Lagos questiona obras da EN 17 e conclusão do IC6, Alexandrino admite convocar novos protestos

O eleito do CDS/PP na Assembleia Municipal da Câmara de Oliveira do Hospital não se conforma com a demora no lançamento das obras de requalificação da Estrada Nacional 17, nem com o silêncio existente em relação ao IC6 e pediu explicações ao executivo liderado por José Carlos Alexandrino. O autarca reconheceu que, de facto, é “uma vergonha o que se passa” na Estrada da Beira e admitiu que se deve começar a pensar em “sair à rua se não houver respostas rápidas”.

“O não lançamento da adjudicação das obras de requalificação da EN 17 é uma vergonha. Não compreendo porque é que o Governo ainda não lançou as obras. Não podemos andar a fazer manifestações e agora ficar aqui calados como ratos. Se não houver respostas sobre estes dois assuntos rapidamente devemos começar a pensar numa data para novas manifestações. Devemos sair à rua para incomodar quem está no poder”, respondeu o presidente do município, sublinhando que tem “feito contactos” e tem tido alguma paciência que já lhe começa a “ faltar”. José Carlos Alexandrino disse ainda estar convencido que terá a solidariedade do PS local nestas manifestações. “Se isso não acontecer deixarei de ter condições políticas para continuar a ocupar este cargo”, frisou.

Esta resposta surgiu depois de Luís Lagos ter lembrado que ele próprio participou em manifestações em defesa desse dois projectos contra um governo patrocinado pelo seu próprio partido e agora assiste a um silêncio ensurdecedor quando nada é feito. “Passou quase um ano, mudaram ministros e continua tudo na mesma”, acentuou o agora o novo presidente da Distrital de Coimbra do CDS, que acusou também o executivo da autarquia de “número político” quando anunciou o regresso de competências ao Tribunal de Oliveira do Hospital.

[A recuperação das competências do Tribunal] foram um pouco de nada”

“O senhor presidente diz que não gosta de números políticos, mas a reorganização judiciária foi anunciada com pompa e circunstância e gostaria de saber que competências foram devolvidas ao Tribunal de Oliveira do Hospital, porque quando falo com os actores judiciais do concelho dizem-me que é um pouco de nada. E fazer um número político com um pouco de nada, querendo vender à população de Oliveira do Hospital que recuperámos as competências por inteiro, isso é no mínimo pretender defraudar a população”, acusou Luís Lagos.

José Carlos Alexandrino negou que tenha feito qualquer aproveitamento político e reconheceu que nem todas as competências vão voltar ao tribunal local. Confessou também não saber ainda aquelas que voltarão. “Fizemos tudo para que as competências regressassem, mas reconheço que até ao momento ainda não houve qualquer devolução. Pelos contactos que tenho feito, o que sei é que está para sair uma matriz a nível nacional e que irá haver um despacho para fazer essas devoluções”, explicou, recusando as acusações de Luís Lagos. “Não diga que ando a enganar o povo. O senhor agarra nas minhas palavras, desvirtua-as e depois diz que sou um gajo porreiro e fica tudo bem. É a sua inteligência política a funcionar”, atirou José Carlos Alexandrino, concluindo que se Luís Lagos for candidato a deputado da República é “capaz de ter” o seu voto.

 

LEIA TAMBÉM

Marcelo Rebelo de Sousa visita Zona Industrial de Oliveira do Hospital devastada pelos incêndios

O Presidente da República já está em Oliveira do Hospital e visitou a zona industrial que …

Presidente da República a caminho de Oliveira do Hospital e António Costa reunido com presidentes de Câmara naquela cidade

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, está a caminho de Oliveira do Hospital …

  • João Albuquerque

    Caro Professor João Dinis;
    Está a ver quem sabe da coisa. O Sr tal como eu afirmamos que o Alexandrino ia aproveitar as estradas e mais propriamente o IC6 para se pôr ao fresco, para se libertar do polvo socialista. Aí o tem.
    Mas tal como lhe disse, repare quem lhe lançou o repto. Luís Lagos, e até o Alexandrino diz que vota nele. Vamos ver se a justiça o deixa ir com esta gente. Muda de moleiro, mas não muda de ladrão.
    Quem sabe, sabe. O resto é música.

