que «graveto» é feito…

    E assim vaticinou o
    Primeiro, em Lagares da Beira, a 27 de Maio, dentro da cerca
    (inquinada…) da BLC 3. E só no final dos discursos de circunstância, só
    a antecipar a sua saída, é que o Primeiro «chegou» ao IC 6 apesar de
    todas as (vãs) tentativas de Alexandrino para o conduzir para esse
    assunto. Mas, o Primeiro fora ali, e estava dentro da cerca da BLC 3,
    até para evitar andar muito à volta do IC 6…onde Alexandrino tentava ser
    «sinaleiro».

    Alexandrino está, pois, entregue a si próprio e às
    suas próprias palavras. E para nós isso é o menos, que cada um respeita a
    palavra dada como é capaz, ou não, de fazer.

    Só que o «pecado» ganha maior e ainda pior amplitude…

    Alexandrino
    foi endrominado, talvez inconscientemente, pelo restrito grupo daqueles
    PS mandantes que, mais do que «camaradas», se tratam por «irmãos»
    embora inconfessos. Com a cena da ida encanada do Primeiro para dentro
    da BLC 3, a fugir ao IC 6, Alexandrino foi desconsiderado e com ele
    desconsiderado foi o nosso Município pelo Primeiro e sobretudo pelo PS
    que ao tal grupo restrito de fato obedece.

    Porém, Alexandrino
    prestou vassalagem a estes «poderes obscuros» e prostrou-se de joelhos,
    lá dentro da cerca da BLC 3, entidade que, também é sabido, não agrada
    assim tanto a Alexandrino mas serve o tal PS e seus «falsos profetas»…

    Pecou Alexandrino, ao dobrar a cerviz na cena, enquanto afirma que é o «maior» e o mais «independente» de todos !

    E é por isso que lhe gritamos:

    – «Alexandrino, levanta-te e anda !».

    Levanta a cabeça e endireita essa coluna vertebral ! Vamos nós rasgar futuro para o IC 6 e para aquilo que mais se queira !

    Anda, Alexandrino, para a luta junto do Povo e deixa os «fariseus» que nos ofendem com suas perfídias e jogos de poder !

    Viva Oliveira do Hospital, livre dos «fariseus»!

    • Samaritano

      Cada um carrega a sua cruz. Alexandrino que carregue a sua, esticou demais a corda e partiu.
      Ficou isolado, e já não há povo que o salve. Ganhou dois mandatos com mentiras, vai acabar como… Tem a sina que merece.