Lourosa em festa para dar a conhecer a única igreja moçárabe do país

Lourosa em festa para dar a conhecer a única igreja moçárabe do país

A Freguesia de Lourosa apresentou hoje a terceira edição da Feira Moçárabe que vai decorrer no próximo sábado e domingo. O evento tem por objectivo divulgar a igreja de São Pedro de Lourosa, a única do período moçárabe e uma das mais antigas de Portugal. O programa, de resto, prevê um regresso ao passado, com figurantes, saltimbancos, até porque paralelamente comemoram-se os 500 anos da entrega do Foral Manuelino àquela localidade.

O presidente da junta de freguesia confessou que está a cumprir a sua promessa que fez de manter a tradição enquanto continuar à frente dos destinos de Lourosa. Ao seu lado o vice-presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital sublinhou que “se trata de um evento que faz parte do calendário de referência de projecção do concelho a nível regional e nacional”. “Este monumento representa o diálogo intercultural. A simbologia que está ligada a este espaço sagrado é monumental. Espero que venha muita gente conhecê-lo”, frisou José Francisco Tavares Rolo.

O vereador que está a substituir o presidente do município, actualmente de férias, frisou ainda que é importantíssimo divulgar este monumento para, por exemplo, o turismo de descoberta. “Temos de potenciar estas mais-valias. Queremos que seja um factor de valor acrescentado e que ajude a criar riqueza local. Temos de lançar o desafio à região para que venha conhecer este local”, disse, adiantando que o programa é vastíssimo e que se verificou uma forte adesão, de tal forma que todas as barracas disponíveis onde se podem encontrar produtos regionais estão completamente preenchidas”, disse, lamentando que, apesar de todos os esforços feitos pelos vereadores da Cultura e do Turismo, o poder central não tenha dado apoio a esta acção de divulgação. “Tinham obrigação de comparticipar. Mas mais uma vez teve de ser o Município e a Junta a assumir os custos”, rematou.

José Rolo falou ainda no projecto de requalificação do espaço envolvente à igreja. Garantiu que está feito e que apenas aguarda o parecer do Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico (Igespar). “Já foi sinalizado como prioritário para financiamento comunitário. Este espaço precisa de ser valorizado, mas não desvirtuado em termos históricos e patrimoniais”. O presidente da Junta, Américo Figueiredo, deu ideia de não ter apreciado a referência  a uma eventual espera por apoios europeus e disparou: “Tenho a promessa feita pelo Presidente que a obra seria realizada em 2015. Estou à espera e não o largarei durante todo o ano até que tudo seja feito”. Rolo sorriu e respondeu que espera que tal aconteça, mas com os apoios provenientes da Europa.

A igreja de São Pedro de Lourosa terá sido erguida (ou reerguida) em 912, conforme uma lápide existente. O interesse actual por esta igreja data, sobretudo, dos inícios do século XX devido à descoberta, por diversos estudiosos, do seu estilo dito moçárabe (em que se conciliam elementos estruturais cristãos com elementos da cultura árabe), fruto da presença árabe que dos séculos VIII ao XI dominou esta zona do território hoje português. É a única igreja deste estilo actualmente existente em Portugal.

Em 1916 foi classificada como monumento nacional e, posteriormente, sujeita a importantes trabalhos de restauro que pretenderam reabilitar o seu estilo primitivo (adulterado ao longo dos séculos), e que trouxeram à luz vestígios arqueológicos bastante anteriores à igreja (nomeadamente da época romana). Exceptuando a Sé de Braga, é, provavelmente, a mais antiga igreja em funcionamento praticamente ininterrupto, durante 1102 anos de culto cristão. No exterior, as sepulturas nas rochas são outro ponto de atracção.

 

LEIA TAMBÉM

Tomada de posse dos órgãos autárquicos marcada pela tragédia dos incêndios e presidente reeleito aposta em “fazer renascer Oliveira do Hospital”

Não foi uma tomada de posse normal dos novos responsáveis pelo munícipio. Os discursos inflamados …

António Lopes apresenta denúncia no MP contra as autoridades do concelho oliveirense por entender que pode existir “crime de homicídio por negligência” na tragédia dos incêndios

O eleito à Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital, António Lopes, apresentou ontem uma denúncia …

  • Assurancetourix Das Beiras

    Um importante monumento, sem dúvida. Mas a Igreja Moçárabe, Lourosa e o Concelho teriam mais a ganhar se, em vez de festas esporádicas e, muitas vezes, descontextualizadas histórica e culturalmente (a avaliar pelas comomorações dos 500 anos dos forais, que tenho acompanhado), fossem criadas condições para as visitas. Não se compreende que um município que emprega (a tempo) historiadores, antropólogos e especialistas em ‘Estudos Artísticos’ não invista estruturalmente neste Monumento, e continue a chamar turistas que, ao chegar, têm de tocar um sino para fazer uma visita sem guia. Nem tudo se resolve com Marketing…

  • Aparecido

    É normal ver em directo a missa da capelinha das aparições em Fátima, agora assistir a estas aparições em directo na Igreja de Lourosa é que já não é normal.
    Tudo serve a este executivo para propaganda. Quando o barulho é muito, a carroça vem vazia.

  • Olho no Américo

    Ó Américo, o que é que o Alex te prometeu? Obra em 2015?
    Ó Américo, só quando entrar o dinheiro da água. Tem calma, vais ver o milagre que aí se vai dar.

  • Propagandista Mór

    Definitivamente, festas, para esta gente, ´são uma fobia. O que é que esta festa tem demais para merecer apresentação publica em conferência de imprensa? Vê-se bem que há pouco que fazer ou pouca vontade de fazer. Se fossem no desenvolvimento real, não no show off, como são a gastar em festas, o futuro era nosso. Há também são bons a empregar a família…

  • Que Tristeza de Gente

    À gente que pouco faz e muito palra: mais respeito pelo
    executivo da junta de Lourosa. Este evento é uma iniciativa daquela Junta de
    Freguesia. Se não gostam candidatem-se àquela junta e façam melhor!

  • Propagandista Mór

    Viraste advogado? Eu vejo na foto o presidente da Câmara em exercício, o Sr Padre Higino e a junta. Se for a junta a pagar,o que duvido, o subsídio ou já foi ou vai a seguir. Como o Américo, parece, já foi lembrando prazos, até porque sabe como foi na estrada, se calhar já recebeu ou não está para esperar muito… Cuidem-se. Mais trabalho e menos festa..O que é que o programa tem de mais para conferência de imprensa? Há tanto trabalhinho para fazer…Com festas e bolos…

    • Falta de atenção

      Ainda não tinha reparado, mas é verdade, o Rolo, está com um penteado diferente, fica-lhe bem, sobressai ali ao lado do Sr Padre.