Mário Alves recusa pronunciar-se sobre política partidária

Estava dado por concluído o jantar promocional da XVIII Festa do Queijo, Enchidos e Mel, realizado dia 6 de Março na Pousada do Convento do Desagravo em Vila Pouca da Beira, quando a comunicação social foi convocada para uma conferência de imprensa, em que o assunto em análise era o turismo e a recente adesão do município à Turismo Centro de Portugal (TCP).

Fossem os protagonistas meros presidente de Câmara e presidente da TCP e a conferência ter-se-ia esgotado no tema. Mas, estavam lado a lado o presidente da Comissão Política Distrital do PSD, Pedro Machado, e o candidato pelo partido à Câmara Municipal de Oliveira do Hospital.

É porém verdade que a abordagem ao assunto foi evitada por ambos, sem que contudo o sucesso alcançado fosse significativo.

Sem querer despir a camisola de autarca para vestir a de candidato, Mário Alves asseverou ser presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital e deixou claro que não falará de política partidária. “Não falarei hoje, nem falarei no futuro”, assegurou, deixando a garantia de que continuará no exercício da função “com a mesma coragem, empenhamento, responsabilidade, transparência e honestidade”.

Avisou ainda que “por mais voltas que alguns dêem ou queiram dar”, não o farão desviar do seu caminho. Quanto a julgamentos a que possa estar sujeito, o ainda presidente da autarquia remeteu essa função para as pessoas que “no dia determinado forem ao local apropriado e depositarem lá o seu papel”.

“O presidente da distrital não admite falta de cumprimento dos estatutos”

Embora, com alguma insistência, tenha sublinhado que o dossiê que reconduziu Alves na candidatura à Câmara esteja encerrado, Pedro Machado avisou que a distrital “não admite falta de cumprimento dos estatutos”.

Explicou que para chegar à solução a que chegou, a estrutura distrital que dirige “respeitou todas as tramitações e reuniu as condições exigidas”. Instado a pronunciar-se sobre uma esperada tomada de atitude por parte da Comissão Política Concelhia do PSD, em concreto a eventual demissão de José Carlos Mendes e até da estrutura local em bloco, Machado disse que a distrital “não faz cenários”, mas aconselhou “todos os militantes do PSD, em particular os dirigentes para que sejam consequentes com os estatutos do partido”.

É que, como deixou bem claro, “tudo aquilo que ultrapasse essa prorrogativa terá, objectivamente, a actuação do presidente da distrital em conformidade”.

Quanto ao candidato escolhido, Pedro Machado foi peremptório ao afirmar que tem “confiança plena” em Mário Alves.

LEIA TAMBÉM

Incêndios adiam da tomada de posse do executivo da autarquia oliveirense

A catástrofe que se abateu sobre Oliveira do Hospital, com os incêndios, levou a uma …

Incêndio

Anda tudo a gozar connosco!!! Autor: Luís Lagos

Anda tudo a gozar connosco!!! Eu estou absolutamente farto!!! Fartinho!!! Haverá quem leia este post …