Maria José Falcão de Brito e Luís Lagos aparecem como os dois novos rostos do CDS/PP de Oliveira do Hospital

A informação foi já confirmada a este diário digital pela candidata à presidência do partido, que revelou que as eleições para a concelhia – o  aparecimento de outra lista é muito pouco provável – deverão ocorrer já no início do próximo mês de Fevereiro.

“Entendo que em Oliveira do Hospital o CDS/PP pode ter uma palavra a dizer e constituir-se como uma alternativa nos próximos combates políticos que se avizinham. Sobretudo em termos autárquicos”, afirmou ao correiodabeiraserra.com a candidata à sucessão de Adelaide Freixinho, salientando que uma das razões que a leva a avançar é o facto de o CDS/PP ter “como sempre, pessoas válidas que sabem marcar a diferença”.

Notando que é com grande “esforço pessoal” que parte para este desafio, Maria José diz ter tomado esta decisão política em consequência de ter havido “muita gente a disponibilizar-se” para a ajudar. Luís Lagos, por exemplo, é o candidato à vice-presidência do partido.

Licenciada em Direito, Maria José é docente na Eptoliva e, no efémero governo de Santana Lopes, foi adjunta, durante seis meses, do secretário de Estado da Educação, Diogo Feio – o actual presidente do grupo parlamentar do CDS/PP.

Com um vasto currículo político, Maria José já foi presidente do partido e, anteriormente, da Juventude Popular, onde também chegou a pertencer à direcção nacional.

Militante convicta do partido dirigido por Paulo Portas desde os tempos da sua meninice, Maria José também representou o CDS/PP, durante dois mandatos consecutivos, na Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital e, mais recentemente, foi eleita como vogal no conselho de jurisdição da distrital dos populares.

 “Ou o concelho avança ou mantém-se estagnado”

 Também licenciado em Direito, Luís Lagos, o candidato à vice-presidência do partido que foi chefe de gabinete do antecessor de Portas, Ribeiro e Castro, afirmou a este diário digital que a sua reentrada na vida política fica a dever-se ao facto de se estar a viver “um momento político que pode ser importante para a afirmação do CDS/PP”. “Adivinha-se um novo paradigma tanto para o mundo como para o nosso concelho e, por isso, este é o momento ideal para se tomar uma posição porque ou o concelho avança ou mantém-se estagnado”, referiu o jovem militante centrista.

Considerando que “é importante que o centro-direita não fique órfão do CDS/PP”, Lagos observa ainda que “este é o momento para afirmação de novos projectos políticos”

LEIA TAMBÉM

CDU: “Julgamos demasiado sem vergonha utilizar uma inauguração pública para os candidatos de um partido [PS] se promoverem”

O candidato à Assembleia de Freguesia de União de Freguesias de Ervedal e Vila Franca …

João Brito atónito com “campanha eleitoral a favor do PS” por parte da Câmara ao aprovar hoje mais 10 subsídios a instituições

O vereador do PSD João Brito está atónito com aquilo que classifica de falta de …