  • António Lopes

    Isto, é o que eu apelido de “política politiqueira” Desde 1985 que, PS e PSD, andam a brincar ao faz de conta de fazer os ICs .Eu pergunto o que já perguntei dezenas de vezes: se querem tanto os ICS e se são o PS e PSD que desde 1976 governam o País, não fazem a “porra ” da estrada porquê? E não há ninguém que lhes dê com um “gato morto nas trombas”..? E andam nisto, há 40 anos, a fazer de nós todos parvos. Apetece-me ofender-lhes as mães.Mas, as Senhoras ,terão culpa das “bestas” que geraram..? Até porque, a Associação das Prostitutas já vieram declar que nunca tiveram filhos nos governos! Estes “miseráveis políticos” , acho que não têm outro nome, passam a vida nisto e, a “porra” da estrada nunca mais é, porquê..? Agora diz o “Mordomo Mor”, uma vez, em 26-04-2014, chamou-me “Bobo da Corte” mas, eu, não vou ofender os Bobos, vem outra vez, depois da guerrilha, do corte da estrada e da recusa a votar nas Europeias, dizer que faz não sei o quê..! Alguém o leva a sério? Terá lá os mesmo da outra vez.Os que ameaçou..!Mas em Junho, a dois meses antes das eleições, organizou um arremedo de passeata .Resultado..? .Agora, tem lá um governo da cor, o que é que falta? Mas, o Galamba(João) veio dizer o que toda a gente sabe: ! NÃO HÁ DINHEIRO” E foi por isto, e com o compromisso de não fazer isto, que o PSD viabilizou o Governo do “probo” Sócrates. E foi por isto que o Governo do PSD não fez ,e este não vai fazer. Mas há que pense que ser Presidente de Câmara é uma coisa parecida com profissional de circo e goste de imitar, mal, os dignos profissionais daqueles espaços de entertenimento,vulgarmente designados de palhaços.Só que, a política, contrariamente ao que muitos pensam, até porque joga com a vida de todos nós, é algo mais que pão (pouco) e circo) muito. Muito menos um desabrochar de egos. Mas ,pronto, como já alguém disse , ensaboar certas cabeças, é perder o tempo , a água e o sabão.O grave, é que se os actores fossem aqueles figurões do antigamente, que olhavam para o Povo de cima para baixo, até se podia entender(com mágoa e esforço).o mal dizia eu, é que os protagonistas destas políticas reivindicam-se de latoeiros, filhos de agricultores , de pedreiros,de descalços até tarde e de aprenderem as primeiras letras à luz do candeeiro..! E se o Povo, não consegue produzir ou gerar , nada melhor que isto para o defender se os seus prórprios filhos são isto,, que futuro poderemos esperar nós? Não haverá ninguém , bem pensante, que lhes diga para deixarem de ofender e prejudicar a classe a que pertencem e que lhes deu o ser..?

  • anda a adormir

    sr dr, tanta preocupacao com o concelho, quando nem na fundacao onde faz parte faz do concelho de administracao nada faz. jJa alguma vez se interrogou da insatisacao dos empregados? nao porque nunca falou com ninguem, sabe de coisas graves que la se passam, mas foi mais facil largar o barco. preseguicoes ao funcionarios, nao comprimento das leis de trabalho quase escravatura, preseguisoes pessoais tudo com o seu aval e restantes menbros do concelho. triztesa

    • Luís Lagos

      Não tenho conhecimento de nada do que diz. Se tal fosse verdade e eu tivesse conhecimento, obviamente, que não podia compactuar com isso.
      Mas se tem conhecimento de situações peço, por favor, que as reporte a quem de direito, é esse o seu dever em primeiro lugar, e se das mesmas me quiser dar conhecimento, terei todo o gosto nisso. O meu email é: [email protected]

      • Guerra Junqueiro

        Já em campanha Sr Luís? Muito bem, nada melhor do que o CBS para o fazer.

