Madeira condenada a pagar 20 milhões a empresa de Fernando Tavares Pereira

O Governo Regional da Madeira está judicialmente obrigado, por decisão do Supremo Tribunal Administrativo, a indemnizar em 20 milhões de euros a CIMA, propriedade do Grupo Tavfer, que tem como presidente da Comissão executiva Fernando Tavares Pereira, um empresário ligado a Oliveira do Hospital, avança o Jornal da Madeira. O caso remonta a 1997, altura em que a CIMA – Centro de Inspecção Mecânicas Automóveis – venceu o concurso para o centro regional de inspecções técnicas de veículos com motor e os seus reboques – a que se submeteram cinco interessados. A Secretaria Regional de Economia (do executivo liderado por Miguel Albuquerque, formado em 2015), escusou-se a comentar esta decisão.

O Governo Regional da Madeira, porém, decidiu atribuir a exploração à empresa Cimad – Centro de Inspecção da Madeira, do madeirense António Henriques, apesar de ter ficado em segundo lugar no concurso com 19 valores, contra os 20 da CIMA. O executivo madeirense entendeu este resultado como um “empate técnico”.

Para desempatar, o Governo Regional, liderado por Alberto João Jardim, usou o argumento da “especificidade regional”, nomeadamente soluções arquitectónicas compatíveis com a paisagem e a necessidade da instalação de um centro na ilha do Porto Santo. Esta argumentação, serviu para o executivo, que tinha na altura como secretário regional da Economia e Cooperação Externa Pereira de Gouveia, atribuir o centro de inspecções ao empresário António Henriques, que, desde 1979, é o único na Madeira a explorar este ramo de actividade.

“A sentença do Supremo Tribunal Administrativo está em execução, a indemnização é de cerca de 20 milhões de euros, mas estamos abertos a negociações com o Governo Regional”, disse presidente da comissão executiva (CEO) do Grupo Tavfer, Fernando Tavares Pereira citado pelo Jornal da Madeira. “Esta é uma vitória da persistência e da razão porque, se há um caderno de encargos, este tem de ser seguido dentro da legalidade”, sublinhou ainda o empresário ligado a Oliveira do Hospital que se bateu neste processo ao longo de duas décadas.

LEIA TAMBÉM

Uma insólita invasão de javalis na cidade de Viseu

Uma ‘praga’ de javalis tem invadido todas as noites a cidade de Viseu, revela o …

Identificados quatro suspeitos de incêndio após queimadas em Viseu

A GNR anunciou hoje que identificou quatro pessoas em Lordosa, no concelho de Viseu, na …

  • António Lopes

    Pois é… Eu sempre disse que a justiça tarda mas chega. Este problema deve tem dezanove anos… esaiu agora.Daqui a uns tempos sei quem também se vai rir… Aliás constou-me que já anda a sair um “fuminho” pelas “janelas e pelas telhas”..! Mais dia menos dia não há bombeiros que cheguem…Deixa-me calar que, depois, tudo se sabe…!!!

    • Tá Fixe

      Este fim de semana foi homenageado pelos arrotários, daqui por uns tempos é homenageado pela Judite.
      A Judite já lá anda, e não é a do carregal que foi para as àguas, a filha do amigo, para ajudar a equipa que vai ficar sem o Paulo aumentado, pois o outro Paulo aumentou-o mais lá para os lados do Eduardo dos Santos. Como os “santos da casa não fazem milagres”, vai-se o homem embora e as contas não aparecem.

      • Arrota Pelintra

        Arrotaram e não foi pouco. 20€ por cabeça, dasse.
        Como estavam mais de duzentos, estou para ver o que é que a tal associação vai oferecer ao concelho com os 4000€ conseguidos.
        Proponho que os dêem à BLC3 para ajudar nos arranjos exteriores. É que o pessoal que por lá anda sujam os sapatos todos.

      • Eu é que sou o presidente

        Então o profissional condecorado nem com o aumento que lhe deu o segurou? Que grande profissional me saiu, bem pode limpar as mão a uma parede.
        Um profissional digno desse nome, já nem falo em condecorações, apresenta as contas e certas. Este é um profissional de vão de escada.

  • Sei que não vou por ali

    Engraçado, não vi o Fernando no jantar. Estaria a tirar um “curso na Ilha”? Parece que passou lá com distinção, vinte valores, desculpem, vinte milhões.
    O Nandinho lá sabe as distinções que artista vale.
    Nando, ponha as notas cá na Caixa, que parece que aquilo está a precisar com muita urgência.