Maquinista estava a falar ao telefone na altura do acidente em Santiago

O maquinista do comboio que na semana passada descarrilou em Santiago de Compostela, Galiza, causando 79 mortos, estava a falar ao telefone na altura do acidente, informou o Tribunal Superior de Justiça da Galiza.

A instância judicial indicou que o maquinista Francisco José Garzón Amo estava ao telefone com elementos da Renfe, empresa de caminhos-de-ferro espanhola.

Após a análise das primeiras informações das caixas negras do comboio, a instância judicial informou igualmente que a composição circulava a 153 quilómetros por hora no momento do descarrilamento.

“Nos quilómetros antes do local do acidente, o comboio circulava a 192 quilómetros por hora”, acrescentou o tribunal, num comunicado, indicando que “um travão foi ativado alguns segundos antes do acidente”.

jn.pt

LEIA TAMBÉM

GNR deteve alegados traficantes de droga nos acessos a uma “Rave” em Oliveira do Hospital

Pastor de 90 anos continua desaparecido em Seia

Um pastor de 90 anos que está desaparecido na pequena localidade de Valezim no concelho de …

Polícia Judiciária deteve mulher que tentava introduzir haxixe na prisão de Coimbra

PJ deteve em Coimbra suspeito de homicídio na forma tentada

A Polícia Judiciária (PJ) identificou e deteve, na segunda-feira, em Coimbra, um homem suspeito da …

  • LMD

    Esta a falar ao Telemóvel com elementos da Renfe, após chamada dos mesmos. É que quem lê o título da Noticia, pensa que o desgraçado estava a falar ao telemóvel pessoal numa de conversa com amigos, etc…..