Legionella, a bactéria que está a deixar o país em sobressalto

O director geral da Saúde revelou hoje que foram identificados casos de Doença do Legionário em várias regiões do país, como Castelo Branco, Barreiro e Porto, depois do surto de legionella que atingiu, pelo menos, desde quinta-feira, a zona de Vila Franca de Xira, provocando cerca de 200 casos confirmados e quatro óbitos. Francisco George, porém, já veio a público oferecer alguma tranquilidade ao garantir que todos estes novos têm todos ligações “temporais e espaciais” a Vila Franca de Xira, região onde foi identificado um surto causado pela bactéria legionella, que provoca pneumonias graves e pode ser mortal . Francisco George sublinhou ainda que a primeira exposição à bactéria registou-se antes do dia 18 de Outubro, tendo continuado durante a segunda quinzena do mesmo mês.

A Rádio Renascença publicou no seu site algumas perguntas e respostas para ajudar a esclarecer o público:

O que é a legionella?
É uma bactéria que vive em ambientes de água doce, podendo existir em reservatórios naturais, como lagos e rios, ou reservatórios artificiais como sistemas de água doméstica, quente e fria, humidificadores e torres de arrefecimento de sistemas de condicionamento de ar, piscinas, jacuzzis, instalações termais e outras, isto é, locais onde com facilidade se libertam aerossóis.

Como se transmite?
A legionella transmite-se por via aérea (respiratória), através da inalação de gotículas de água (aerossóis) contaminadas com bactérias. Não se transmite de pessoa a pessoa, nem pela ingestão de água contaminada. O agente da infecção encontra-se preferencialmente na água quente sanitária, nos sistemas de ar condicionado, nos aparelhos de aerossóis ou nas fontes e aspersores.

Quem está mais em risco?
Há factores que podem tornar uns mais susceptíveis que outros: a idade (pessoas com mais de 50 anos), a existência de doenças respiratórias ou o facto de fumar.
Quais são os sintomas?
Tosse, febre e dificuldades respiratórias. A pneumonia é o efeito mais visível. Em regra, cerca de 10 dias depois da infecção podem surgir os primeiros sintomas.

Como se controla?
O controlo e prevenção desta doença fazem-se pelo diagnóstico precoce em casos suspeitos e pelo tratamento (descontaminação) da fonte de infecção provavelmente associada, que se baseia na limpeza, desinfecção e manutenção das instalações e equipamentos contaminados. Não há vacina para a doença do legionário, mas trata-se com antibióticos.

LEIA TAMBÉM

Constituídos dois arguidos por homicídio por negligência e ofensas corporais nos incêndios de Pedrogão Grande

O Departamento de Investigação e Acção Penal constituiu como arguidos o comandante dos bombeiros de Pedrógão …

GNR deteve alegado burlão que vendia fotocópias da Lotaria Clássica

O Comando Territorial da GNR da Guarda deteve, em Seia, um homem de 49 anos, …