Junta de Alvôco não aceita que retransmissor de TV seja desligado

A transição do sistema de TV analógico para o digital não está a cair bem junto da população de Alvôco de Várzeas, no concelho de Oliveira do Hospital.

As queixas também partilhadas pela vizinha freguesia de Vide, no concelho de Seia, partem da própria Junta de Freguesia e centram-se essencialmente na falta de informação por parte da entidade responsável pela transição.

“Tivemos conhecimento pela DECO e reportagem da RTP que as juntas de freguesia deveriam ter sido já informadas pela TDT, por serem o elo de ligação mais bem posicionado para o esclarecimento das populações, bem como no protocolo da Anacom e PT (TDT) este aspeto está referenciado”, refere o autarca Agostinho Marques em ofício dirigido à Provedoria do Cliente da Telecom, garantindo que “até à data” a PT nunca contatou a autarquia “para ajudar a esclarecer como, quando e em que moldes se vai fazer a transição”.

A par das queixas, a autarquia presidida por Agostinho Marques opõe-se à intenção anunciada pela comunicação social de desligar o retransmissor localizado na freguesia e que – como adianta – foi construído pela autarquia e instalado em colaboração com a RTP e várias instituições locais.

Os custos associados à TDT são, no entender de Agostinho Marques, os motivos que até agora terão levado à falta de contato por parte da TDT, já que de acordo com o que teve conhecimento via comunicação social, cada casa com dois televisores terá que pagar 60 Euros e nas habitações onde o sinal não chegar, o valor subirá para os 200 Euros resultante da captação do mesmo via satélite da MEO.

A ser assim, o autarca alerta a provedoria para os prejuízos que tal situação representará para as zonas do interior, “contribuindo para a sua desertificação, desigualdade de tratamento entre os portugueses, uns de primeira e outros de segunda”.

Consciente dos “fracos recursos económicos e das reformas que mal dão para os remédios, luz, água e alimentação”, Agostinho Marques apela para que o retransmissor não seja desligado permitindo que os alvocenses sejam tratados “por igual aos restantes portugueses que vivem em grandes centros urbanos”.

LEIA TAMBÉM

Cemitério de Nogueira do Cravo vai ser ampliado

A Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital aprovou na sexta-feira o alargamento do cemitério de …

LMAN promove “peregrinação” ao Santuário de Nossa senhora das Preces em Vale de Maceira

A Liga de Melhoramentos Desporto e Cultura de Aldeia de Nogueira (LMAN) vai realizar no …