Midões: Trabalhadores da SAMLA, com vários salários em atraso, estão preocupados com futuro da empresa

Os cerca de 60 trabalhadores da SAMLA – uma empresa do sector têxtil sedeada em Midões, concelho de Tábua – têm esta terça-feira, às 15h00, um plenário em frente às instalações da empresa com o Sindicato dos Trabalhadores Têxteis, Lanifícios e Vestuário do Centro (STTLVC).

Os funcionários daquela unidade industrial querem saber como que linhas se cosem, dado que – conforme refere uma nota de imprensa enviada a este diário digital pelo SRRLVC – “a vida dos trabalhadores não tem sido fácil, perante o constante atraso no pagamento dos salários e a incerteza em relação ao seu futuro”.

Naquela nota, assinada pela direcção daquele sindicato, Fátima Carvalho explica que os funcionários da SAMLA se viram obrigados a recorrer à suspensão do contrato de trabalho, no início de Março, com vista a poderem ter acesso “ao subsídio de desemprego como forma de subsistência”, já que os salários de “Dezembro, Janeiro e Fevereiro” estão em atraso.

De acordo ainda com a informação do STTLVC, a empresa em causa já terá manifestado a intenção de recorrer à insolvência, mas – salienta aquela nota de imprensa – “os trabalhadores tiveram conhecimento que o empresário se prepara para abrir uma outra empresa sem definir a actual situação da existente”

LEIA TAMBÉM

Ministro Pedro Marques garantiu em Nelas que a aposta em infra-estruturas de transporte passa pela ferrovia e IP3, ignorando IC6 e IC12

O ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, assegurou ontem em Canas de Senhorim, Nelas, …

José Carlos Alexandrino lança suspeitas sobre queijeiras de Seia nas descargas ilegais no rio Cobral

Como regresso da chuva, os habitantes que vivem próximo do rio Cobral temem que voltem …