Marido detido por suspeita de ter assassinado mulher em Seia e simulado acidente de viação

Marido detido por suspeita de ter assassinado mulher em Seia e simulado acidente de viação

A advogada, de 38 anos, que faleceu na última terça-feira, no concelho de Seia, onde residia, pode ter sido assassinada pelo marido, que posteriormente terá simulado o acidente de viação para disfarçar o crime. Rui Andrade foi detido ontem pela Polícia Judiciária da Guarda, uma vez que suspeita que a advogada Ana Rita Antunes poderá ter sido assassinada por espancamento, particularmente uma pancada na cabeça, e não devido ao acidente que deixou apenas ferimentos ligeiros em Rui Andrade.

Marido detido por suspeita de ter assassinado mulher em Seia e simulado acidente de viaçãoAs causas não estão ainda esclarecidas, mas poderá ter a ver com motivos passionais. Uma tese que, segundo o JN, terá ganho força quando os investigadores descobriram que a advogada, que deixa duas filhas menores, estava a preparar o divórcio de Rui Antunes e que este já a teria ameaçado. Rui Andrade, que hoje será ouvido em tribunal, porém, continua a insistir na tese de acidente. Nas primeiras declarações às autoridades, Rui Antunes terá dito que a esposa se tinha atirado de uma ravina com o carro em andamento e que o ferimento fatal, o golpe na cabeça, era resultado da queda. A autópsia, contudo, parece contrariar esta possibilidade.

A forma como ocorreu o acidente e o estado da viatura também servem para levantar suspeitas. Os investigadores não encontraram sinais de travagem do carro, a viatura encontrava-se quase intacta e a mulher, já morta, estava a alguns metros da viatura e com graves lesões e o marido, que a acompanhava, apenas com alguns arranhões. “Quando cheguei, soube pelos homens que chegaram primeiro, que os dois já se encontravam fora da viatura, com o marido a segurar o corpo da esposa, esta com uma ferida na parte esquerda da cabeça”, explicou o comandante dos Bombeiros Voluntários de São Romão, Serafim Barata, que no dia do acidente já tinha dito ao CBS na tarde do acidente que o corpo da advogada não tinha sido removido por as autoridades entenderem ser necessária uma investigação.

O acidente rodoviário, recorde-se, ocorreu na terça-feira no concelho de Seia, pelas 13h30, na estrada que faz a ligação entre as localidades de Furtado e Sandomil. E o detido vai ser presente, amanhã, ao tribunal de turno de Almeida, no distrito da Guarda, para efeitos de primeiro interrogatório e eventual submissão a adequadas medidas de coação.

LEIA TAMBÉM

Incêndios destruíram mais 500 hectares em Seia

Portugal em risco de incêndios iguais ou piores aos de 2017 avisam especialistas americanos

O risco de incêndios catastróficos iguais ou piores aos de 2017 é real e tem …

Combustíveis sobem na segunda-feira pela quinta semana consecutiva e batem recorde do ano

Os combustíveis deverão voltar a subir na próxima segunda-feira. Será a quinta semana consecutivo a …

  • Anonimo

    O que anda a fazer o sistema judicial!!??? ainda agarrado às pedagogias da fantasia?? É hora do poder judicial e de quem de direito ter outro olhar sobre a saúde mental desta sociedade!! em vez disso ainda lançam crises hediondas a ajudar os doidos a mostrar mais depressa as verdadeiras carêtas que têm!!! E aquelas crianças colocadas no mundo por estes irresponsáveis e doidos varridos mascarados de normais!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!1??????????????????????????????????????????????????????”’