Meruge denuncia “crime ambiental” em abaixo assinado enviado ao bispo de Coimbra

O derrube de pinheiros mansos centenares no parque de Lazer de S. Bartolomeu está a gerar polémica em Meruge. O “hediondo ato” já levou os populares a fazer queixa, em abaixo assinado, ao Bispo de Coimbra.

Unidos em abaixo assinado, os populares expressam a “viva e profunda condenação pelo grave e inexplicável crime ambiental, consumado com o derrube de dezenas de Pinheiros Mansos centenares, recentemente perpetrado contra o Parque de Lazer de S. Bartolomeu, a mando dos órgãos gestionários dos bens da Igreja na Paróquia de Meruge”.

“O Parque de S. Bartolomeu é um ex-libris da Freguesia, sua sala de visitas e uma preciosidade natural e arqueológica. Desde tempos imemoriais que a população preserva e usufrui este espaço, razão do afecto e orgulho que cada um de nós sente por ele e pelas memórias que nos evoca”, sustentam no documento os populares que, sem reserva, se opõem ao “hediondo ato” levado a cabo “sem consulta, sem consideração, com absoluta insensibilidade e arrogância”.

“Motivados por mesquinhas razões de angariação de fundos para obras na Casa do Passal, os responsáveis pela gestão dos bens da Igreja na Paróquia de Meruge, cometeram um brutal crime ambiental e uma gratuita afronta contra a população local e a sociedade, que não podem ficar impunes”, entendem os subscritores do abaixo assinado, apelando ao Bispo da Diocese de Coimbra “ um gesto de reparação pública a esta população ofendida no seu bem estar, na sua memória, na sua cultura e na sua dignidade”.

“Não movem os subscritores, na sua maioria cidadãos católicos e devotos, quaisquer sentimentos de vingança ou de retaliação sobre os que decidiram, autorizaram e consumaram este acto bárbaro”, esclarecem ainda no documento.

Sobre o Parque de S. Bartolomeu, os populares informam tratar-se de um espaço onde sobre um antigo templo visigótico está ali erigida a Capela do Santo que lhe dá nome. No seu perímetro são inúmeros os vestígios de civilizações antigas: tégulas, lagaretas e sepulturas antropomórficas. É nos terrenos do Parque de S. Bartolomeu que se situa o Campo de Futebol, um dos mais antigos da região, construído com o trabalho voluntário da população, na década de quarenta, do século passado.

“As singulares condições naturais e paisagísticas do Parque de S. Bartolomeu, com vista privilegiada sobre a Serra da Estrela e do Açor, a sua mata centenar de pinheiros mansos, os equipamentos de que dispõe: mesas em pedra, ponto de água, grelhadores e Parque Infantil, levam a que este lugar seja permanentemente procurado por residentes e forasteiros, para praticar desporto ou viver tempos em família ao ar livre”, referem.

LEIA TAMBÉM

IP3 cortado na zona de Penacova devido a avaria de pesado

A avaria de um pesado, pelas 14 horas, provocou o corte do trânsito no IP3, …

Denuncia do grupo do empresário Fernando Tavares Pereira coloca IMT sob investigação do DIAP

Duas empresas do grupo Tavfer, do empresário Fernando Tavares Pereira, a CIMA – Centro de …