Maquinista estava a falar ao telefone na altura do acidente em Santiago

O maquinista do comboio que na semana passada descarrilou em Santiago de Compostela, Galiza, causando 79 mortos, estava a falar ao telefone na altura do acidente, informou o Tribunal Superior de Justiça da Galiza.

A instância judicial indicou que o maquinista Francisco José Garzón Amo estava ao telefone com elementos da Renfe, empresa de caminhos-de-ferro espanhola.

Após a análise das primeiras informações das caixas negras do comboio, a instância judicial informou igualmente que a composição circulava a 153 quilómetros por hora no momento do descarrilamento.

“Nos quilómetros antes do local do acidente, o comboio circulava a 192 quilómetros por hora”, acrescentou o tribunal, num comunicado, indicando que “um travão foi ativado alguns segundos antes do acidente”.

jn.pt

LEIA TAMBÉM

Universidade de Coimbra aposta na folha de mirtilo para tratamento da Esclerosa Múltipla

Um projecto de investigação da Universidade de Coimbra aposta no potencial terapêutico da folha de …

Polícia Judiciária deteve mulher que tentava introduzir haxixe na prisão de Coimbra

PJ deteve 12 pessoas em Coimbra por suspeita de tráfico de droga

A Directoria do Centro da Polícia Judiciária anunciou hoje ter detido, na terça-feira, doze pessoas …

  • LMD

    Esta a falar ao Telemóvel com elementos da Renfe, após chamada dos mesmos. É que quem lê o título da Noticia, pensa que o desgraçado estava a falar ao telemóvel pessoal numa de conversa com amigos, etc…..