“Do Colégio Brás Garcia de Mascarenhas ao Externato de Oliveira do Hospital (1932-1973) – Contributo para a sua história”, é o título do livro que a autora Ana Sofia Lemos Lopes apresentou, dia 19 de Abril, ...

Jovem professora retrata história do Colégio Brás Garcia de Mascarenhas em livro

por ocasião do convívio de antigos alunos do colégio fundado por Alexandre Gomes e Carlos Campos.

Imagem vazia padrãoNuma edição própria, a obra – prefaciada por Alexandra Gomes – reúne em cerca de 290 páginas a história do mítico colégio oliveirense, desde a sua fundação, evolução, instalações, comunidade escolar, entre outros aspectos. Ao diário online do Correio da Beira Serra, Ana Sofia Lemos Lopes explicou que o livro é resultado da tese de mestrado apresentada em Março de 2006 à Universidade Católica de Viseu, com a qual obteve o grau de Mestre em Administração Escolar e Administração Educacional.

Com 31 anos de idade, a autora – licenciada em Matemática e Ciências da Natureza – é docente do primeiro Ciclo de Ensino Básico no Agrupamento de Escolas Brás Garcia de Mascarenhas. Sublinhou que para a realização da sua tese de mestrado desencadeou várias pesquisas documentais, mas coloca a ênfase no contributo obtido junto de antigos professores, alunos e funcionários do desactivado colégio. Ao diário online do CBS explicou que decidiu editar a tese em livro, por ter noção de que está em causa um trabalho que reúne um vasto leque de informação sobre aquela instituição de ensino que, a partir da edição em livro, pode ser facilmente consultada por quem o desejar.

Para prefaciar a sua primeira obra, a autora convidou uma antiga aluna do Colégio e sobrinha de um dos fundadores. Alexandra Gomes elogia o trabalho de Ana Sofia Lemos Lopes considerando que foi “particularmente feliz no enquadramento nacional que fez ao projecto, caracterizando muito bem as fragilidades e contradições do sistema educativo da época, cuja análise começa em 1930”. Tomando por base a educação no contexto actual, Alexandra Gomes refere-se à obra em questão “como um trabalho de investigação, sério e profundo” que – como sublinha – permite “uma reflexão sobre a história de um estabelecimento de ensino, que protagonizou um projecto educativo modelar e particularmente bem sucedido”. “O Colégio Brás Garcia de Mascarenhas e a sua história é a demonstração de que a educação é missão e serviço confiados a toda a sociedade, envolvendo comunidades educativas, comunidades locais e famílias”, considera.

Para a edição em livro, Ana Sofia Lemos Lopes contou com o apoio da Junta de Freguesia de Oliveira do Hospital e Caixa de Crédito Agrícola da cidade. O livro pode ser adquirido na sede da Junta de Freguesia de Oliveira do Hospital.

Liliana Lopes

LEIA TAMBÉM

CDU reclama transporte público até Ervedal da Beira e acusa Câmara de se esquecer de obras importantes

Os elementos da CDU representados na União das Freguesias de Ervedal da Beira e Vila Franca …

Tábua inaugurou posto de carregamento de veículos eléctricos

A Câmara Municipal de Tábua inaugurou hoje o Posto de Carregamento de Veículos Eléctricos. O …