Algumas dezenas de jovens socialistas participaram este sábado na tomada de posse dos núcleos da Juventude Socialista de Oliveira do Hospital e Lagares da Beira, respectivamente coordenados por Ricardo Figueiredo e José Pinto.

Líder do Núcleo da JS acusa presidente da Câmara de “visão tacanha e curta”

 

Imagem vazia padrãoNum jantar realizado num restaurante localizado na freguesia que durante muitos anos foi um dos principais bastiões do Partido Socialista – a Lajeosa –, o PS fez-se representar por algumas das suas principais figuras políticas locais, mas foi a “presença especial” de António Campos – conforme notou Ricardo Figueiredo – que mais entusiasmo gerou no seio dos “jotas”.

“Confesso que já conheci muitos jovens com espírito menos jovem do que o engº. António Campos”, afirmou o recém eleito presidente do núcleo da JS, que de seguida encetou um discurso bastante crítico contra a Câmara de Oliveira do Hospital. Considerando que “Oliveira do Hospital – mais do que nunca – precisa dos seus jovens”, Ricardo sublinhou que “o concelho está a atravessar um momento crítico” e defendeu que “a falta de visão” do presidente da autarquia oliveirense tem impedido que Oliveira do Hospital seja “um concelho atractivo para quem quer investir nele”.

O líder do núcleo da JS serviu-se depois do facto de Mário Alves ter anunciado recentemente a intenção de rejeitar a possibilidade da instalação de uma loja do cidadão de 2ª geração na cidade, para criticar o autarca do PSD pela sua “visão tacanha e curta” e pela política do “orgulhosamente sós”. “O presidente da Câmara continua no seu gabinete à espera dos empresários, em vez de ir à procura deles”, observou ainda o jovem socialista, frisando que a gestão autárquica “do dia-a-dia” tem contribuído para que “Oliveira do Hospital não progrida há 15 anos”.

Mais parco em palavras, o coordenador da JS de Lagares da Beira – “a terra mais socialista do concelho”, conforme insinuou José Pinto – deixou um alerta aos jovens: “ajudemos o PS e os independentes que estejam connosco a salvar o concelho”.

 

“Autárquicas de 2009 vão ser o momento de viragem”

 

Não menos crítico foi o líder do PS, José Francisco Rolo, que após considerar a JS como a “grande energia renovável” do partido, sentenciou que “as autárquicas de 2009 vão ser um momento de viragem”.

Salientando que “o PSD manda há 20 anos na câmara e dali não sai nada de novo”, Rolo lembrou as responsabilidades da JS e apelou para que a jovem estrutura partidária tenha uma postura de exigência em prol do desenvolvimento do concelho. “É preciso que a JS de Oliveira do Hospital exija mais do que foguetório e empregos para servir clientelas político-partidárias”, vincou o presidente da concelhia socialista.

LEIA TAMBÉM

Nova liderança da JSD de Oliveira do Hospital quer colocar problemas dos jovens na agenda política local

Virgílio Salvador, de 26 anos, foi eleito no domingo presidente da Juventude Social Democrata de …

«Castração» política em Oliveira do Hospital. Autor: João Cruz

Passados 44 anos após o 25 de Abril de 1974, vive-se hoje em Oliveira do …