        Cumprimentos
        Guerra Junqueiro

      • António Lopes

        Registo.Parabéns Dr.Luís Lagos.Para eu não ser o único a tomar este tipo de atitudes..Já ouvi umas coisas com algo de concreto.E quem mo disse merece toda a credibilidade.Mas não era funcionário.Era familiar.Por isso não dei andamento.

        • Papagueno

          Então, sr Lopes, quando é que a “LUZ”, sem régua nem esquadro, mas sim com a “Jurisprudência”, virá sobrepor-se à “ESCURIDÃO” em que, ainda, vivemos…sobre a BLC 3?
          Obrigam-nos, também, a aceitar que até Mozart – o Homem que mais Música deu à humanidade – era ma(n)ção?
          Não acredite nisso…
          Dê-nos notícias…vá lá…

          • António Lopes

            Por acaso tem e frescas…!E boas..! Hoje, o Senhor Presidente da Câmara voltou a levar uma lição de democracia e do que é ou devia ser o denbate democrático.Mas parece que ainda não está satisfeito.Como mandei umas bocas particulares a um colega da AM hoje vi-as em mais uma queixa ao MP..Cada vez está melhor.Desta vez até mete saias…Vai ser coisa linda de ver…Tem pessoas que, uns dias,São os D.Juan do burgo e arredores.Tem dias que são umas “virgens puras” e com sensibilidade muito apurada e dada para se sentirem ofendidos…Lá teremos que ir discutir quem são “umas e outras”..! Eles querem é ver se nos desviam do essencial…Entretanto, essa de BLC, também se esperam decisões por estes dias. A justiça tarda mas chega e, cada dia acredito mais nela.Hoje mesmo, recebi dois despachos de arquivamento, em processos por causa das minhas “bocas”.Tem amigos que me dizem para ser mais ponderado.Tem outros que dizem que quem fala bem nunca devia estar calado.A minha esposa, quando me houve falar diz que, a língua, é a melhor coisa que eu tenho..Vai daí vou falando e vou indo a tribunal…Felizmente, até hoje, nunca fui condenado pela língua..! Acho que a minha esposa tem mesmo razão..! Isto é triste e grave mas só mesmo com humor..!

      • Afonsino

        Uma – dentre tantas – leitura possível, ou uma diferente atitude.
        ” Não chegou, ainda, ao meu conhecimento, uma única situação, de facto, daquelas que afirma terem ocorrido.
        Se, de facto, tais irregularidades acontecem, ou aconteceram, e fossem do meu conhecimento – e eu exerço o cargo para que fui designado, logo, estou atento – obviamente, como me pauto pelo rigor e transparência no funcionamento de qualquer instituição pública , ou semi-pública, ou privada, jamais poderia compactuar com esse estado de situação, pelo que , como eticamente se me impõe, eu teria tomado as devidas iniciativas a que o meu cargo me obriga por forma a deixar claro, para todos, que nunca compactuei, compactuo ou compactuarei com irregularidades, sejam elas de que natureza forem e tenham o alcance que lhe pretendem.
        Claro que, numa instituição desta natureza e com o serviço público que presta a milhares de cidadãos, toda a informação dos utentes, dos seus familiares, ou dos seus funcionários, é absolutamente imprescindível para quem, numa outra esfera, se vê obrigado, pelas funções que desempenha, a estar atento às melhores opções de gestão do seu funcionamento.
        Esses canais de informação estão, todos os dias, ao alcance de qualquer dos cidadãos envolvidos por esta Fundação.
        Aconselha-se, por isso, que todos os utilizem.”

        “Bufismo” e “compadrios” é que não!

        • Afonsino

          Mais…
          “E, para que conste dos documentos da história do concelho, mais declaro que, do exercício do cargo que nesta Fundação exerço, desde que, para tal, fui nomeado, nunca recebi um cêntimo, sequer, pelo seu exercício…”